Pessoas

Britto Velho

Outros Nomes: Carlos Carrion de Britto Velho | Carlos Carrion de Brito Velho
  • Análise
  • Carlos Carrion de Britto Velho (Porto Alegre RS 1946). Pintor, desenhista, gravador, professor e escultor. Muda-se para Buenos Aires (Argentina) e reside dos onze aos dezenove anos na cidade, onde faz as primeiras pinturas. Em 1965 retorna a Porto Alegre, onde expõe pela 1ª vez em 1971. Estuda litografia com Danúbio Gonçalves, em 1974. No ano seguinte, viaja a Paris (França) e faz estágio na gráfica de litografia Desjobert. Na cidade pinta a série Reflexões e Variações sobre a América Latina, onde as figuras em cores escuras surgem vendadas e com microfones, que segundo o artista representam uma denúncia à ditadura da época. Fica em Paris até 1976, quando volta ao Brasil e passa a lecionar pintura no Ateliê Livre da Prefeitura de Porto Alegre, entre 1978 e 1981. Nessa época ocorre uma mudança em seu trabalho. As figuras passam a ter olhos novamente e como no início de sua carreira, são pintadas em tonalidades mais claras. Em 1981, as figuras ganham um 3º olho, o que segundo o artista significa o olho da visão interior. Nas pinturas, interagem o homem, animais e objetos do cotidiano, como elefantes de rodas, transformando-se em veículos e esses possuindo membros humanos. A partir daí em todas as pinturas observam-se os três olhos, até 1995, quando volta a pintar figuras com dois olhos. É convidado pela Rede Brasil Sul de Comunicações de Porto Alegre a fazer um outdoor para o projeto Vamos Colorir a Cidade. Muda-se para São Paulo em 1985 e no ano seguinte participa da 2ª Bienal de Havana. Participa do Projeto Extremos, uma exposição de pintura com Aprígio Fonseca, Dina Oliveira e Leonel Mattos, montada em 10 capitais brasileiras. É convidado pelo Sesc Pompéia em São Paulo a realizar o cartaz da exposição Gente de Fibra, mostra de que participa com esculturas. Em 1991, volta a morar em Porto Alegre, onde recebe homenagens do Museu de Arte Contemporânea de Porto Alegre - MAC e do Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli - Margs que dão destaque a sua obra. Nessa época realiza a retrospectiva O Realismo Mágico de Britto Velho, com obras desde 1975. Vive atualmente em Porto Alegre, onde ministra cursos particulares de pintura em seu ateliê.

Exposições

Fontes de Pesquisa

ARTE gaúcha hoje: desenho, gravura, pintura, proposta. Apresentação Roberto Valfredo Bicca Pimentel. Porto Alegre: Margs, 1982. 31 p., il. p&b. 


EXTREMOS: Aprigio, Britto Velho, Dina Oliveira e Leonel Mattos. São Paulo: Espaço Cultural Cásper Líbero, 1987. 44 p., il. color., fot.


GENTE de fibra. Texto Alberto Beuttenmüller. São Paulo: Sesc, 1990. 1 folha dobrada, il.


GRUPO Gaúcho: pintura. São Paulo: Centro Cultural Bonfiglioli, 1985. fotos p., il. color.


NOVE artistas plásticos gaúchos. Apresentação Carlos de Noronha Feyo. Porto Alegre: Empresa Portoalegrense de Turismo-EPATUR, 1976. [12 p.], s.il.


PINTURAS: grupo gaúcho: Maria Lídia Magliani, Carlos Carrion de Britto Velho, Ana Alegria, Enio Lippmann, Luiz Barth. Apresentação de Angélica de Moraes. São Paulo: Centro Cultural Bonfiglioli, 1985.


SALÃO Nacional de Artes Plásticas, 6., 1983, Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: MAM, 1983. , s. il.


SALÃO Paulista de Arte Contemporânea, 2. , 1984, São Paulo. São Paulo: Paço das Artes, 1984.


SALÃO Paulista de Arte Contemporânea, 4., 1986, São Paulo. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1986. il. p.b. color.


SESC escultura 96. Porto Alegre: Sesc, 1996. 16p.


VELHO, Britto. Britto Velho - Pinturas: catálogo. São Paulo; Porto Alegre: MAM/SP; Mônica Filgueiras Galeria; Bolsa de Arte de Porto Alegre, 1994.


VELHO, Britto. Carlos Carrion de Britto Velho: pinturas. São Paulo: Paço das Artes, 1988. il. color., foto p.b.


VELHO, Britto. Carlos Carrioni de Britto Velho: pintura e gravura. Porto Alegre: Cambona Centro de Arte, 1985. il. p.b. color., fot.


VELHO, Britto. O Realismo mágico de Britto Velho. Porto Alegre: Espaço Cultural BFB, 1991. , il. color., foto p&b.