Pessoas

Bruno Giorgi

Outros Nomes: Bruno Giorgi
  • Análise
  • Biografia
    Bruno Giorgi (Mococa SP 1905 - Rio de Janeiro RJ 1993). Escultor. Muda-se com a família para Itália, e fixa-se em Roma em 1913. Em 1920, inicia estudos de desenho e escultura com o professor Loss. Participa de movimentos antifascistas. Em 1931, é preso por motivos políticos e condenado a sete anos de prisão. É extraditado para o Brasil em 1935, por intervenção do embaixador brasileiro na Itália. Em São Paulo, trava contato com Joaquim Figueira (1904 - 1943) e Alfredo Volpi (1896 - 1988). Em 1937, viaja para Paris e freqüenta as academias La Grand Chaumière e Ranson, onde estuda com Aristide Maillol (1861 - 1944). Em 1939, retorna a São Paulo e convive com Mário de Andrade (1893 - 1945), Lasar Segall (1891 - 1957), Oswald de Andrade (1890 - 1954) e Sérgio Milliet (1898 - 1966), entre outros. Começa a praticar desenho de modelo-vivo e pintura com os artistas do Grupo Santa Helena e integra a Família Artística Paulista - FAP. Em 1943, transfere-se para o Rio de Janeiro. A convite do ministro Gustavo Capanema (1900 - 1985) instala ateliê no antigo Hospício da Praia Vermelha, onde orienta jovens artistas como Francisco Stockinger (1919). Possui obras em espaços públicos como Monumento à Juventude Brasileira, 1947, nos jardins do antigo Ministério da Educação e Saúde - MES, atual Palácio Gustavo Capanema, no Rio de Janeiro; Candangos, 1960, na praça dos Três Poderes, e Meteoro, 1967, no lago do edifício do Ministério das Relações Exteriores, em Brasília; e Integração, 1989, no Memorial da América Latina, em São Paulo.

    Comentário Crítico
    Herdeiro das lições do escultor Aristide Maillol (1861 - 1944), a partir dos anos 1940, Bruno Giorgi revela em seus trabalhos um crescente interesse pela temática e pelos tipos brasileiros. Sua obra gradualmente passa de uma leve estilização da figura humana a uma maior deformação. Na rudeza das superfícies, o modelado evidencia a mão do escultor, como em Mulher ao Luar, 1949.

    A partir desses trabalhos, começa a apresentar uma nova plasticidade. Em Maternidade, 1952 ou São Jorge, 1953, os troncos e membros das figuras se alongam e se deformam em contínuo desenvolvimento no espaço. Essa dinâmica abstrata conduz a um jogo de cheios e vazios. A progressiva estilização e redução da figura a poucas linhas pode ser vista, por exemplo, em Candangos, 1960.

    Passa então a realizar composições abstratas, onde se nota a tentativa de integração entre sua escultura e a arquitetura moderna, como em Meteoro, 1967, uma de suas obras de maior destaque, ou Condor, 1978. Na década de 1970, Bruno Giorgi retoma a exploração da figura humana, principalmente a representação das formas femininas, muito freqüente em sua produção anterior, da qual resulta uma série de torsos de pedra.

Conteúdos Relacionados

People

Exposições

Exibir

Eventos

Fontes de Pesquisa

AMARAL, Aracy (Org.). Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo : perfil de um acervo. São Paulo: Techint Engenharia, 1988. 391 p., il.color.

GIORGI, Bruno; SONNENREICH, Leonor (Coord.). Um Mestre da escultura. São Paulo: Skultura Galeria de Arte, 1991. [20 p.], il. p.b.

BRUNO Giorgi: (1905 - 1993). Rio de Janeiro: Pinakotheke, 2005. 188 p., il. p&b color. ISBN 85-7191-039-1.

CORIA, Regina (Coord.); MENDONÇA, Valéria (Coord.). Expressões do corpo na escultura de Rodin, Leopoldo e Silva, De Fiori, Brecheret, Bruno Giorgi. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 1995. 80 p., il. p&b color.

GRINBERG, Piedade Epstein (org.). Bruno Giorgi : 1905-1993. São Paulo: Metalivros, 2001. 144 p., il. color. ISBN 85-85371-32-3.

REVISTA ACADEMIA, Rio de Janeiro, v. 66, nov. 1945. Bruno Giorgi. Número especial.

RIBEIRO, Maria Isabel Branco. A escultura de Bruno Giorgi. Guia das Artes, São Paulo, v. 26, p. 62-66, ago. /set. 1991.

TRIDIMENSIONALIDADE na arte brasileira do século XX. São Paulo: Itaú Cultural, 1997. 240 p., il. foto color.

ZANINI, Walter (Org.). História geral da arte no Brasil - II. São Paulo: Fundação Djalma Guimarães : Instituto Walther Moreira Salles, 1983. 616 p., il. color.

GIORGI, Bruno. 80 anos . Fotografia Romulo Fialdini; apresentação Jacob Klintowitz; projeto gráfico João Martini. São Paulo: Skultura Galeria de Arte, 1985. 66 p., il. p&b.

BRUNO Giorgi. São Paulo: Art Editora; Rio de Janeiro: Record, 1980. [146] p., il.

MILANO, Dante. Bruno Giorgi . Rio de Janeiro: Serviço de documentaçao/MEC, 1959. 58 p., il., p&b. (Artistas brasileiros).

PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. Rio de Janeiro: Edições Jornal do Brasil, 1987. 585 p., il. color.

PRIETO, Sonia. Bruno Giorgi : quatro décadas de escultura, vol. 1. 1981. 312 p., il. p&b. Mestrado - Artes, São Paulo, 1981. Orientação de: Wolfgang Pfeiffer.

PRIETO, Sonia. Bruno Giorgi : quatro décadas de escultura, vol. 2. 1981. 144 p., il. p&b. Mestrado - Artes, São Paulo, 1981. Orientação de: Wolfgang Pfeiffer.

AMARAL, Aracy (org.). Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo: perfil de um acervo. Prefácio Ana Mae Barbosa; comentário Aracy Amaral, Sônia Salzstein; fotografia Romulo Fialdini. São Paulo: Techint Engenharia, 1988. 391 p., il.color. p.242

AMARAL, Aracy. Anotações a propósito de Bruno Giorgi. Skultura, São Paulo, inverno de 1991. p. 6.

BRUNO Giorgi: (1905 - 1993). Apresentação Max Perlingeiro; projeto gráfico Walney de Almeida; coordenação editorial Camila Perlingeiro. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 2005. 188 p., il. p&b color.

CHIARELLI, Tadeu. Bruno Giorgi e os estudos para um certo monumento. In: CORIA, Regina (coord.); MENDONÇA, Valéria (coord.). Expressões do corpo na escultura de Rodin, Leopoldo e Silva, De Fiori, Brecheret, Bruno Giorgi. Texto Jacques Vilain, Daisy Valle Machado Peccinini de Alvarado, José Roberto Teixeira Leite, Mayra Laudanna, Tadeu Chiarelli; tradução Ana Helena Lefèvre; fotografia Romulo Fialdini; apresentação Carlos Alberto Vieira, Marcos Mendonça; introdução Emanoel Araújo; curadoria Jacques Vilain, Daisy Valle Machado Peccinini de Alvarado, José Roberto Teixeira Leite, Mayra Laudanna, Tadeu Chiarelli; produção gráfica Cláudio Filus. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 1995. 80 p., il. p&b color. pp.64-75.

GRINBERG, Piedade Epstein (org.). Bruno Giorgi: 1905-1993. Projeto editorial Ronaldo Graça Couto; projeto gráfico Victor Burton; produção editorial Bianka Tomie Ortega. São Paulo: Metalivros, 2001. 144 p., il. color.
 
KLINTOWITZ, Jacob. Bruno Giorgi. In: GIORGI, Bruno. Bruno Giorgi: 80 anos. S. L.:  Eskultura, 1987.

GULLAR, Ferreira. Bruno Giorgio ou o fascínio das formas. In: BRUNO Giorgi. Comentário Ferreira Gullar; fotografia Romulo Fialdini; edição Marcos Antonio Marcondes. São Paulo: Art ; Rio de Janeiro: Record, 1980. , il. p.b. color.

MILANO, Dante. Bruno Giorgi. Rio de Janeiro: Serviço de documentaçao/MEC, 1959. 58 p., il., p&b. (Artistas brasileiros).

PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. Rio de Janeiro: Edições Jornal do Brasil, 1987. 585 p., il. color.

PRIETO, Sonia. Bruno Giorgi: quatro décadas de escultura. 1981. 456p. Dissertação (Mestrado em Artes) - Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo - ECA/USP, São Paulo, 1981.

TRIDIMENSIONALIDADE: arte brasileira do século XX. Texto Annateresa Fabris, Fernando Cocchiarale, Celso Favaretto, Tadeu Chiarelli, Frederico Morais; apresentação Ricardo Ribenboim; colaboração Annateresa Fabris, Tadeu Chiarelli; fotografia da capa Romulo Fialdini. 2. ed. São Paulo: Itaú Cultural : Cosac & Naify, 1999. 264 p., il. color.

ZANINI, Walter (org.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Fundação Djalma Guimarães: Instituto Walther Moreira Salles, 1983. v.2, 616 p., il. color.