Artigo da seção pessoas Reynaldo Fonseca

Reynaldo Fonseca

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deReynaldo Fonseca: 31-01-1925 Local de nascimento: (Brasil / Pernambuco / Recife)
Imagem representativa do artigo

Os Gêmeos , 1944 , Reynaldo Fonseca

Biografia

Reynaldo de Aquino Fonseca (Recife, Pernambuco, 1925). Pintor, muralista, ilustrador. Freqüenta como ouvinte a Escola de Belas Artes de Pernambuco, no Recife, em 1936, onde é aluno de Lula Cardoso Ayres, e faz curso de magistério em desenho. Em 1944, reside no Rio de Janeiro, e estuda com Candido Portinari  por seis meses. É um dos fundadores da Sociedade de Arte Moderna do Recife (SAMR), associação que propõe a ruptura com o sistema acadêmico de ensino. Realiza viagem de estudos à Europa, em 1948. Estuda gravura em metal com Henrique Oswald no Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro, entre 1949 e 1951. Além da gravura, utiliza a aquarela e, predominantemente, a técnica de óleo sobre tela, apresentando uma produção figurativa. Em meados de 1952, torna-se professor catedrático de desenho artístico na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Pernambuco (UFPE). Freqüenta o Ateliê Coletivo, fundado por Abelardo da Hora, e realiza cursos de desenho. Realiza mural para o Banco do Brasil, no Recife, em 1964. Volta a residir no Rio de Janeiro em 1969, e retorna ao Recife no início da década de 1980. Ilustra, entre outros, o livro Pintura e Poesia Brasileiras, com poemas de João Cabral de Melo Neto, publicado em 1980. Entre 1993 e 1994, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) promove mostra retrospectiva de sua produção no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Análise

Reynaldo Fonseca é um dos fundadores da Sociedade de Arte Moderna do Recife (SAMR), associação que propõe a ruptura com o sistema acadêmico de ensino e a criação de um amplo movimento cultural, abrangendo as áreas de educação, cultura, artes plásticas, teatro e música. Participa ainda do Ateliê Coletivo, em Recife, realizando cursos de desenho. Posteriormente afasta-se da "escola pernambucana de pintura" e da temática regional.

O pintor mantém-se deliberadamente à margem das correntes artísticas que buscam renovar a arte no país. Com uma produção figurativa, realiza trabalhos em aquarela, gravura e principalmente em óleo sobre tela ou duratex. Revela grande domínio do desenho e o uso cuidadoso da gama cromática. Utiliza freqüentemente recortes de fotografias impressas em jornais e revistas, como inspiração para seus quadros.

Mantém ao longo de sua carreira temas recorrentes, como as cenas familiares com crianças e animais, nas quais predomina um clima de sonho, inquietação e estranheza, que evoca o surrealismo e a pintura metafísica. O artista inspira-se em pinturas do primeiro Renascimento italiano e flamengo, também nos pintores primitivos norte-americanos dos séculos XVIII e XIX e nos surrealistas em geral. Como aponta Roberto Pontual, Reynaldo Fonseca concentra-se na armação de enigmas, a meio caminho entre o metafísico e o fantástico.  A retomada da história da arte é realizada de forma paciente, e por vezes com uma parcela de ironia.

Outras informações de Reynaldo Fonseca:

  • Outros nomes
    • Reynaldo de Aquino Fonseca
    • Reinaldo de Aquino Fonseca
    • Reynaldo D´Aquino Fonseca
  • Habilidades
    • gravador
    • professor de artes plásticas
    • Pintor
    • Ilustrador

Obras de Reynaldo Fonseca: (25) obras disponíveis:

Todas as obras de Reynaldo Fonseca:

Exposições (49)

Todas as exposições

Eventos relacionados (1)

Artigo sobre sp-arte 2010

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de iníciosp-arte 2010: 29-04-2010  |  Data de término | 02-05-2010
Resumo do artigo sp-arte 2010:

Fundação Bienal de São Paulo

Fontes de pesquisa (11)

  • AYALA, Walmir (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1980. v.4: Q a Z. (Dicionários especializados, 5).
  • DACOLEÇÃO: os caminhos da arte brasileira. Introdução César Luís Pires de Mello; texto Frederico Morais; apresentação Júlio Bogoricin. São Paulo: Júlio Bogoricin, 1986.
  • FONSECA, Reynaldo. Pinturas. Fotografia Wilton Montenegro; texto Geraldo Edson de Andrade. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil, 1993. [16] p., il. p&b color.
  • FONSECA, Reynaldo. Reynaldo Fonseca. Texto Geraldo Edson de Andrade; fotografia Carlos Alberto Xavier de Miranda; projeto gráfico Saulo Kozel Teixeira. Curitiba: Simões de Assis Galeria de Arte, 1997. 32 p., il. p&b color.
  • FONSECA, Reynaldo; ASSIS FILHO, Waldir Simões (coord.). Reynaldo Fonseca. Texto Roberto Pontual, Mário Hélio Gomes de Lima, Walmir Ayala, Geraldo Edson de Andrade; projeto gráfico Saulo Kozel Teixeira, Waldir Simões Assis Filho; fotografia Carlos Alberto Xavier de Miranda. Curitiba: Simões de Assis Galeria de Arte, 2004. 32 p., il. color.
  • LEAL, Weydson Barros. A força da forma. In: CONTINENTE MULTICULTURAL. Recife: CEPE - Companhia Editora de Pernambuco, dez/2002, nº 24, p. 24-27. 
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.
  • PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. Rio de Janeiro: Edições Jornal do Brasil, 1987.
  • REYNALDO Fonseca: pinturas. Texto de Geraldo Edson de Andrade. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil, 1993.
  • ZANINI, Walter (Coord.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Instituto Moreira Salles: Fundação Djalma Guimarães, 1983. v.2.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • REYNALDO Fonseca. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa9416/reynaldo-fonseca>. Acesso em: 21 de Nov. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7