Artigo da seção termos e conceitos Lápis

Lápis

Artigo da seção termos e conceitos
Artes visuais  

Definição

O minério de grafita (grafite), que serve para escrever, desenhar e riscar, foi descoberto numa mina, nas montanhas de Cumberland, Inglaterra, e começou a ser usado, com esse fim, enrolado em peles de carneiro. Os primeiros lápis de madeira são fabricados em 1662, pela Inglaterra, que os vendia para toda a Europa. Por volta de 1839, o imperador francês Napoleão Bonaparte (1769-1821) pede aos cientistas de seu país que encontrem outras alternativas para os produtos ingleses, em falta por motivos relacionados à guerra entre os dois países, e o químico Nicolas-Jacques Conté (1755-1805) consegue produzir o grafite duro, a partir da mistura de argila e grafite moídos até formarem uma pequena vara, que depois era queimada. Atualmente, o grafite pode ser revestido por madeira, plástico ou metal, mas o termo lápis é usado, principalmente, para identificar aqueles revestidos de madeira, incluíndo os lápis coloridos, cujo miolo é feito de argila de diversas cores. O termo também é usado para designar o tipo de desenho ou pintura feitos com esse material.

Fontes de pesquisa (4)

  • A INVENÇÃO da Pintura. Direção Pierre Marchand. São Paulo: Melhoramentos, 1994.
  • HOUAISS, Antonio. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.
  • LUCIE-SMITH, Edward. Dicionário de Termos de Arte. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1990.
  • MARCONDES, Luiz Fernando. Dicionário de Termos Artísticos. Rio de Janeiro: Rio, 1998.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • LÁPIS . In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/termo3799/lapis>. Acesso em: 13 de Dez. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7