Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.

Enciclopédia Itaú Cultural
Teatro

A Ronda dos Malandros

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 19.10.2022
17.05.1950 Brasil / São Paulo / São Paulo – Teatro Brasileiro de Comédia
Registro fotográfico Fredi Kleemann

A Ronda dos Malandros, 1950
Fredi Kleemann
Acervo Idart/Centro Cultural São Paulo

Montagem do Teatro Brasileiro de Comédia (TBC), para The Beggar's Opera, de John Gay (1685-1732), dirigida por Ruggero Jacobbi (1920-1981), e que motivou seu desligamento da empresa.

Texto

Abrir módulo

Montagem do Teatro Brasileiro de Comédia (TBC), para The Beggar's Opera, de John Gay (1685-1732), dirigida por Ruggero Jacobbi (1920-1981), e que motivou seu desligamento da empresa.

O encenador Ruggero Jacobbi confessa, anos mais tarde, que pretendia montar a versão de Bertolt Brecht (1898-1956) e Kurt Weill (1900-1950) mas, temendo conflitos com a Censura, opta pelo original de John Gay. Escrita em 1728, essa opereta neoclássica focaliza a triunfante indústria da miséria, em Londres: um casal de escroques contrata pobres e maltrapilhos para perambularem pelas ruas como pedintes de esmola. O produto dos lucros, convenientemente dividido com o Chefe de Polícia, assegura a sobrevivência dos envolvidos no golpe. Um bandido, MacHeath, apaixona-se pela filha do casal, casando-se com ela às escondidas. Preso, é finalmente libertado, por ordem da Rainha, para que tudo acabe bem e os negócios não sejam prejudicados.

Traduzida e adaptada por Maurício Barroso (1925-2002) e Carla Civelli (1920-1977), mulher de Jacobbi, a versão encenada inclui alguns versos de Cruz e Sousa (1861-1898), abrasileirando ainda mais o enredo, tratado propositadamente de modo atemporal pela encenação. A cenografia e os figurinos de Tulio Costa referem-se a estilos e tempos diversos, ressaltando o tom farsesco que constitui o fundamento de toda a proposta.

Os principais papéis são encenados por Cacilda Becker (1921-1969), Nydia Licia (1926-2015), Sergio Cardoso (1925-1973), Ruy Affonso (1920-2003), Marina Freire (1910-1974), Elizabeth Henreid (1982-2006) e Marisa Marcos, contando a montagem com numeroso elenco de apoio.

A encenação, todavia, é suspensa ao fim de três semanas, embora os números do borderô apontem para um relativo sucesso. Existem controvérsias sobre esse incidente. Para o crítico e historiador Alberto Guzik (1944-2010) "as motivações são ideológicas: a montagem punha o dedo num problema espinhoso para as elites, motivando intermináveis controvérsias entre os membros da associação que dirigia o empreendimento".1 Para o crítico Décio de Almeida Prado (1917-2000), contudo, "o problema era mesmo artístico: a montagem era ruim, motivando o conflito entre a direção administrativa e a artística".2

Interessado num teatro popular e com indisfarçável inclinação por um teatro socialmente empenhado, Jacobbi adapta-se mal ao espírito cosmopolita do TBC e a seu programa estético e, para permanecer fiel às suas idéias, demite-se da companhia.

Notas

1. GUZIK, Alberto. TBC: crônica de um sonho. São Paulo: Perspectiva, 1986. p. 41.

2. PRADO, Décio de Almeida. TBC: o Teatro Brasileiro de Comédia revê seus 50 anos. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 10 out. 1998. Caderno 2, p. D-7.

Ficha Técnica

Abrir módulo
Autoria
John Gay

Tradução
Carla Civelli
Maurício Barroso

Adaptação
Carla Civelli
Maurício Barroso

Direção
Ruggero Jacobbi

Direção (assistente)
Ruy Affonso

Cenografia
Tulio Costa

Figurino
Tulio Costa

Elenco
A. C. Carvalho / Pó de Mosquito
Cacilda Becker / Polly
Elizabeth Henreid / Mimi, A Princesa
Frank Hollander / 1º Guarda
Fredi Kleemann / Mão de Luva
Glauco De Divitiis / Joe Ferrolho
Hollanda Maria / Betty Preguiça
Ildo Pássaro / 2º Guarda
Marina Freire / Madame Aranha
Marisa Marcos / Jenny Pimenta
Maurício Barroso / Walter Tristeza
Maury Lopes / Carrasco
Milton Ribeiro / Billy Chaveco
Nydia Licia / Lucy
Rachel Moacyr / Lady Diana
Ricardo Campos / Tommy Coringa
Ruy Affonso / Bob Casanova
Sergio Cardoso / MacHeath
Victor Merinov / Mensageiro
Waldemar Wey / Johnny Aranha
Zilah Maria / Rosalind
Zilda Hamburger / Dolores

Produção
Franco Zampari

Obras 1

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 4

Abrir módulo
  • A RONDA dos Malandros. São Paulo: Teatro Brasileiro de Comédia (TBC), 1950. 1 programa do espetáculo realizado em 17 mai. 1950.
  • GUZIK, Alberto. TBC: crônica de um sonho. São Paulo: Perspectiva, 1986.
  • GUZIK, Alberto; PEREIRA, Maria Lúcia (Org.). Teatro Brasileiro de Comédia. Dionysos, Rio de Janeiro, n. 25, set. 1980. Edição especial.
  • PRADO, Décio de Almeida. O teatro brasileiro moderno. 2.ed. São Paulo: Perspectiva, 1996. (Debates, 211).

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: