Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Emoção Art.ficial

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 12.06.2020
11.08.2002 - 13.10.2002 Brasil / São Paulo / São Paulo – Itaú Cultural
Emoção Art.ficial é um evento de arte e tecnologia promovido pelo Laboratório de Mídias Interativas do Instituto Itaú Cultural – Itaulab. Surge como desdobramento do programa de fomento a criação e pesquisa em arte e tecnologia. Iniciado em 1999, o programa Rumos Arte e Tecnologia. Parte de um contexto de grandes exposições relacionadas ao tema,...

Texto

Abrir módulo

Emoção Art.ficial é um evento de arte e tecnologia promovido pelo Laboratório de Mídias Interativas do Instituto Itaú Cultural – Itaulab. Surge como desdobramento do programa de fomento a criação e pesquisa em arte e tecnologia. Iniciado em 1999, o programa Rumos Arte e Tecnologia. Parte de um contexto de grandes exposições relacionadas ao tema, como Arte no Século XXI: humanização das tecnologias (1995), no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC/USP) e Invenção: pensando o próximo milênio (1999), no Instituto Itaú Cultural.

A edição inaugural do evento é em 2002,  e a final, em 2012. Concebido para ser uma Bienal Internacional de Arte e Tecnologia, traz a público uma exposição e um simpósio contendo uma série de palestras e debates sobre de questões emergentes no campo da arte e tecnologia. Ao longo das seis edições, acumula público de mais de 400 mil visitantes, reunindo obras cujas problemáticas são ampliadas pelos debates de artistas e pensadores dedicados à compreensão dos fenômenos artísticos contemporâneos.

A primeira edição da bienal, que apresenta “michoships, displays, sensores e softwares” num “espaço antes reservado a telas, tintas e pincéis”1, valoriza o trabalho de media centers do mundo todo ao convidar 14 laboratórios de arte cujos trabalhos e pesquisas concentram-se no uso e desenvolvimento de novas mídias: Ars Electronica Futurelab, Áustria; Art+Com, Alemanha; Banff New Media Institute, Canadá; Daniel Langlois Fondation, Canadá; Experimenta Media Arts, Austrália; Iamas, Japão; Laboratorio Arte Alameda, México; Mars, Alemanha; Media Centre d´Art i Disseny (Mecad), Espanha; Sarai-Csds-Raqs, Índia; V2_Organisation, Holanda; Wro, Polônia; Zkm, Alemanha e Itaulab, Brasil. Essa estratégia de aproximação com laboratórios e centros de pesquisa é mantida ao longo das edições seguintes, que passam a ser temáticas.

Com o tema Divergências Tecnológicas, a segunda edição, de 2004 – [Emoção Art.ficial 2.0] – com curadoria de Arlindo Machado (1949) e Gilbertto Prado (1954) e colaboração de Jeffrey Shaw (1944), reúne mais de 30 obras – entre instalações, CDs, DVDs e sites. A discussão  delas concentra-se no uso das tecnologias em contextos marcados por diferenças sociais, como a glorificação da tecnologia e seu uso privilegiado pela elite cultural.

Com o tema Interface Cibernética, a terceira edição, de 2006 – [Emoção Art.ficial 3.0] – inaugura uma trilogia de discussões sobre Cibernética. O evento explora a relação do corpo humano com a máquina e fomenta a discussão sobre a interface como meio de contato entre diferentes sistemas: homem-máquina e máquina-máquina.  

A quarta edição, de 2008, sob o título Emergência! – [Emoção Art.ficial 4.0] – questiona realidades imprevisíveis e complexas de sistemas naturais e computacionais quando submetidos a um conjunto de regras simples. Traz obras que geram situações não previstas por seus criadores como “um balé cibernético executado por robôs humanoides, um robô pintor, uma esfera ‘endofísica’ e as criaturas de um game darwiniano”; além de “bactérias em forma de palavras, complexos ambientes de vida artificial, vídeos on-line reeditados e esculturas de arte generativa”2.

Na quinta edição, de 2010 – [Emoção Art.ficial 5.0] o evento estuda a Autonomia Cibernética, finalizando a trilogia sobre cibernética. Neste ano, apresenta trabalhos que estabelecem suas próprias regras de interação, aprofundando a discussão sobre mediação, interatividade e o papel das interfaces entre diferentes tipos de agentes – biológicos e virtuais. Os trabalhos selecionados produzem processos não previstos – fenômeno da emergência –, e  apresentam sistemas capazes de monitorar e avaliar os comportamentos das partes que compõem a obra, reorientando o sistema da criação artística. O objetivo é mostrar como os sistemas, as próprias obras de arte, tornam-se criadores de novos processos, estabelecendo uma segunda ordem. As obras revelam a possibilidade de autonomia cibernética, independente da ação humana.

A sexta e última edição, de 2012 – [Emoção Art.ficial 6.0] – trabalha com a perspectiva  da tecnologia na vida cotidiana, permeada por dispositivos tecnológicos e por sistemas de informação. Apresenta dez trabalhos que visam criar um “espaço de convivência”. Alguns sobre plataformas que exploram novos recursos e mídias, marca do evento, e outros em linguagens consideradas tradicionais, como cinema e vídeo. A interatividade desloca-se do uso de sistemas e dispositivos para possíveis relações e encontros estimulados pelas obras, cuja poética é naturalmente assimilada pelos visitantes-espectadores.

Notas

1. EMOÇÃO Art.ficial. Tradução Jayme Alberto da Costa Pinto. São Paulo: Itaú Cultural, 2002. Exposição realizada no período de 11 ago. a 13 out. 2002.
2. EMOÇÃO art.ficial 4.0: emergência!. São Paulo: Itaú Cultural, 2009. Exposição realizada no período de 02 jul. a 14 set. 2008.

 

Ficha Técnica

Abrir módulo

Exposições 5

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 6

Abrir módulo
  • EMOÇÃO Art.Ficial 6.0. São Paulo: Itaú Cultural, 2013. Disponível em: https://issuu.com/itaucultural/docs/catalogo. Acesso em: 12 jun. 2020.
  • EMOÇÃO Art.ficial 2.0: divergências tecnólogicas. Curadoria Arlindo Machado, Gilbertto Prado. São Paulo: Itaú Cultural, 2004. Exposição realizada no período de 02 jul. a 19 set. 2004.
  • EMOÇÃO Art.ficial 3.0: interface cibernética. São Paulo: Itaú Cultural, 2007. Exposição realizada no período de 18 jul. a 24 set. 2006.
  • EMOÇÃO Art.ficial. Tradução Jayme Alberto da Costa Pinto. São Paulo: Itaú Cultural, 2002. Exposição realizada no período de 11 ago. a 13 out. 2002.
  • EMOÇÃO art.ficial 4.0: emergência!. São Paulo: Itaú Cultural, 2009. Exposição realizada no período de 02 jul. a 14 set. 2008.
  • EMOÇÃO art.ficial 5.0: autonomia cibernética. Tradução Otacílio Nunes, John Norman. São Paulo: Itaú Cultural, 2010. Exposição realizada no período de 01 jul. a 05 set. 2010.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: