Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.



Enciclopédia Itaú Cultural
Teatro

Armatrux

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Data/Local

Texto

Abrir módulo

Data/Local

1991 - Belo Horizonte MG

Histórico
Grupo teatral que se caracteriza pela pesquisa da linguagem circense, formas animadas, música, dança, teatro físico e teatro de rua, o Armatrux realiza espetáculos para o público adulto e infantil, boa parte deles apresentada em espaços alternativos.

O Armatrux,  fundado em Belo Horizonte, em 1991, pelos atores Paula Manata, Paulo Sérgio Cavalcanti, Ricardo Macedo, Inês Gastelois e pelo diretor e bonequeiro Paulinho Polika, cria nesse ano seu primeiro espetáculo, Acorda Aderbal, que é apresentado em ruas e praças da cidade, com recursos simples e forte apelo circense.

Acorda Aderbal surge no âmbito da Escola Tangran, criada nos anos 1980 e dirigida por Paulinho Polika e Lelena Lucas, entre outros. Segundo Paula Manata, uma das fundadoras do grupo: "A escola Tangran foi precursora de uma escola de artes integradas, com música, dança, bonecos, atuação [...]. A proposta era oferecer uma formação a partir das interfaces entre estas artes. Esta proposta acompanha o Armatrux até os dias de hoje".1

A Escola do Giramundo, por onde passam todos os componentes do grupo, oferece-lhes subsídios para a criação, confecção e manipulação de bonecos. Os Românticos, de 1992, põe em cena uma banda de bonecos, com músicas compostas por Samuel Rosa e gravadas pelo grupo Skank. Em 1993, o Armatrux apresenta Acorda, Aderbal no Circo Voador, no Rio de Janeiro, e em outras cidades do Brasil, e conquista, em Belo Horizonte, uma estrutura de trabalho pouco comum, nos anos 1990, para um grupo teatral.

Uma crise instala-se no Armatrux em 1996. Vários membros fundadores saem do grupo, permanecendo Paula Manata e os atores recém-chegados Eduardo Machado e Andrea Caruso. A crise coincide com a montagem para a rua de Esperando Godot. O espetáculo tem uma recepção menos calorosa que os anteriores. "No Esperando Godot, as pessoas amavam ou não gostavam nada, não tinha meio termo. É uma obra mais densa. Foi ousado na época montar o texto para a rua. Não havia muitos recursos técnicos como, por exemplo, microfones sem fio",2 lembra Paula Manata.

E, com a saída de Polika, o grupo passa a trabalhar com diretores convidados, diversificando sua formação técnica e linguagem artística. Assim, a convite, o diretor Gabriel Guimard - recém-chegado da França, onde havia trabalhado com a Cie. Philippe Genty - dirige o espetáculo O Cortejo, em 1996. No ano seguinte, ele assina a direção de Andarilhos do Repente, espetáculo que o diretor retoma, em 2005, numa versão com formas animadas, intitulada Andarilhos do Repente - Bonecos na Estrada.

Andrea Caruso dirige, em 2001, dois espetáculos, Liliputz e Invento para Leonardo, e a exposição interativa Pequenas Construções Cênicas. Com Invento para Leonardo, o Armatrux ganha em 2002 o Prêmio E-2: Exploring the Urban Condition, na França, na categoria melhor projeto de palco. Devido às dificuldades de adaptação do espetáculo para outros espaços, apesar da boa recepção, a montagem não tem uma trajetória longa. O espetáculo é resultado de uma parceria com o arquiteto Carlos Teixeira e com a coreógrafa Adriana Banana com base na proposta de ocupação de espaços vazios de Belo Horizonte. Contendo formas animadas - grandes troncos, membros e cabeças que exploram a anatomia humana e seus movimentos no espaço -, Invento para Leonardo explora a relação entre a cidade e o sujeito. O espaço escolhido para a encenação situa-se entre os pilares de sustentação de prédios residenciais no bairro Buritis, onde, por causa da topografia acidentada, as edificações têm grandes - e aparentes - fundações de concreto.

Rodrigo Robleño dirige dois espetáculos do grupo: Fósforos Pegam Fogo Mesmo, em 2002, e Le Maître de la Fenêtre, em 2003, utilizando em ambos as técnicas do clown.

Em 2004, o Armatrux participa do projeto Cena 3x4 do Galpão Cine Horto em parceria com A Maldita Cia. Teatral, aprofundando-se no processo colaborativo, que, sob a direção de Cristiana Brandão, resulta no espetáculo Nômades. Essa montagem dá continuidade à proposta de ocupação de espaços vazios da cidade iniciada com Invento para Leonardo. Em Nômades, o público é convidado a deslocar-se pelo espaço em cenas itinerantes.

De Banda pra Lua, 2007, dirigido por Eid Ribeiro, marca a volta do grupo aos palcos, depois de anos apresentando-se na rua e em espaços alternativos. A montagem recebe o Prêmio Cena Minas - Formação de Público, em 2007 e 2008. Desde 2006, o Armatrux trabalha com o diretor Eid Ribeiro, visando ao aprofundamento nas técnicas de formação do ator.

A partir de 2003, com Armatrux, a Banda, o grupo aposta também em direção coletiva e em direção realizada por integrantes do elenco. Eduardo Machado e Raquel Pedras assinam Pé de Valsa, em 2005, e o grupo estreia outros dois espetáculos, Parangolé, com direção do Armatrux, e Gastrono-Mico, de Eduardo Machado, em 2008.

O grupo está sob a coordenação artística dos atores Paula Manata, Eduardo Machado, Tina Dias, Cristiano Araújo e Raquel Pedras, mantém uma oficina de bonecos, cenários e objetos de cena, coordenada por Leandro Marra, e conta com uma equipe de produção e administração. O Armatrux apresenta algumas características comuns a outros grupos teatrais de sua geração na capital mineira: a união de artistas-criadores em um coletivo que lhes permite não apenas a sobrevivência financeira, mas também o aprofundamento técnico e artístico por meio do intercâmbio com outros artistas nacionais e estrangeiros; o entendimento da montagem de um espetáculo não somente como um lugar para a criação, mas também para a pesquisa e a formação; a escolha da rua e de espaços alternativos, contribuindo para a democratização do teatro e a conquista de público. Realiza também curtas-metragens, vídeos educativos e oficinas para professores e artistas.

Sobre a fortuna crítica do grupo, Paula afirma: "Ninguém faz crítica do Armatrux. Talvez porque exista um grande preconceito em relação ao teatro infantil. As pessoas que têm um olhar para este teatro são educadores e outros artistas que trabalham na área. [...] Apesar do repertório do Armatrux ser dividido meio a meio entre espetáculos infantis e adultos, os espetáculos infantis é que conseguem circular e manter o grupo, por isso acabamos sendo associados a este tipo de trabalho".3

Em novembro de 2008, realiza-se a festa da Cumeeira da C.A.S.A., marcando a primeira inauguração do espaço, ainda em obras, que abrigará a sede conjunta da Armatrux e da Cia. Suspensa, em Nova Lima, Minas Gerais. No local, os grupos pretendem realizar ensaios, cursos, oficinas e apresentações de espetáculos.

Notas
1. MANATA, Paula. A Trajetória do Grupo de Teatro Armatrux. Belo Horizonte, 18 de novembro de 2008. (inédito). Entrevista concedida a Mariana Muniz. p. 01.

2. Idem. p. 03.

3. Idem.

Espetáculos 14

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 4

Abrir módulo
  • ARAÚJO, Cristiano. Inventos para Leonardo e Nômades. Belo Horizonte, 26 de janeiro de 2009. (inédito). Entrevista concedida a Mariana Muniz.
  • GRUPO DE TEATRO ARMATRUX. Site oficial do grupo. Belo Horizonte, 2008. Disponível em: [http://www.armatrux.com.br/]. Acesso em: 20 nov. 2008.
  • GRUPO de Teatro Armatrux. [Currículo]. Enviado pelo grupo em 15 de novembro de 2008 e em 27 de janeiro de 2009.
  • MANATA, Paula. A Trajetória do Grupo de Teatro Armatrux. Belo Horizonte, 18 de novembro de 2008. (inédito). Entrevista concedida a Mariana Muniz.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: