Artigo da seção eventos O Concílio do Amor

O Concílio do Amor

Artigo da seção eventos
Teatro  
Data de inícioO Concílio do Amor: 16-11-1989
Local de realização: (Brasil / São Paulo / São Paulo) | Instituição de realização: Centro Cultural São Paulo (CCSP)
Tipo do evento: espetaculo
Imagem representativa do artigo

O Concílio do Amor , 1989 , Ary Brandi
Registro fotográfico Ary Brandi

Histórico

Montagem de Gabriel Villela, segunda encenação profissional do diretor, em parceria com o grupo Boi Voador, utilizando os porões do Centro Cultural São Paulo.

A peça de Oscar Panizza é considerada uma blasfêmia anti-católica à época de seu lançamento, em 1895, levando o dramaturgo à prisão. A trama, perpassada de ironia, sarcasmo e virulência contra as hipócritas restrições impostas pela religião, coloca Deus, Nossa Senhora e o Diabo como articuladores de uma vingança contra a Humanidade, afundada em luxúria, à época da suntuosa corte do papa Alexandre VI. O Demônio, como modo de punir na raiz tantos malefícios, cria a sífilis, condenando os pecadores a sucumbirem ao permanecerem em pecado.

A encenação de Gabriel Villela estabelece evidentes conotações com a AIDS, embora sua realização não seja funérea ou mórbida. Uma linguagem barroca, pontuada de canções e remissões à imagética católica, estrutura a maior parte das marcações, conferindo ao todo um misto de referências cultas e populares.

Explorando com habilidade os grandes vãos abertos nos porões do Centro Cultural São Paulo, a montagem materializa seu pretendido tom grandiloqüente e atemporal, numa ambientação cenográfica assinada pelo próprio encenador.

Destacam-se no numeroso elenco Jairo Mattos, Luiz Rossi, Charles Lopes, Maria do Carmo Soares, Jair Assumpção e Davi Taiu.

Sobre a realização, o crítico Alberto Guzik tece seus comentários: "O grupo Boi Voador, com a produção de O Concílio do Amor, amplia as sólidas bases que fazem dele um dos grupos experimentais de maior relevo com que contamos hoje. (...) O espetáculo, montado nos porões do Centro Cultural São Paulo, aproveita a teatralidade fantástica da arquitetura do local para conseguir belos efeitos. Mesmo trabalhando em condições de produção adversas, o grupo Boi Voador alinhavou uma montagem de grande plasticidade e extraordinário impacto. Gabriel Villela (...) sublinhou o aspecto paródico, a forte sátira de Oskar Panizza. Se com isso perde uma parte da força iconoclasta do original, por outro lado acentua os ângulos críticos da obra".1

Notas

1. GUZIK, Alberto. Maldito e ousado: é o Concílio no palco. Jornal da Tarde, São Paulo, p. 27, 21 nov. 1989.

Ficha Técnica do evento O Concílio do Amor:

Representação (1)

Espetáculos (1)

Fontes de pesquisa (3)

  • GUZIK, Alberto. Maldito e ousado: é o Concílio no palco. Jornal da Tarde, São Paulo, p. 27, 21 nov. 1989.
  • O CONCÍLIO DO AMOR. Direção Gabriel Villela. São Paulo, 1989. 1 folder. Programa do espetáculo, apresentado no Centro Cultural São Paulo em novembro de 1989.
  • RIOS, Jefferson del. O Concílio do Amor, com um toque experimental. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 20 nov. 1989. Caderno 2, p. 2.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • O Concílio do Amor. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/evento388422/o-concilio-do-amor>. Acesso em: 16 de Set. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7