Artigo da seção pessoas Eli Heil

Eli Heil

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deEli Heil: 1929 Local de nascimento: (Brasil / Santa Catarina / Palhoça) | Data de morte 10-09-2017 Local de morte: (Brasil / Santa Catarina / Florianópolis)
Imagem representativa do artigo

Sem Título , 1984 , Eli Heil

Biografia

Eli Malvina Diniz Heil (Palhoça, Santa Catarina, 1929 - Florianópolis, Santa Catarina, 2017). Pintora, desenhista, ceramista, escultora, tapeceira, poeta. Nos anos 1950, atua como professora de educação física. Autodidata, inicia sua produção artística em 1962. Nessa época, desenha animais e pinta paisagens de morros com casas, utilizando camadas espessas de tinta e cores saturadas. Em 1963, realiza sua primeira mostra individual, em Florianópolis. Nesse ano, o crítico e historiador da arte João Evangelista de Andrade Filho (1931) publica um ensaio sobre a obra da artista e a expõe em Brasília. Ainda nos anos 1960, começa a desenvolver objetos tridimensionais - aplica bonecos de pano na superfície da tela e, em seguida, cria seres imaginários com materiais diversos como cerâmica, cimento, madeira, argamassa e plásticos derretidos. Expõe individualmente no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo - MAC/USP, em 1966, a convite do historiador Walter Zanini (1925). Dois anos depois, passa a expor em países europeus. Participa da 1ª Bienal Latino-Americana de São Paulo, em 1978, e da seção de Arte Incomum da 16ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1981. O Museu de Arte de Santa Catarina - Masc realiza uma mostra retrospectiva de sua obra em 1982. A artista cria, em 1987, O Mundo Ovo de Eli Heil, na capital catarinense, onde monta seu ateliê e um espaço para exibição permanente de sua produção. Em 1994, é inaugurado oficialmente a Fundação O Mundo Ovo de Eli Heil. É autora do livro de poemas e desenhos Vomitando Sentimentos, 2000.

Análise

O conjunto da obra de Eli Heil chama atenção pela variedade de materiais e métodos empregados pela artista. Autodidata, inicia com o desenho e a pintura, mas logo passa a trabalhar com o espaço tridimensional, costurando bordados e formas estofadas sobre suas telas. Em seguida, constrói esculturas utilizando argila, cimento, argamassa, tecido, madeira, plástico derretido ou objetos industrializados reciclados. Nas obras modeladas de barro, destacam-se as superfícies carregadas de texturas e os volumes feitos com fragmentos de formas predominantemente curvas. As pinturas se caracterizam, sobretudo, pelo despojamento técnico e pelo uso não naturalista das cores. Em algumas séries, a grande quantidade de tinta confere às cores uma densidade material.

Eli Heil costuma se referir ao seu trabalho como uma criação espontânea que seria a transposição imediata de seus sentimentos sobre a matéria. Sua obra pode ser considerada no âmbito do que a história da arte denomina de arte primitiva ou ínsita (do latim insitus, inato): uma manifestação estética não erudita ligada a temas do imaginário popular.1 A espontaneidade constitui o vigor e o limite de seus trabalhos. Ao mesmo tempo que propicia articulações formais e simbólicas imprevisíveis, a atitude da artista se restringe ao conceito de arte como sinônimo de auto-expressão.

Suas primeiras produções fazem referência à paisagem urbana de Florianópolis, onde vive. Trata-se de pinturas mostrando morros com casas coloridas que parecem flutuar. Em seguida, a artista figura ícones cristãos e assuntos relacionados ao universo feminino, como o corpo da mulher e a maternidade. No entanto, a maior parte de suas obras apresenta seres híbridos compostos de formas humanas, animais e personagens mitológicos. Esses animais imaginários habitam espaços amorfos feitos com manchas e, muitas vezes, se fundem a eles.

Nota

1. AQUINO, Flávio de. Aspectos da pintura primitiva brasileira. Rio de Janeiro: Spala, 1978. p. 11.

Outras informações de Eli Heil:

  • Outros nomes
    • Eli Malvina Diniz Heil
    • Eli M. Heil
    • Eli Malvina Heil
  • Habilidades
    • desenhista
    • tapeceiro
    • poeta
    • ceramista
    • escultora
    • pintora
    • professora
    • compositora

Obras de Eli Heil: (11) obras disponíveis:

Título da obra: Curral

Artigo da seção obras
Temas da obra: Artes visuais  
Data de criaçãoCurral : 1964
Autores da obra:
Imagem representativa da obra
Legenda da imagem representativa:

Reprodução fotográfica Gerson Zanini

Título da obra: Mandala

Artigo da seção obras
Temas da obra: Artes visuais  
Data de criaçãoMandala : 1971
Autores da obra:
Imagem representativa da obra
Legenda da imagem representativa:

Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Título da obra: Os Animais

Artigo da seção obras
Temas da obra: Artes visuais  
Data de criaçãoOs Animais : 1986
Autores da obra:
Imagem representativa da obra
Legenda da imagem representativa:

Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Exposições (16)

Artigo sobre 28 Artistas do Acervo do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (1968 : Campo Grande, MS)

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de início28 Artistas do Acervo do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (1968 : Campo Grande, MS): 26-08-1968  |  Data de término | 15-09-1968
Resumo do artigo 28 Artistas do Acervo do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (1968 : Campo Grande, MS):

Diário da Serra (Campo Grande, MS)

Artigo sobre 28 Artistas do Acervo do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (1969 : Fortaleza, CE)

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de início28 Artistas do Acervo do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (1969 : Fortaleza, CE): 01-09-1969  |  Data de término | 08-09-1969
Resumo do artigo 28 Artistas do Acervo do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (1969 : Fortaleza, CE):

Centro de Artes Visuais Raimundo Cela (Fortaleza, CE)

Fontes de pesquisa (15)

  • AQUINO, Flávio de. Aspectos da pintura primitiva brasileira. Tradução Richard Spock. Apresentação Geraldo Edson de Andrade. Rio de Janeiro: Spala, 1978. 195 p.
  • ARAÚJO, Adalice. Mito e magia na arte catarinense: Franklin Cascaes & Eli Heil. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 1978. 121 p., il. p&b.
  • CAVALCANTI, Carlos (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1974. v.2: D a L. (Dicionários especializados, 5).
  • EVANGELISTA, João. Eli Heil, uma pintora. Florianópolis: Universidade de Santa Catarina, 1963., il. p&b.
  • HEIL, Eli. Eli Heil: exposição de pinturas. Florianópolis: Biblioteca do Instituto Brasil - Estados Unidos, 1963.
  • HEIL, Eli. Pinturas e desenhos de Eli Heil. São Paulo: MAC/USP, 1966. , il. p&b.
  • HEIL, Eli. Retrospectiva Eli Heil. Florianópolis: MASC, 1984. , il. p&b. 1 il. color.
  • HEIL, Eli. Vomitando os sentimentos. Florianópolis: Fundação O Mundo Ovo de Eli Heil, 2000. 141 p., il. p&b.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • Morre em Florianópolis a artista plástica Eli Heil. Notícias do Dia. Florianópolis. Disponível em: < https://ndonline.com.br/florianopolis/plural/morre-em-florianopolis-a-artista-plastica-eli-heil >. Acesso em: 10 set. 2017.
  • PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.
  • PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. Rio de Janeiro: Edições Jornal do Brasil, 1987.
  • QUATRO damas da arte catarinense: Eli Heil, Elke Hering Bell, Jandira Lorenz, Suely Beduschi. Florianópolis: MASC, 1980. [16] p., il. p&b.
  • SALÃO NACIONAL VICTOR MEIRELLES, 7., 2000, Florianópolis, SC. 7º Salão Nacional Victor Meirelles. Florianópolis: MASC, 2000.
  • ZANINI, Walter (org.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Fundação Djalma Guimarães: Instituto Walther Moreira Salles, 1983. 2v.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ELI Heil. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa8757/eli-heil>. Acesso em: 23 de Set. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7