Artigo da seção grupos Irmãos Campana

Irmãos Campana

Artigo da seção grupos
Artes visuais  

Biografia

Os irmãos Humberto Campana (Rio Claro, São Paulo, 1953) e Fernando Campana (Brotas, São Paulo, 1961) são designers e professores. Humberto forma-se em direito pela Universidade de São Paulo (USP), em 1977, mas não exerce a profissão. Na década de 1980, frequenta cursos livres de escultura em metal e argila, na Fundação Armando Alvares Penteado (Faap), e de joalheria, com o joalheiro Renato Camargo. Fernando gradua-se em arquitetura pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo, em 1984.

A formação de ambos tangencia as artes visuais e isso se refete seus projetos de design. Apresentam a primeira coleção de móveis, em 1989, organizada pela empresa A Arquitetura da Luz, em São Paulo. Com o título Desconfortáveis, essa coleção destaca-se em um período em que o funcionalismo é uma constante no design de mobiliário. 

Na segunda metade da década de 1990, a carreira dos irmãos adquire projeção internacional. Em 1996, realizam exposição individual no Palazzo Reale, em Milão, e participam da exposição coletiva Brasil Faz Design, no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo. Em 1997, têm peças incluídas nas publicações Design Year Book e nas edições organizadas pelo historiador americano de design Mel Byars (1938), 50 Chairs e 50 Tables[1]. No mesmo ano, são selecionados pelo designer francês Philippe Starck (1949) para a mostra Design Der Zukunft, no Folk Museum, em Bremen, Alemanha. Nesse ano também lançam no Salão do Móvel de Milão a luminária Estela, produzida para a Oluce, empresa italiana de iluminação.

Em 1998, são convidados pela curadora de design e arquitetura do Museum of Modern Art de Nova York (MoMA/NY), Paola Antonelli (1963), para uma retrospectiva. Lecionam no curso de desenho industrial na Faap, em 1998, e no Museu Brasileiro de Escultura (Mube), de 1999 a 2000. Recebem diversos prêmios, com destaque para o Prêmio George Nelson Design Award, da revista Interiors, Estados Unidos, em 1999; o Le Prix du Nombre d’Or, Salon du Meuble, de Paris; e o Dim Award, da Feira Internacional de Móveis de Valência, Espanha, pela cadeira Corallo, em 2005. Suas criações fazem parte de acervos de museus como MoMA, o Centre Georges Pompidou, Paris, e Vitra Design Museum, Alemanha.

O trabalho de Humberto e Fernando Campana é caracterizado pela ousadia das formas e pelo arrojo dos materiais, que refletem ironia e humor. Dada a dificuldade de produção de mobiliário no Brasil, eles privilegiam, nos primeiros projetos, o uso de matérias-primas em que é possível tirar proveito do erro e da falta de acabamento. Elegem materiais que fazem parte do cotidiano. Seus projetos incorporaram ferro, alumínio, materiais naturais e reciclados, arames de alumínio, barbante, ripa, sintéticos, plásticos, pvc, forma de pizza, mangueiras de jardim etc. Os irmãos Campana buscam leveza, ironia e originalidade e, por essas características, destacam-se no cenário internacional.

A partir de 1999, o trabalho é reconhecido em todo o mundo e passam a dar mais atenção às discussões formais do próprio design. Preocupam-se com a funcionalidade, com o conforto do usuário e a produção em escala industrial para baratear os produtos. Todavia não perdem o que eles mesmos chamam de “poesia de projeto”. Pensando na relação entre produto e artesanato, Paola Antonelli destaca na obra dos Campana a preservação, com produtos reciclados e artesanais, da cultura brasileira. 

Ampliando essa discussão, o crítico de arte Tadeu Chiarelli (1956) considera que os objetos criados pelos designers “tendem a resistir, como obras de arte, ao processo de ‘desaparecimento’ que sofre grande parte dos objetos dos quais nos utilizamos no cotidiano”[2]. Para ele, as peças resistem pela forma, pelo material e, principalmente, pelo estímulo à nossa memória histórica e afetiva. Um exemplo é a mesa Tatoo, que branca, em metal, com recortes vazados, faz referência às toalhas de crochê. Diferente das primeiras cadeiras Desconfortáveis, esse é um objeto de design preocupado com o conforto.

 

Notas

1.  A Mesa Inflável (1995), de autoria dos Campana, é escolhida para a capa de 50 Tables. O organizador da coleção, Mel Byars, elegeu-a por se tratar de uma mesa barata, divertida e surpreendentemente funcional, como ele mesmo declara. Ver texto de Adélia Borges no catálogo Retrospectiva Campana. Rio de Janeiro: Casa França Brasil, 1999.

2. Ver Entre o design e arte: irmãos Campana; Entre a arte e o design: acervo do MAM. São Paulo: MAM, 2000, p. 49.

Outras informações do grupo Irmãos Campana:

Exposições (4)

Fontes de pesquisa (9)

  • ANTONELLI, Paola; BYRARS, Mel & ESTRADA, Maria Helena. Tropical Modern: the designs of Fernando and Humberto Campana. New York: Acanthus Press. 1998.
  • ASSEF, Rafael et al. Campanas. versão em inglês Joana Cañedo, Christopher Betenson; versão em italiano Elena Lovisolo, Roberto Pellegrino, Christian Purpura. São Paulo: Bookmark, 2003.
  • BORGES, Adélia. Retrospectica Campana: móveis e objetos 1898-1999. Rio de Janeiro: Casa França Brasil, 1999.
  • CASTANHO, Eduardo et al. Excesso. direção Ricardo Ribenboim; curadoria Vitória Daniela Bousso, Christine Mello; apresentação Marcos Mendonça, Ricardo Ribenboim; texto Vitória Daniela Bousso; tradução Renata Spinelli. São Paulo: Paço das Artes, 1996.
  • ENTRE objetos. São Paulo: Galeria Nara Roesler, 1995.
  • IRMÃOS Campana: inventividade. curadoria Fernando Campana, Humberto Campana; projeto gráfico Juliano de Moraes; texto Adélia Borges; fotografia Andrés Otero; tradução Rubens Santos. Goiás: MAC, 2001.
  • MOSTRA Brasil Faz Design 98. curadoria Marili Brandão, Vanni Pasca, Fábio Magalhães; coordenação editorial Marili Brandão; tradução Carlotta Zoni; apresentação Marcos Mendonça, Guilherme Leite Ribeiro; introdução Marili Brandão, Vanni Pasca, Fábio Magalhães; texto Rodrigo Rodriguez, Erika Palomino, Agnaldo Farias. São Paulo, SP: Brasil Faz Design, 1998.
  • OTERO, Andrés et al. Entre o design e a arte: irmãos Campana; Entre a arte e o design: acervo do mam. curadoria Tadeu Chiarelli; coordenação editorial Rejane Cintrão; tradução Izabel Murat Burbridge; projeto gráfico José Roberto Freire; texto Milú Villela, Tadeu Chiarelli. São Paulo: MAM, 2000.
  • RETROSPECTIVA Campana: móveis e objetos 1989-1999. apresentação Ana Lúcia Magalhães Pinto; texto Maria Helena Estrada, Cláudia Fares, Adélia Borges. Rio de Janeiro: Fundação Casa França Brasil, 1999.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • IRMÃOS Campana. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2021. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/grupo203818/irmaos-campana>. Acesso em: 06 de Mai. 2021. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7