Artigo da seção pessoas Roberto Magalhães

Roberto Magalhães

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deRoberto Magalhães: 29-03-1940 Local de nascimento: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)
Imagem representativa do artigo

Auto-Retrato no Lado Esquerdo , 1965 , Roberto Magalhães
Reprodução fotográfica Paulo Scheuenstuhl

Biografia

Roberto de Oliveira Magalhães (Rio de Janeiro RJ 1940). Pintor, desenhista gravador. Realiza seu aprendizado artístico com as atividades profissionais iniciadas precocemente: primeiro, na gráfica do tio (desenho de rótulos e propagandas); em seguida, fazendo capas de livros e discos e desenhos publicitários. Freqüenta cursos da Escola Nacional de Belas Artes (Enba), como aluno livre, em 1961. No decorrer da década de 1960, participa de diversas coletivas, no Brasil e no exterior: 1962, expõe desenhos a nanquim na Galeria Macunaíma, anexa à Enba; em 1964, realiza sua primeira individual de xilogravuras, na Petite Galerie, Rio de Janeiro; e recebe, no ano seguinte, o prêmio de gravura da 4ª Bienal de Paris. Segue para a capital francesa, em 1967, depois de ganhar o prêmio viagem ao exterior no 15º Salão Nacional de Arte Moderna (SNAM), em 1966, com a xilogravura Édipo Decifra o Enigma da Esfinge. Em Paris expõe com Antonio Dias (1944) na Galeria Debret, em 1968. Estudos de ocultismo, teosofia e, sobretudo, a aproximação ao budismo a partir de 1969 levam-no a residir por quatro anos no Centro de Meditação da Sociedade Budista do Brasil, quando interrompe a atividade artística. Em 1975, recomeça o trabalho com arte por meio de exposições individuais de desenho e pintura no Rio e em São Paulo, e de aulas no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ). Integra coletivas de gravuras e desenhos, na década de 1980. Em 1992, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), do Rio de Janeiro organiza uma retrospectiva dos 30 anos de produção do artista, a maior dedicada a sua obra.

Análise

Mesmo afinado com as novas figurações que vêm a público em mostras como Opinião 65 e Nova Objetividade Brasileira, Roberto Magalhães constrói um percurso próprio, não se ligando a grupos nem a movimentos. O trânsito permanente por diferentes técnicas (lápis de cor, bico-de-pena, aquarela, litografia, xilogravura e pintura a óleo) e um repertório temático particular dificultam sua localização em tendências ou escolas. De qualquer modo, os críticos falam em "experimentos surrealistas", próximos aos de Salvador Dalí, e em afinidades de sua obra com as composições simbólicas de Arcimboldo, com o imaginário infantil de Paul Klee e ainda com as "esculturas moles" de Claes Oldenburg. Magalhães enfatiza sua proximidade com a experiência mística e com o esoterismo, na tentativa de aproximação entre arte, ciência e filosofia. A "arte esotérica", diz ele, além de realizada sob "inspiração verdadeira", acredita na existência de uma afinidade essencial entre formas e cores, visando projetar, por meio de imagens, "verdades eternas".

O realismo fantástico explorado nos anos 1960 como em Barco Voador Conduzindo um Esqueleto, 1962, convive com ampla gama de símbolos e alegorias trabalhados nos anos 1970, sob inspiração de tratados de esoterismo e alquimia, livros de ocultismo e de astrologia - Capricórnio, 1970 e A Pedra Filosofal, 1973. O mergulho existencial efetuado nesse período alarga as pesquisas com a cor e com a forma, consideradas frutos de uma operação alquímica, em Ministro do Inferno, 1975 e Homem Devidamente Pintado, 1976. Nesses trabalhos, já se encontram presentes elementos emblemáticos de sua obra: deformação da figura; antropomorfização da natureza; metamorfoses de todo tipo (montanhas-pássaros, animais fantásticos, narizes que realizam acrobacias, máquinas e construções humanizadas, casas-carros etc.). Tais elementos integram composições marcadas pelo humor - às vezes, negro -, em que o artista associa a exploração da memória infantil e do universo onírico a elementos insólitos retirados do cotidiano e da observação detida das cidades. Central do Brasil, 1983, 10º Planeta, 1986, e Segunda-Feira, 1994, são algumas dessas paisagens inusitadas. Homens-máquinas, seres monstruosos ou simples personagens de historietas infantis são outras de suas criações conhecidas, vistas em Mulher do Futuro, 1975, Gigante Examinando uma Casa, 1988 e Habitante da Lua, 1994. A localização de distintas fases na obra de Magalhães não impede a identificação de um estilo pessoal construído, desde o início, em estreito diálogo com as técnicas e temáticas da ilustração, das histórias em quadrinhos e das caricaturas.

Outras informações de Roberto Magalhães:

  • Outros nomes
    • Roberto de Oliveira Magalhães
    • R. M.
  • Habilidades
    • gravador
    • escultor
    • Ilustrador
    • músico
    • Pintor
    • desenhista
    • Cenógrafo
    • professor

Obras de Roberto Magalhães: (30) obras disponíveis:

Todas as obras de Roberto Magalhães:

Exposições (245)

Todas as exposições

Eventos relacionados (3)

Artigo sobre sp-arte 2010

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de iníciosp-arte 2010: 29-04-2010  |  Data de término | 02-05-2010
Resumo do artigo sp-arte 2010:

Fundação Bienal de São Paulo

Artigo sobre sp-arte 2011

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de iníciosp-arte 2011: 12-05-2011  |  Data de término | 15-05-2011
Resumo do artigo sp-arte 2011:

Fundação Bienal de São Paulo

Fontes de pesquisa (67)

  • 28 ARTISTAS do acervo do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo. Apresentação Walter Zanini, Aline Figueiredo. Campo Grande: Associação Matogrossense de Artes, 1968. folha dobrada s.il.
  • 4 MESTRES da gravura brasileira. Rio de Janeiro: Sesc Copacabana, 1996.
  • 1º Salão SESC de gravura. Curadoria Geraldo Edson de Andrade. Rio de Janeiro: Sesc Copacabana, 1996. [16 ] p. Exposição realizada na Galeria Sesc Copacabana, no período de 25 jun. a 31 jul. 1996.
  • A METRÓPOLE e a arte. Texto Janice Maria Flórido; depoimento Amílcar de Castro, Ana Mae Barbosa, Guto Lacaz, Jaime Lerner, Jorge da Cunha Lima, Olívio Tavares de Araújo, Oscar Niemeyer, Raquel Arnaud, Sérvulo Esmeraldo, Vera Chaves Barcellos. São Paulo: Prêmio, 1992. 128 p. (Arte e cultura, 13).
  • SILVEIRA, Dôra (Coord.). Espelho da Bienal. Curadoria Ruben Breitman; versão em inglês Jullan Smyth; texto Mário Pedrosa e Paulo Reis; apresentação Italo Campofiorito. Niterói: MAC-Niterói, 1998. [16] p., 11 cartões-postais.

  • UNIVERSO do futebol uma reflexão sobre os significados sociológicos e estéticos do futebol no contexto da cultura brasileira. Texto Frederico Morais, Roberto DaMatta; apresentação Gustavo Affonso Capanema, Max Perlingeiro. Rio de Janeiro : MAM, 1982. 56 p. il. p.b.
  • XILOGRAVURA: do cordel à galeria. São Paulo: Metrô, 1994. 36 p., il. p&b.
  • OBJETO na arte: Brasil anos 60. Coordenação Daisy Valle Machado Peccinini de Alvarado. São Paulo: FAAP, 1978.
  • A COMUNICAÇÃO segundo os artistas plásticos. Apresentação Walter Clark Bueno. Rio de Janeiro: Rede Globo, 1975. [20 p.] il. p.b.
  • A FIGURA humana na coleção Itaú. São Paulo: Itaú Cultural, 2000.
  • A IMAGEM do som de Caetano Veloso: 80 composições de Caetano Veloso interpretadas por 80 artistas contemporâneos. Curadoria Felipe Taborda. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1998. 179 p. il. color. (Projeto A Imagem do Som, 1).
  • A RESSACRALIZAÇÃO da arte. Apresentação Abram Szajman, Danilo Santos de Miranda; texto Jacob Klintowitz. São Paulo: Sesc, 1999. 136 p. il. color.
  • AR: exposição de artes plásticas, brinquedos, objetos e maquetes. Curadoria Lauro Cavalcanti, Luiz Áquila; apresentação Lauro Cavalcanti, Luiz Áquila; projeto gráfico Felipe Taborda, Andrea Bezerra. Rio de Janeiro: Paço Imperial, 1997. [24p.] il. color.
  • ARTE e artistas plásticos no Brasil 2000. São Paulo: Meta, 2000.
  • ARTE erótica. Fotografia Vicente de Mello; texto Reynaldo Roels Jr.. Rio de Janeiro: MAM, 1993. 16 p. 13 il. p.b.
  • ARTE no Brasil. São Paulo: Abril Cultural, 1979. 2v.
  • ARTISTAS brasileiros dos anos 60 e 70 na coleção Rubem Knijnik. Porto Alegre: Espaço No Galeria Chaves, 1981.
  • AYALA, Walmir (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1980. v.4: Q a Z. (Dicionários especializados, 5).
  • AYALA, Walmir. Dicionário de pintores brasileiros. Rio de Janeiro: Spala, 1992. 2v. R759.981 A973d v.2
  • BIENAL BRASIL SÉCULO XX, 1994, São Paulo, SP. Bienal Brasil Século XX: catálogo. Curadoria Nelson Aguilar, José Roberto Teixeira Leite, Annateresa Fabris, Tadeu Chiarelli, Maria Alice Milliet, Walter Zanini, Cacilda Teixeira da Costa, Agnaldo Farias. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1994.
  • BRASILIDADES. Curadoria e texto Paulo Rogério de Oliveira Reis; versão em inglês Anton Berden, James Anderson; versão em francês Pascal Rúbio. Rio de Janeiro: Centro Cultural Light, 2000. 
  • COLEÇÃO Gilberto Chateaubriand: retrato e auto-retrato da arte brasileira. texto Frederico Morais. São Paulo, SP: MAM, 1984. 104 p.
  • COLEÇÃO Rubem Knijnik: arte brasileira anos 60/70 / 80. Apresentação Evelyn Berg Ioschpe; fotografia Mabel Leal Vieira; texto Thomas Cohn. Porto Alegre: Margs, 1986. il. p.b. color.
  • COLEÇÃO Unibanco: exposição comemorativa dos 70 anos do Unibanco. Projeto gráfico Kiko Farkas; fotografia Romulo Fialdini; apresentação Antonio Fernando De Franceschi. Poços de Caldas: Instituto Moreira Salles, 1995. 50 p. il. color.
  • DESTAQUES da arte contemporânea brasileira. Apresentação Aparício Basílio da Silva. São Paulo: MAM, 1985. 22 p. il. p.b.
  • DESTAQUES da Coleção Unibanco. Apresentação Antonio Fernando De Franceschi; fotografia Romulo Fialdini; projeto gráfico Kiko Farkas. São Paulo: Instituto Moreira Salles, 1998. 48 p. il. color.
  • EMBLEMAS do corpo: o nu na arte moderna brasileira. Apresentação Franklin Espath Pedroso; texto Paulo Sérgio Duarte; curadoria Franklin Espath Pedroso; projeto gráfico Ruth Freihof; fotografia Pedro Oswaldo Cruz, Cristina Oswaldo Cruz, Wilton Montenegro, Eduardo Giannini Ortega. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil, 1993. 80 p. il. p&b, color.
  • ESCOLA de Artes Visuais do Parque Lage (Rio de Janeiro, RJ), Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Imagem gráfica. Rio de Janeiro, 1995. 160p. il., p.b.
  • EXPOSIÇÃO Brasil-Japão de Arte Contemporânea (9.: 1990: São Paulo). 9ª Exposição Brasil-Japão de Arte Contemporânea. Curadoria Wesley Duke Lee, Arcangelo Ianelli, Dudu Santos. São Paulo: Fundação Brasil-Japão de Artes Plásticas, 1990. 86p. il. p.b.
  • EXPOSIÇÃO da jovem gravura nacional (1.: 1964: São Paulo), AMARAL, Aracy (coord.). 1ª Exposição da jovem gravura nacional. São Paulo: MAC/USP, 1964. [15] p. il. p.b.
  • EXPOSIÇÃO da jovem gravura nacional (1.: 1965: Curitiba). 1ª Exposição da jovem gravura nacional. Apresentação Walter Zanini. Curitiba: MAC/USP, 1965. folha dobrada il. p.b.
  • EXPOSIÇÃO da jovem gravura nacional (1.: 1965: São Paulo). 1ª Exposição da jovem gravura nacional. Apresentação Walter Zanini. Belo Horizonte: MAC/USP, 1965. [14 p.] il. p.b.
  • FORBES, Raul de Souza Dantas (coord.). Filhos do Abaporu. Texto Olívio Tavares de Araújo; fotografia Romulo Fialdini; apresentação Raul de Souza Dantas Forbes. São Paulo: Arte do Brasil, 1995. 50 p. il. color.
  • GALERIA de Arte Centro Empresarial Rio 1988. Produção Claudio Fortes, Ascânio MMM, João Augusto Fortes, Ronaldo do Rego Macedo; apresentação Marcus de Lontra Costa; fotografia Dayse Marques, Maurício Ruiz; texto Montez Magno, Frederico Morais; fotografia Luciano Mattos; texto Wilson Coutinho; apresentação Paulo Herkenhoff; texto Lélia Coelho Frota; fotografia João Bosco; projeto gráfico Fernanda Gomes; texto Donato Mello Júnior; fotografia Helio Carvalho, Analu Cunha, Paulo Roberto Souza, Mário Diamante, Inês Rezende; curadoria e texto Wilson Coutinho; texto Eduardo Passos, Luiz Sérgio de Oliveira, Italo Bianchi; projeto gráfico Livia Flores. Rio de Janeiro: Galeria de Arte Centro Empresarial Rio, 1988. [168] p., il. p.&b.
  • GRAVURA brasileira hoje: depoimentos. Organização Heloisa Pires Ferreira e Maria Luisa Luz Távora; entrevistas Anna Bella Geiger, Emanoel Araújo, Fayga Ostrower, Lívio Abramo, Lotus Lobo, Roberto Magalhães, Rossini Perez. Rio de Janeiro: Oficina de gravura SESC-Tijuca, 1997. v.3.
  • GRAVURA brasileira: quatro temas. Curadoria e texto Nelson Augusto. Rio de Janeiro: Escola de Artes Visuais do Parque Lage, 1989.
  • GRAVURA: arte brasileira do século XX. São Paulo: Itaú Cultural : Cosac & Naify, 2000.
  • IMPRESSÕES itinerantes. Texto George Kornis; curadoria Reila Gracie; apresentação Reila Gracie. Belo Horizonte: Fundação Palácio das Artes, 1996. folha dobrada il. p.b.
  • KLINTOWITZ, Jacob. Os novos viajantes. São Paulo: Sesc, 1993.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • MAGALHÃES, Roberto. Desenhos e pintura. Rio de Janeiro, 1992. il. p.b. color., fot.
  • MAGALHÃES, Roberto. Roberto Magalhães pinturas e serigrafias 1980-1984. Rio de Janeiro: Galeria Saramenha, 1984. il. color., foto p.b.
  • MAGALHÃES, Roberto. Roberto Magalhães. Apresentação Frederico Morais. São Paulo: Galeria Arte Global, 1983. 8 folhas soltas il. p.b.
  • MORAIS, Frederico. Roberto Magalhães. Tradução Peter Lenny; fotografia Pedro Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro: Salamandra, 1996. 119 p. il., figs., foto.
  • MOSTRA DE GRAVURA CIDADE DE CURITIBA, 6., 1984. VI Mostra de Gravura Cidade de Curitiba: 1984 - Pan-Americana. Curitiba: Fundação Cultural de Curitiba, 1984.
  • MOSTRA DE GRAVURA CIDADE DE CURITIBA, 9., 1990. IX Mostra de Gravura Cidade de Curitiba. Curitiba: Fundação Cultural de Curitiba, 1990.
  • MOSTRA DO REDESCOBRIMENTO, 2000, SÃO PAULO, SP. Arte contemporânea. Curadoria geral Nelson Aguilar; curadoria Nelson Aguilar, Franklin Espath Pedroso; tradução Arnaldo Marques, Ivone Castilho Benedetti, Izabel Murat Burbridge, Katica Szabó, John Norman. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo : Associação Brasil 500 anos Artes Visuais, 2000.
  • MOSTRA Rio Gravura: catálogo geral dos eventos. Apresentação Luiz Paulo Fernandez Conde, Helena Severo, Rizza Paes F. Conde, Maria Julia Vieira Pinheiro; curadoria Rubem Grilo; texto Rubem Grilo, Paulo Sérgio Duarte, Agnaldo Farias, Wilson Coutinho; apresentação Maria Tornaghi, Leila Grimming; projeto gráfico Suzana Valladares, Julie Pires; revisão Soraya Araujo; tradução Stephen Berg; fotografia Antonio Caetano, César Barreto, Vera Voto, Marco Rodrigues, Arli Pacheco, Fátima Magalhães. Rio de Janeiro, 231 p., 1999.
  • O DESENHO moderno no Brasil: Coleção Gilberto Chateaubriand. São Paulo: Galeria de Arte do Sesi, 1993. 64 p., il. p&b color.
  • OPINIÃO 65. Curadoria e apresentação Frederico Morais. Rio de Janeiro: Galeria de Arte Banerj, 1985. (Ciclo de exposições sobre arte no Rio de Janeiro).
  • OPINIÃO 65: 30 anos. Curadoria e texto Wilson Coutinho, Cristina Aragão; versão em inglês Odila Stevenson, Carolyn Brisset, Hugo Moss. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil, 1995.
  • OS COLECIONADORES - Guita e José Mindlin matrizes e gravuras. Curadoria Jacob Klintowitz; projeto gráfico Diana Mindlin; fotografia Lucia Mindlin Loeb; apresentação Horacio Lafer Piva, Jaime A. Greene; texto José Mindlin, Jacob Klintowitz. São Paulo, 1998. [64 p.] il. color.
  • OS NOVOS viajantes. São Paulo: Sesc Pompéia, 1994.
  • PAISAGENS. Tradução Izabel Murat Burbridge. São Paulo: Galeria São Paulo, 1994. il. color.
  • POÉTICA da resistência: aspectos da gravura brasileira. Curadoria Armando Mattos, Denise Mattar, Marcus de Lontra Costa. Rio de Janeiro: MAM, 1994.
  • PONTUAL, Roberto. Arte/ Brasil/ hoje: 50 anos depois. São Paulo: Collectio, 1973.
  • PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.
  • PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. Rio de Janeiro: Edições Jornal do Brasil, 1987.
  • PRIMEIRA exposição da jovem gravura nacional.. Apresentação Carlos Humberto Corrêa, Walter Zanini. Florianópolis: MAM, 1965. [21 p.] il. p.b.
  • SANTOS, José Roberto Marcellino (coord.). Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Apresentação M. F. do Nascimento Brito; edição M. F. do Nascimento Brito; projeto gráfico Jorge Visniauskas, Itamar Carlos; texto Maria Regina do Nascimento Brito, Agnaldo Farias, Maria del Carmen Zilio; pesquisa Paulo Pedreira, Agnaldo Farias, Jurema Fernandes, Manuel Souza Leão Veiga; fotografia Romulo Fialdini, Vicente de Mello, Aertsens Michel, Marcel Gautherot. São Paulo: Banco Safra, 1999. 357 p. il. color.
  • SAO PAULO - Rio - Paris. São Paulo, il. color., fotos p., 1987.
  • TABORDA, Felipe (coord.), MARINHO, Ana Luisa (coord.). A imagem do som de Chico Buarque 80 composições de Chico Buarque interpretadas por 80 artistas contemporâneos. Curadoria Felipe Taborda; coordenação de produção Péricles de Barros. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1999. 179 p. il. color. (Projeto A Imagem do Som, 2).
  • TRINCHEIRAS: arte e política no Brasil. Texto crítico Marcus de Lontra Costa; apresentação Helena Severo, M. F. do Nascimento Brito. Rio de Janeiro: MAM, 1994. 16 p. il. p.b.
  • TRINTA anos de 68. Curadoria e texto Franklin Espath Pedroso, Pedro Karp Vasquez; versão em inglês Paulo Henriques Britto; texto Victor Hugo Adler Pereira. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil, 1998. [56 p.], il. p.b. color.
  • VELHA mania: desenho brasileiro. Apresentação Marcus de Lontra Costa; texto Roberto Pontual. Rio de Janeiro: Escola de Artes Visuais do Parque Lage, 1985. 76p. il. p.b.
  • VOLKSWAGEN DO BRASIL (SÃO PAULO, SP)Volkswagen do Brasil (São Paulo, SP) (org.). Artistas do muralismo brasileiro. São Paulo, 1988. 216 p. il. color.
  • ZANINI, Walter (Coord.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Instituto Moreira Salles: Fundação Djalma Guimarães, 1983. v.2.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ROBERTO Magalhães. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa9435/roberto-magalh%C3%A3es>. Acesso em: 16 de Nov. 2018. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7