Artigo da seção pessoas Alex Vallauri

Alex Vallauri

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deAlex Vallauri: 1949 Local de nascimento: (Eritréia / Asmara) | Data de morte 27-03-1987 Local de morte: (Brasil / São Paulo / São Paulo)
Imagem representativa do artigo

Sem Título , s.d. , Alex Vallauri
Reprodução fotográfica Romulo Fialdini

Biografia
Alex Vallauri (Asmara Etiópia 1949 - São Paulo SP 1987). Grafiteiro, artista gráfico, gravador, pintor, desenhista e cenógrafo. Chega ao Brasil em 1965 e se estabelece em Santos, São Paulo, transferindo-se depois para a capital paulista. Ainda em Santos, inicia-se em xilogravura e é premiado no Salão de Arte Jovem, em 1968.

Em 1970, expõe individualmente na Associação Amigos do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM∕SP). No ano seguinte, forma-se em comunicação visual pela Fundação Armando Alvares Penteado (Faap) e, dois anos depois, torna-se professor de desenho de observação e livre expressão da mesma escola. Especializa-se em litografia no Litho Art Center de Estocolomo, Suécia, em 1975.

A partir de 1978, de volta ao Brasil, realiza grafites e trabalha com stencils1 em São Paulo. Realiza individual na Pinacoteca do Estado de São Paulo em 1981. Vive em Nova York, onde cursa artes gráficas no Pratt Institute, entre 1982 e 1983. Participa da Bienal Internacional de São Paulo em 1971, 1977, 1981 e 1985, quando mostra a série A Rainha do Frango Assado, tema de instalação neste último evento. Em 1988, sua obra é tema da retrospectiva Viva Vallauri, realizada no Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo.

Comentário Crítico
Alex Vallauri chega ao Brasil em 1965 e estabelece-se em Santos. Nessa época, produz registros gráficos de alto contraste, cujos temas são personagens do porto, como estivadores e prostitutas.

Na década de 1970, em São Paulo, Vallauri desenvolve uma linguagem gráfica evocativa da pop art, elaborando xilogravuras de grandes dimensões que ganham o espaço público, como Boca com Alfinete (1973), de evidente teor político. Objetos e o corpo humano - ou fragmentos dele - são temas privilegiados dessas intervenções.

Em fins dessa década, e dando continuidade à mesma exploração de uma iconografia que remete à cultura de massa dos anos 1950, adota o graffiti como linguagem, concebendo personagens que remetem àqueles das histórias em quadrinhos e, em especial, às pin-ups. O stencil é largamente empregado. Também se apropria de figuras conhecidas das histórias em quadrinhos, como o personagem Mandrake, de Lee Falk. As imagens são transferidas para o papel e ganham o espaço da arte postal e dos livros de artista.

Em 1985, apresenta na Bienal Internacional de São Paulo a instalação A Festa da Rainha do Frango Assado, uma reunião dos graffiti com os quais vinha trabalhando aliada a objetos, simulando os ambientes de uma casa repleta de ícones da sociedade de consumo. A ironia da obra se mostra nessa concepção de um espaço de frivolidades com base em uma cenografia absolutamente precária, apontando para o caráter descartável da modernidade.


Notas 

1Moldes de papelão com máscaras que recebem tinta em spray.

Outras informações de Alex Vallauri:

  • Outros nomes
    • Alessandro Marco Vallauri
    • Alex Valaury
    • Alessandro Vallauri
    • Alex Vallaury
  • Habilidades
    • grafiteiro
    • artista gráfico
    • pintor
    • desenhista
    • artista multimídia
    • cenógrafo
    • gravador

Obras de Alex Vallauri: (13) obras disponíveis:

Exposições (79)

Artigo sobre Foto/Idéia (1981 : São Paulo, SP)

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de inícioFoto/Idéia (1981 : São Paulo, SP): 04-11-1981  |  Data de término | 30-11-1981
Resumo do artigo Foto/Idéia (1981 : São Paulo, SP):

Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (Ibirapuera, São Paulo, SP)

Todas as exposições

Fontes de pesquisa (18)

  • PINACOTECA do Município de São Paulo: Coleção de Arte da cidade. Apresentação Carlos Augusto Calil; Texto Maria Camila Duprat Martins, Stella Teixeira de Barros, Evando Piccino et. al. São Paulo: Banco Safra, 2005. 356 p.
  • DRÄNGER, Carlos (coord.). Pop Brasil: arte popular e o popular na arte. Curadoria Paulo Klein; tradução João Moris, Beatriz Karan Guimarães, Maurício Nogueira Silva; texto Paulo Klein, Jean Boghici, Ladi Biezus et al. São Paulo: CCBB, 2002. 130 p.  SPccbb 2002/pb
  • A GRAVURA brasileira. Apresentação Wolfgang Pfeiffer; texto Walmir Ayala, José Roberto Teixeira Leite, Jayme Maurício, Geraldo Ferraz. São Paulo : Paço das Artes, 1970.
  • ARTE xerox Brasil. Apresentação Jorge da Cunha Lima; texto Maria Cecília França Lourenço, Hudinilson Jr. e Rosita Gouveia. São Paulo : Pinacoteca do Estado, 1984.
  • ASSIS Chateaubriand - UEPB. Campina Grande : MAAC, 1993.
  • AYALA, Walmir (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1980. v.4: Q a Z. (Dicionários especializados, 5).
  • ESPELHO cego : seleções de uma coleção contemporânea. Tradução Rogério Hafez; apresentação Milú Villela. São Paulo : MAM, 2001.
  • KLINTOWITZ, Jacob. Brasil: a arte de hoje. São Paulo : Galeria São Paulo, 1983.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988. 555 p. R759.981 L533d
  • MEDEIROS, Jotabê. Galeria mostra todos os muros de Alex Vallauri. São Paulo, O Estado de São Paulo, 14/03/2000, Caderno 2, D14.
  • PINTURA fora do quadro : 10 artistas contemporâneos. Brasília : Espaço Capital Arte Contemporânea, 1987.
  • REPRESENTAÇÃO, presenças decisivas. Texto Vitória Daniela Bousso. São Paulo, Paço das Artes, 1993.
  • ROTA-ROSSI, Beatriz. Alex Vallauri. Santos: Unisanta, 2007.
  • TENDÊNCIAS DO LIVRO de artista no Brasil. Textos Annateresa Fabris e Cacilda Teixeira da Costa. São Paulo: CCSP, 1985.
  • VALLAURI, Alex. Alex Vallauri. Apresentação de Maurício Villaça. São Paulo: Galeria Cesar Aché, 1985.
  • VALLAURI, Alex. Alex Vallauri: graffite. Jundiaí: Museu Histórico e Cultural de Jundiaí, 1988.
  • VALLAURI, Alex. Desenhos e gravuras. Curadoria João J. Spinelli; apresentação João J. Spinelli. São Paulo, folha dobrada, il., 1998.
  • WEISS, Ana. Viva Vallauri!. São Paulo, O Estado de São Paulo, 16/12/1998, Caderno 2, D12.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ALEX Vallauri. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa9831/alex-vallauri>. Acesso em: 29 de Abr. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7