Pessoas

Antonio Poteiro

Outros Nomes: Antonio Batista de Souza | Antonio Batista de Sousa | ntônio Poteiro | Antonio Baptista de Souza | Antônio Batista de Souza
  • Análise
  • Biografia
    Antonio Batista de Souza (Aldeia de Santa Cristina da Pousa, Braga, Portugal 1925 - Goiânia GO 2010). Escultor, pintor, ceramista.  Imigra com a família para São Paulo em 1926. Mais tarde, reside em Araguari e Uberlândia, em Minas Gerais, onde inicia a atividade de ceramista, realizando peças utilitárias. Monta duas fábricas de cerâmica, que vão à falência, e passa um longo período entre os índios na Ilha do Bananal, em Goiás. Passa a residir em Goiânia. Em 1957, adota o apelido de Antonio Poteiro por sugestão da folclorista Regina Lacerda, que o orienta a assinar seus bonecos de barro. Gradualmente passa a apresentar, em suas obras, motivos regionais e temas bíblicos. Em 1972, já como conhecido ceramista, é estimulado a pintar por Siron Franco (1947) e Cleber Gouvêa (1942). Expõe seus trabalhos em mostras no Brasil e no exterior. Leciona cerâmica no Centro de Atividades do Sesc e nas cidades de Hannover e Düsseldorf, na Alemanha. Em 1985, recebe o prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte - APCA, na categoria escultura. Em 1997, é homenageado com a Comenda da Ordem do Mérito Cultural, do Ministério da Cultura, Brasil.

    Comentário Crítico
    Antonio Poteiro, após fazer por algum tempo cerâmica utilitária, começa a realizar pequenos bonecos de argila. Passa a dedicar-se também à pintura, incentivado por Siron Franco (1947), e desenvolve gradualmente a habilidade de colorista. Como aponta o crítico Olívio Tavares de Araújo, Poteiro mantém um estilo coerente, tanto nos procedimentos formais que desenvolve como no uso personalíssimo da cor. Seus temas são variados e abarcam desde a fauna do pantanal mato-grossense a assuntos de história religiosa, abordados de maneira original.

    Suas telas e cerâmicas são repletas de pequenas figuras de casas, animais, riachos, pessoas e detalhes ornamentais que preenchem todos os espaços vazios, e são tratados com minúcia e acuidade técnica. Realiza uma série abordando os 500 anos da História do Brasil, na qual mantém a visão pessoal e criativa dos temas, característica de seus trabalhos.

Conteúdos Relacionados

Pessoas

Exposições

Eventos

Fontes de Pesquisa

A. Poteiro, Sousa Netto: cerâmica e pintura. Apresentação José Roberto Magalhães Teixeira. Campinas: MAC - José Pancetti, 1993. [12 p.], il. p.b. color.

AQUINO, Flávio de. Aspectos da pintura primitiva brasileira. Tradução Richard Spock. Apresentação Geraldo Edson de Andrade. Rio de Janeiro: Spala, 1978. 195 p.

ARDIES, Jacques. A Arte naif no Brasil. Texto Geraldo Edson de Andrade. São Paulo: Empresa das Artes, 1998. 246 p.

ARTE e artistas plásticos no Brasil 2000. Posfácio Luiz Armando Bagolin. São Paulo: Meta, 2000. 227 p.

AYALA, Walmir. Dicionário de pintores brasileiros. Organização André Seffrin. 2. ed. rev. e ampl. Curitiba: Ed. UFPR, 1997. 428 p. R750.81 A973d 2.ed

BIENAL INTERNACIONAL DE SÃO PAULO, 16.,1981, São Paulo, SP. Arte incomum. Apresentação Walter Zanini; prefácio Victor Musgrave; tradução Laurence Patrick Hughes, Aldo Bocchini Neto. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1981. 113 p., il., p&b. color. pp.57-59.

BIENAL NAÏFS DO BRASIL, 3., 1996, Piracicaba, SP. Bienal Naïfs do Brasil. Introdução Abram Szajman; Coordenação Jesus Vasquez Pereira. Piracicaba: Sesc, 1996. (102) p., il. color.

BRASILIDADES. Versão em inglês Anton Berden, James Anderson; versão em francês Pascal Rúbio. Rio de Janeiro: Centro Cultural Light, 2000. [44 p.], il. p&b., color.

Currículo atualizado Não catalogada

DIAS, Etevaldo. A arte dos potes. In: BIENAL INTERNACIONAL DE SÃO PAULO, 21., 1991, São Paulo, SP. Catálogo geral. Apresentação Jorge Eduardo Stockler. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo : Marca D'Água, 1991. 405 p., il. p&b., color. p.185.

DRÄNGER, Carlos (coord.). Pop Brasil: arte popular e o popular na arte. Curadoria Paulo Klein; tradução João Moris, Beatriz Karan Guimarães, Maurício Nogueira Silva; texto Paulo Klein, Jean Boghici, Ladi Biezus et al. São Paulo: CCBB, 2002. 130 p.  SPccbb 2002/pb

FIGUEIREDO, Aline. Artes plásticas no Centro-Oeste. Apresentação Aline Figueiredo. Cuiabá: UFMT/MACP, 1979. 360 p., il. color.

LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988. 555 p.

LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988. 555 p. R759.981 L533d

LOUZADA, Maria Alice do Amaral; LOUZADA, Júlio. Artes plásticas Brasil 1999. São Paulo: Júlio Louzada, 1999. R702.9 L895a v. 11

MENEZES, Amaury. Da caverna ao museu: dicionário de artes plásticas em Goiás. Goiânia: Fundação Cultural Pedro Ludovico Teixeira, 1998. 268 p. R708.98173 M543a ex.2

MOSTRA DO REDESCOBRIMENTO, 2000, SÃO PAULO, SP; AGUILAR, Nelson (org.). Arte Popular: Mostra do Redescobrimento. Curadoria geral Nelson Aguilar; curadoria Emanoel Araújo, Frederico Pernambucano de Mello; tradução Grant Ellis, Izabel Murat Burbridge, John Norman, Paulo Henriques Britto. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo : Associação Brasil 500 anos Artes Visuais, 2000. 319 p.

MOSTRA do acervo. São Paulo: Sudameris Galleria, 1996. p.27 SPsuda 1996/m

O MUNDO fascinante dos pintores naifs. Rio de Janeiro : Paço Imperial, 1988. 211p. il. color.

PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. Rio de Janeiro: Edições Jornal do Brasil, 1987. 585 p.

POTEIRO, Antonio. 33 anos de cerâmica e pintura de Antonio Poteiro. Goiânia: Fundação Jaime Câmara, 1996. , s.p. il., figs., fot.

POTEIRO, Antonio. 33 anos de cerâmica e pintura de Antonio Poteiro. Goiânia: Fundação Jaime Câmara, 1996. P861 1996

POTEIRO, Antonio. Antonio Batista de Souza Poteiro. São Paulo: Galeria Nara Roesler, 1997. P861a 1997

POTEIRO, Antonio. Antonio Batista de Souza Poteiro. São Paulo: Galeria Nara Roesler, 1997. s.p., il. color.

POTEIRO, Antonio. Antonio Poteiro. Rio de Janeiro: Sesc, Centro de Atividade. 18 p., il. p&b color.

POTEIRO, Antonio. Antonio Poteiro. Sao Paulo: Galeria de Arte São Paulo, 1994. P861 1994

POTEIRO, Antonio. Antonio Poteiro: cerâmicas e pinturas. Sao Paulo: Galeria de Arte São Paulo, 1984. P861 1984

POTEIRO, Antonio. Antonio Poteiro: cerâmicas e pinturas. São Paulo: Galeria de Arte São Paulo, 1984.  il. p&b color.

POTEIRO, Antonio. Antonio Poteiro: pintura e cerâmica. Rio de Janeiro: Galeria Bonino, 1981. , il. p&b color.

POTEIRO, Antonio. Antonio Poteiro: pintura e cerâmica. Rio de Janeiro: Galeria Bonino, 1981. P861 1981

POTEIRO, Antonio. Antonio Poteiro: pinturas e cerâmicas. Rio de Janeiro: Galeria Bonino, 1983. , il. p&b color.

POTEIRO, Antonio. Antonio Poteiro: pinturas e cerâmicas. Rio de Janeiro: Galeria Bonino, 1983. P861 1983

POTEIRO, Antonio. Pintura - cerâmica. Apresentação Adriano de Carvalho. Brasília: Performance Galeria de Arte, 1987. [15] p., il. p&b, color.

SILVEIRA, PX (org.), MACHADO, Betúlia (org.). Arte hoje: o processo em Goiás visto por dentro. Comentário Brasigóis Felício. Rio de Janeiro: Marco Zero. 269 p., il. p&b, color. (MultiArte).

ZANINI, Walter (org.). História geral da arte no Brasil. Pesquisa Cacilda Teixeira da Costa, Marília Saboya de Albuquerque. São Paulo: Fundação Djalma Guimarães: Instituto Walther Moreira Salles, 1983. 1106 p. 2v.