Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Teatro

A Mãe

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 27.01.2017
06.08.1971 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro – Teatro Maison de France
Registro fotográfico autoria desconhecida

A Mãe, 1971
Acervo Cedoc/FUNARTE

Escrita em 1924 pelo filósofo, pintor e dramaturgo polonês Stanislaw Witkiewicz, A Mãe é uma realização da Companhia Tereza Raquel que traz o diretor francês Claude Régy para remontar, com atores brasileiros, o espetáculo que, em 1970, obteve grande sucesso em Paris.

Texto

Abrir módulo

Histórico

Escrita em 1924 pelo filósofo, pintor e dramaturgo polonês Stanislaw Witkiewicz, A Mãe é uma realização da Companhia Tereza Raquel que traz o diretor francês Claude Régy para remontar, com atores brasileiros, o espetáculo que, em 1970, obteve grande sucesso em Paris.

O texto se concentra na relação entre mãe e filho. O protagonista não consegue libertar-se da incestuosa dependência materna que o prende à infância. Frustrado de antemão em todas as tentativas de auto-afirmação, volta sempre à solidão povoada por presenças fantasmagóricas e ameaçadoras que exacerbam a sua insegurança. Embora autobiográfica em grande parte, A Mãe não é uma peça realista, como observa o crítico Yan Michalski (1932-1990)"Não se trata aqui de personagens dotados de vida autônoma, envolvidos num conflito dramático convencional; trata-se de fantasmas interiores do autor, aos quais ele delega poderes mágicos para travar em seu nome a sua luta existencial contra o universo. As normas que regem o jogo não são as da lógica dos comportamentos cotidianos, são as do pesadelo. [...] na obra do poeta polonês o nível de consciência crítica coexiste e se entrecruza, apesar de tudo, com o nível de pesadelo. [...] Não há saída fora da morte. [...] a peça conserva sempre um caráter ritualístico de enterro ou de réquiem, que Claude Régy acentuou inteligentemente na sua encenação. Da mesma forma, a morte devia estar presente nas entrelinhas da vida de Stanislaw Witkiewicz, que acabou se suicidando".1

Na montagem, o diretor Claude Régy, que vê no autor um precursor das teorias de Antonin Artaud e das idéias de Picasso, trabalha com elementos expressionistas na maquiagem e contrapõe cenas estáticas a outras de movimento acrobático. No cenário, recriado por Joel de Carvalho, praticáveis ligados por escadas servem para figurar os diferentes planos de existência através dos quais as personagens se comunicam. Do elenco, participam Tereza Raquel (1939), também produtora do espetáculo, José Wilker (1946-2014), Rogério Fróes, entre outros.

Yan Michalski ressalta a unidade artística do espetáculo: "[...] trata-se de uma realização de uma seriedade admirável, que não faz a menor concessão ao efeito superficial. A forma não é aqui venerada como uma finalidade desligada do conteúdo; ela é pacientemente conquistada, passo a passo, junto com o conteúdo, com o qual ele se funde num bloco granítico e indivisível".2

Notas

1. MICHALSKI, Yan. O mundo despedaçado de "A Mãe" (I). In:_____. Reflexões sobre o teatro brasileiro. Organização de Fernando Peixoto. Rio de Janeiro: Funarte, 2004. p. 170-171.

2. MICHALSKI, Yan. O mundo despedaçado de "A Mãe" (II). In:_____. Reflexões sobre o teatro brasileiro. Organização de Fernando Peixoto. Rio de Janeiro: Funarte, 2004. p. 172-174.

 

Ficha Técnica

Abrir módulo
Autoria
Stanislaw Witkiewicz

Tradução
Arnaldo Carrilho
Roberto de Cleto
Sônia Carrilho

Direção
Claude Régy

Cenografia
Joel de Carvalho (Prêmio Estadual de Cenografia)

Figurino
Joel de Carvalho

Elenco
Aderbal Freire-Filho / Anton Bidehomo
Antônio Marcelo / Operário
Hildegard Angel / Sofia
João Carijó / La Tréfoiulle
Jorge Cândido / O Desconhecido; A Voz do Pai
José Gonçalves / Operário
José Wilker / Leon, O Filho
Maria Francisca / Baronesa de La Porquery
Maria Rita / Dorotéia
Myriam Carmen / Lucyna Beer
Oswaldo Louzada / Apolinário Pestius
Paulo Goya / Kucharski Prostatovitch
Rogério Fróes / Vacanowski
Tereza Rachel / Nina Cobraska, A Mãe

Obras 1

Abrir módulo
Registro fotográfico autoria desconhecida

Fontes de pesquisa 3

Abrir módulo
  • A MÃE. Rio de Janeiro: CEDOC / Funarte. Dossiê Espetáculos Teatro Adulto.
  • MICHALSKI, Yan. O mundo despedaçado de A Mãe. (I e II) In: PEIXOTO, Fernando (Org.). Reflexões sobre o teatro brasileiro no século XX. Rio de Janeiro: Funarte, 2004.
  • OSCAR, Henrique. A Mãe: o espetáculo. Diário de Notícias, Rio de Janeiro, 3 set. 1971.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: