Artigo da seção pessoas Paulo Portella

Paulo Portella

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento dePaulo Portella: 11-10-1950 Local de nascimento: (Brasil / São Paulo / Suzano)

Biografia
Paulo Portella Filho (Suzano SP 1950). Artista plástico, educador, museólogo. Estuda artes plásticas na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo - ECA/USP e forma em 1975. Entre 1975 e 1987, implanta e coordena as atividades do Serviço Educativo da Pinacoteca do Estado de São Paulo - Pesp, onde cria cursos de arte para crianças e adultos e o Ateliê no Parque, destinado a freqüentadores do parque da Luz. Nessa instituição, colabora na organização do projeto O Artista e a Criança, criado por Marcello Nitsche (1942). Nas décadas de 1970 e 1980, atua como professor na rede pública estadual e em escolas privadas e dirige o Circo-Escola Grajaú, do Programa Enturmando da Secretaria de Estado do Menor. É um dos responsáveis pela implantação das atividades de ateliê do curso de especialização em arte e educação da ECA/USP. Recebe, em 1982, o prêmio aquisição no 5° Salão Nacional de Artes Plásticas, promovido pela Fundação Nacional de Arte - Funarte. Coordena, desde 1997, o Serviço Educativo do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - Masp. Integra o conselho de orientação da Pesp. Cria, em 2005, projetos educativos para mostras de Regina Silveira (1939) no Palácio de Cristal, em Madri, e no Museu de Belas Artes de Houston, Estados Unidos.

Comentário Crítico
Em desenhos da década de 1980, Paulo Portella estabelece um trabalho metódico com o grafite que, sobrepondo-se ao suporte, parece incorporá-lo em um todo coeso. O artista deixa emergir elementos lineares e figuras, que parecem relutantes em assumir sua oposição em relação ao plano de fundo. Como nota o historiador da arte Tadeu Chiarelli, essas formas, por emergirem da superfície trabalhada, funcionam ora como figura, ora como plano de fundo, dependendo do olhar do observador. O caráter pictórico fundamental desses desenhos está no fato de o artista trabalhar por camadas, que ele vai, aos poucos, sobrepondo no suporte branco do papel. Após tornar o suporte denso, passa a retirar delicadamente as camadas mais recentes, até expor a superfície ou uma das primeiras camadas de cor lá depositadas.

Na opinião do crítico Rodrigo Naves, o artista constrói um novo suporte paradoxalmente utilizando o mesmo material que serviria, em princípio, para deixar suas marcas sobre o papel. As tênues linhas brancas que dividem as superfícies escuras não são traçadas, resultam da simples interrupção das áreas negras. Como aponta ainda Naves, a acumulação dos traços de crayon ou grafite pesa sobre as linhas que demonstram a pressão sofrida na irregularidade de seu percurso. A leveza desses veios incertos, entretanto, realça a individualidade dos traços, evitando que sua soma se transforme em peso.

Paulo Portella Filho tem ainda relevante atuação como professor e arte-educador, em uma trajetória de mais de 25 anos, e atualmente desenvolve atividades no Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - Masp, tendo trabalhado anteriormente, entre outras instituições, na Pinacoteca do Estado de São Paulo - Pesp.

Outras informações de Paulo Portella:

  • Outros nomes
    • Paulo Portella Filho
    • Paulo Portela Filho
  • Habilidades
    • desenhista
    • gravador
    • pintor
    • professor de artes

Exposições (21)

Todas as exposições

Eventos relacionados (3)

Artigo sobre Oficina de Artes Plásticas para Professores do 1º Grau e/ou Alunos de Educação Artística (1994 : Londrina, PR)

Artigo da seção eventos
Temas do artigo:  
Data de inícioOficina de Artes Plásticas para Professores do 1º Grau e/ou Alunos de Educação Artística (1994 : Londrina, PR): 27-11-1994  |  Data de término | 01-12-1994
Resumo do artigo Oficina de Artes Plásticas para Professores do 1º Grau e/ou Alunos de Educação Artística (1994 : Londrina, PR):

Pavilhão Industrial e Comercial Carlos Pereira Paschoal (Londrina, PR)

Fontes de pesquisa (10)

  • CINTRÃO, Rejane (Coord.). Arte brasileira sobre papel na coleção do Museu de Arte Moderna de São Paulo. Tradução Izabel Murat Burbridge. Apresentação Tadeu Chiarelli. São Paulo: MAM, 1999. [48] p., il. color.
  • CENTRO CULTURAL BONFIGLIOLI (SÃO PAULO, SP). Desenhos. São Paulo: Centro Cultural Bonfiglioli, 1985. , il. p.b. color.
  • NA ponta do lápis. Rio de Janeiro: Galeria de Arte/UFF, 1986. [16] p., il. p&b.
  • Paulo Portella Filho. In: FÓRUM Permanente: Museus de Arte; entre o público e o privado. Disponível em [http://forumpermanente.incubadora.fapesp.br/portal/.convidados/pauloportella/]. Acesso em 23 de out. 2006.
  • PORTELLA, Paulo. Desenhos: 1994/1996. Londrina: Sala Celso Garcia/UEL, 1996. 1 folha dobrada, il. color.
  • PORTELLA, Paulo. Paulo Portella: 20 situaçoes de AZ-AR. Rio de Janeiro: Galeria Espaço Alternativo, 1983. , il. p&b.
  • PROJETO releitura. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 1983. , il. p&b.
  • SALÃO NACIONAL DE ARTES PLÁSTICAS, 10., 1988, Rio de Janeiro. 10º Salão Nacional de artes plásticas. Rio de Janeiro: Funarte, 1988. [110] p., il. color.
  • SALÃO NACIONAL DE ARTES PLÁSTICAS, 5., 1982, Rio de Janeiro, RJ. 5º Salão Nacional de Artes Plásticas. Texto Paulo Sérgio Duarte. Rio de Janeiro: Funarte, 1982. [22] p. 1 folha dobrada com a relação dos premiados.
  • VELHA mania: desenho brasileiro. Texto Roberto Pontual. Rio de Janeiro: Escola de Artes Visuais do Parque Lage, 1985. 76p., il. p.b.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • PAULO Portella. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa8830/paulo-portella>. Acesso em: 20 de Nov. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7