Artigo da seção termos e conceitos Artes Liberais

Artes Liberais

Artigo da seção termos e conceitos
Artes visuais  

Definição
Conceito aplicado às disciplinas chamadas trivium - gramática, retórica e lógica - e quadrivium  - aritmética, geometria, música e astronomia - introduzido por Marciano Capella, no século V, com a publicação de sua famosa obra De nuptiis Mercurii et Philologiae. Nela são estabelecidas as sete disciplinas liberais dignas dos homens livres, sendo um grupo dedicado à palavra e outro à ciência dos números e medidas. Durante o século XV, Leon Battista Alberti (1404-1472), publica o livro De pictura (1436), seguido de De statua (1464) e De re edificatória (1485). O pintor e escritor italiano tenta conquistar para as artes visuais um novo lugar na sociedade, defendendo-a e explicando-a intelectualmente - através de tratados como os que defendiam a poesia - de forma inédita. A partir do início do século XVI, disciplinas como História, Filosofia Moral e Literatura passam a integrar as artes liberais e a fazer parte da educação considerada ideal para o homem daquela época. Pintura, escultura e arquitetura, consideradas artes vulgares por sua relação com os trabalhos manuais, elevam-se ao universo das artes liberais com a ajuda dos humanistas italianos, principalmente de Leonardo da Vinci (1452-1519) que, a partir do argumento de Alberti, luta com mais empenho e disciplina, pela dignidade da pintura e por uma nova posição social para o artista, que deve ser aceito como um criador, dotado de inteligência e nobreza, e não mais como alguém limitado ao trabalho manual.

As atividades classificadas como artes mecânicas são socialmente desprestigiadas e pouco honrosas, enquanto os profissionais ligados às artes liberais gozam de honras, distinções e privilégios. Com a ascensão da atividade artística à categoria das artes liberais, os artistas passam a ocupar uma nova posição hierárquica na sociedade, ganhando poder e respeito. No século XVIII, as principais artes liberais são a pintura, a escultura, a arquitetura, a navegação, a retórica, a poesia, a geometria, a picaria (arte da equitação), a impressão e a cunhagem de moedas.

Fontes de pesquisa (5)

  • CARREIRA, Eduardo (org.). Os Escritos de Leonardo da Vinci sobre a arte da pintura. Comentário Eduardo Carreira; tradução Eduardo Carreira. Brasília: UnB, 2000.
  • CHILVERS, Ian (org.). Dicionário Oxford de arte. Tradução Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Martins Fontes, 1996.
  • GRASSI, Luigi; PEPE, Mario. Dizionario della Critica d'Arte. Torino: UTET, 1978. Volume 1.
  • HOUAISS, Antonio. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.
  • MONGELLI, Lênia Márcia (coord.). Trivium e Quadrivium: as artes liberais na Idade Média. Cotia: Íbis, 1999.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ARTES Liberais. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/termo32/artes-liberais>. Acesso em: 20 de Jun. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7