Artigo da seção pessoas Gilberto Ferrez

Gilberto Ferrez

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deGilberto Ferrez: 1908 Local de nascimento: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro) | Data de morte 23-05-2000 Local de morte: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)

Biografia

Gilberto Ferrez (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1908 - Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2000). Pesquisador, fotógrafo, crítico de arte, colecionador, historiador e comerciante. Considerado um dos mais importantes colecionadores e pesquisadores da iconografia urbana brasileira no período colonial e imperial, além de ser pioneiro no estudo da história da fotografia no Brasil. Bisneto do escultor Zepherin Ferrez (1797-1851), neto do fotógrafo Marc Ferrez (1843-1923) e filho do comerciante e cineasta Júlio Ferrez (1881-1946), na juventude trabalha na administração do Cinema Pathé, a segunda sala de exibição de filmes no Rio de Janeiro, e na empresa de materiais fotográficos e cinematográficos Marc Ferrez, ambos estabelecimentos comerciais de sua família. Em 1927, vai para a Inglaterra para estudar a língua inglesa. Por volta de 1935, inicia sua coleção de livros raros e, com o interesse despertado pelo acervo de aproximadamente 3 mil chapas fotográficas do avô, passa a colecionar fotografias, desenhos, gravuras, pinturas, plantas arquitetônicas e mapas de cidades brasileiras do século XVI ao XIX. Em paralelo à atividade de comerciante, à qual se dedica toda a vida, realiza estudos sobre a evolução urbana e arquitetônica das mais antigas cidades do país. Membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), da Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA) e conselheiro do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Ferrez engaja-se no tombamento de monumentos arquitetônicos cuja restauração é baseada em seus estudos de iconografia. Também responsabiliza-se pela pesquisa que orienta a reforma do Paço Imperial, no Rio de Janeiro, na década de 1980. É condecorado com a Medalha da Ordem do Mérito Cultural, concedida pelo governo federal, em 1997.

Ferrez é autor de cerca de 40 livros. Apesar de ter publicado importantes trabalhos sobre Recife e Salvador, entre outras cidades brasileiras, e sobre a produção gráfica e pictórica de viajantes estrangeiros como François Froger, Richard Bate (1775-1856) e Eduard Hildebrandt (1881-1869), sua obra maior é a catalogação de imagens do Rio de Janeiro entre os séculos XVI e XIX. O pesquisador percorre arquivos de coleções públicas e privadas em todo o mundo em busca de mapas, plantas, desenhos, gravuras e pinturas que revelem o desenvolvimento urbano da capital carioca. Reúne imagens avulsas ou encontradas em álbuns, livros e periódicos, com valor iconográfico ou histórico para o estudo proposto. A maior parte delas são vistas urbanas, mas há também trabalhos que mostram vendedores ambulantes, a indumentária e o tipo de transporte utilizado em diferentes épocas, além de plantas raras de bairros e construções. O inventário inclui obras de artistas viajantes como Jean Cousin, Hans Staden, Frei André Thevet e Carlos Julião (1740-1811), que retratam o Rio de Janeiro nos séculos XVI, XVII e XVIII, período em que a corte portuguesa proíbe a reprodução da paisagem do Brasil. Reúne ainda trabalhos de artistas que chegam ao país após a vinda da Família Real, em 1808, e a consequente permissão para retratar a paisagem local, tais como Debret (1768-1848), Rugendas (1802-1858) e Thomas Ender (1793-1875). Na catalogação, o pesquisador registra o máximo de informações sobre a autoria, o título, a datação e o acervo em que estão depositadas as imagens.  Além disso, faz uma breve descrição da obra chamando a atenção para características do local e do momento histórico representados.

Esse trabalho resulta no álbum Iconografia do Rio de Janeiro (1530-1890) - Catálogo Analítico, publicado em 2000, poucos meses após o falecimento do autor. Em dois volumes, a obra apresenta uma coletânea de 238 imagens das 4.495 reunidas por Ferrez em cerca de 40 anos de pesquisas. O livro traz também a catalogação completa do inventário com dados sobre as imagens e descrições na íntegra. Segundo o estudioso: "Este rico acervo torna visível e compreensível o imenso labor do homem, drenando pântanos e lagoas, retificando rios e modificando o perfil da orla marítima, saneando baixadas, cortando e arrasando morros, tornando, enfim, a vida possível numa região onde a parte plana, enxuta, era quase inexistente. Seguimos, paulatinamente, o crescimento da cidade e a evolução arquitetônica de seus edifícios; a maneira de viver de seus habitantes, as modificações dos trajes, dos usos e costumes e dos meios de transporte; nas comemorações históricas e dias festivos; em suas trajetórias, em sua vida"1.

Gilberto Ferrez é o primeiro pesquisador a divulgar o trabalho de fotógrafos que atuam no Brasil durante o século XIX. Começa a colecionar e a escrever sobre o assunto num momento em que as instituições culturais brasileiras não conferem valor histórico e museológico à fotografia. Suas pesquisas são fundamentais para a gradativa aceitação da fotografia nos meios institucionais, acadêmicos e editoriais brasileiros.

Em 1946, publica o artigo A Fotografia no Brasil e um de Seus Mais Dedicados Servidores: Marc Ferrez na Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, considerado como o primeiro estudo sobre a história da fotografia no Brasil. O trabalho é editado em separata pelo mesmo periódico, em 1953, e passa a circular como um volume autônomo. Em 1948, publica no Anuário do Museu Imperial seu primeiro texto ilustrado com fotografias: Um Passeio a Petrópolis em Companhia do Fotógrafo Marc Ferrez. Edita o livro Velhas Fotografias Pernambucanas 1841-1900, em 1956.  Sua contribuição como historiador da fotografia é consolidada em 1984, quando o estudo pioneiro de 1946 é ampliado e reeditado com o título A Fotografia no Brasil 1840-1890, pela Fundação Nacional de Arte (Funarte) e pela Fundação Nacional Pró-Memória, tornando-se uma referência fundamental para as pesquisas na área. O livro mostra um panorama das atividades fotográficas desenvolvidas no Brasil durante o século XIX com imagens produzidas por Louis Compte, Revert Henrique Klumb (183?-ca.1886), Insley Pacheco (1830-1912), Carneiro & Gaspar (1800-1875), Victor Frond (1821-1881), Camillo Vedani e Militão Augusto de Azevedo (1837-1905), entre outros. Por fim, um capítulo dedicado a Marc Ferrez destaca-o como o mais importante fotógrafo do período.

As pesquisas de Gilberto Ferrez ganham reconhecimento internacional em 1976 quando, junto com Weston J. Naef, curador do Metropolitan Museum of Art (MET), publica Pioneer Photographers of Brazil. 1840-1920, editado pelo The Center for Inter-American Relations, de Nova York.

A coleção de fotografias oitocentistas brasileiras formada pelo pesquisador tem cerca de 15 mil itens, e é considerada o acervo privado mais importante sobre o assunto. Ao lado da coleção de dom Pedro II (1825-1891), que pertence à Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro, permite visualizar de maneira quase completa a produção fotográfica no país no século XIX. Conta, sobretudo, com paisagens e vistas panorâmicas, sendo que a produção de retratos, predominante nesse período, aparece de forma circunstancial, e reúne obras de Victor Frond, Camillo Vedani, Marc Ferrez, Augusto Malta (1864-1957), Jorge Henrique Papf (1863-1920), August Frisch (1840-1905), Auguste Stahl (1824-1877), Militão Augusto de Azevedo e outros.

Em 1995, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) realiza uma exposição, com curadoria de Pedro Karp Vasquez (1954), e publica um catálogo com obras da Coleção Gilberto Ferrez, evento que dá visibilidade pública e respaldo institucional ao acervo. O Instituto Moreira Salles (IMS) adquire sua coleção, em 1998.

Nota

1 FERREZ, Gilberto. Iconografia do Rio de Janeiro. 1530-1890. Catálogo Analítico. Vol. II. Rio de Janeiro: Casa Jorge Editorial, 2000. 752 p.

Outras informações de Gilberto Ferrez:

Exposições (6)

Artigo sobre A Fotografia no Brasil do Século XIX : 150 anos do fotógrafo Marc Ferrez 1843/1993 (1993 : São Paulo, SP)

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de inícioA Fotografia no Brasil do Século XIX : 150 anos do fotógrafo Marc Ferrez 1843/1993 (1993 : São Paulo, SP): 11-12-1993  |  Data de término | 11-02-1994
Resumo do artigo A Fotografia no Brasil do Século XIX : 150 anos do fotógrafo Marc Ferrez 1843/1993 (1993 : São Paulo, SP):

Pinacoteca do Estado de São Paulo (Pina_)

Fontes de pesquisa (15)

  • FERREZ, Gilberto; NAEF, Weston J. Pioneer photographers of Brazil : 1840 - 1920. New York: The Center for Inter-American Relations, 1976. 143 p.
  • BARBOSA, Antônio Agenor de Melo. Iconografia do Rio de Janeiro por Gilberto Ferrez. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 27 jan. 2001.
  • FERREZ, Gilberto. A fotografia no Brasil: 1840- 1900. Prefácio Pedro Karp Vasquez. 2. ed. Rio de Janeiro: Funarte, 1985. 248 p. (História da fotografia no Brasil, 1).
  • FERREZ, Gilberto. As cidades do Salvador e do Rio de Janeiro no século XVIII. Álbum iconográfico comemorativo do bicentenário transferência da sede do governo do Brasil. Rio de Janeiro: Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, 1963. 94 p., il. p&b, color.
  • FERREZ, Gilberto. Aquarelas de Richard Bate. Rio de Janeiro de 1808 - 1848. Rio de Janeiro: Galeria Brasiliana, 1965. 96 p., il. color.
  • FERREZ, Gilberto. Bahia. Velhas fotografias. 1858/ 1900. Rio de Janeiro: Kosmos Ed.; Salvador: Banco da Bahia Investimentos, 1989. 200 p., il. p&b.
  • FERREZ, Gilberto. Iconografia do Rio de Janeiro. 1530-1890. Catálogo Analítico. Vol. I. Rio de Janeiro: Casa Jorge Editorial, 2000. 300 p., il. color.
  • FERREZ, Gilberto. Iconografia do Rio de Janeiro. 1530-1890. Catálogo Analítico. Vol. II. Rio de Janeiro: Casa Jorge Editorial, 2000. 752 p., il. p&B, color.
  • FERREZ, Gilberto. O Brasil de Eduard Hildebrandt. Rio de Janeiro: Distribuidora Record de Imprensa S.A.. Sem data. 100 p., il. p&b, color.
  • FERREZ, Gilberto. O Paço da cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Fundação Nacional Pró-Memória, 1985. 86 p., il. p&b.
  • FERREZ, Gilberto. O Rio antigo do fotógrafo Marc Ferrez. Paisagens e tipos urbanos do Rio de Janeiro, 1865-1918. São Paulo: Ex-libris, 1984.
  • FERREZ, Gilberto. Velhas fotografias pernambucanas. 1851-1890. Rio de Janeiro: Campo Visual, 1988. 90 p., il. p&b.
  • SEREZA, Haroldo Ceravolo. "Gilberto Ferrez catalogou todas as imagens do Rio". São Paulo, O Estado de S. Paulo, 05 nov. 2000, p. D9.
  • VASQUEZ, Pedro Karp. Mestres da fotografia no Brasil: Coleção Gilberto Ferrez. Tradução Bill Gallagher. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil, 1995. 272 p.
  • VASQUEZ, Pedro, et.al. Gilberto Ferrez: 'a fotografia no Brasil e um de seus mais dedicados servidores...'. In: TURAZZI, Maria Inez (Org.). Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. N. 37 - Fotografia. Rio de Janeiro: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 1999. 368 p., il. p&b, color.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • GILBERTO Ferrez. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa963/gilberto-ferrez>. Acesso em: 26 de Mai. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7