Artigo da seção pessoas Arnaldo Ferrari

Arnaldo Ferrari

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deArnaldo Ferrari: 25-02-1906 Local de nascimento: (Brasil / São Paulo / São Paulo) | Data de morte 1974 Local de morte: (Brasil / São Paulo / São Paulo)
Imagem representativa do artigo

Construção , 1962 , Arnaldo Ferrari
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Biografia

Arnaldo Ferrari (São Paulo, São Paulo, 1906 - Idem, 1974). Pintor, desenhista, professor. Seguindo a profissão do pai, trabalha como pintor decorador, realizando frisos decorativos para residências. Estuda artes decorativas no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, entre 1925 e 1935. Em 1934, divide um ateliê com amigos no edifício Santa Helena e, pela amizade com o pintor Mario Zanini (1907-1971), aproxima-se dos demais integrantes do Grupo Santa Helena. Como Alfredo Volpi (1896-1988), faz decorações para palacetes, dedicando-se à pintura esporadicamente. Freqüenta também o curso livre de pintura e desenho na Escola Nacional de Belas Artes (Enba), onde tem aulas de desenho e pintura com Enrico Vio (1874-1960), entre 1936 e 1938. Sua produção inicial aproxima-se daquela dos pintores do Grupo Santa Helena em relação aos temas e realiza paisagens dos arredores de São Paulo, naturezas-morta e nus. Entre 1950 e 1959, integra o Grupo Guanabara, com Thomaz (1932-2001), Tomie Ohtake (1913), Tikashi Fukushima (1920-2001) e Oswald de Andrade Filho (1914-1972). Na metade da década de 1950, interessa-se pela obra do pintor uruguaio Joaquín Torres-García (1874-1949), e volta-se para a pintura abstrata e construtivista. É apresentada retrospectiva de sua obra em 1975, no Paço das Artes, em São Paulo, e catálogo com textos de Theon Spanudis (1915-1986), José Geraldo Vieira (1897-1977) e Mário Schenberg (1914-1990).

Análise

Arnaldo Ferrari estuda desenho no Liceu de Artes e Ofícios, entre 1925 e 1935. Também em torno de 1930, freqüenta o curso livre de desenho e pintura da Escola de Belas Artes de São Paulo, onde é aluno de Enrico Vio. Até a década de 1950, acompanha o Grupo Santa Helena, produzindo naturezas-mortas e paisagens dos arredores de São Paulo, que apresentam grande simplificação formal e uma paleta de tons escuros.

A partir da metade da década de 1950, aproxima-se do Grupo Guanabara, também de São Paulo. Nessa época, começa a pintar paisagens urbanas, principalmente fachadas de casas, cujo tratamento formal tende cada vez mais à abstração, como em Casario (1960) e em Igrejas e Casas (1962). Sua pintura passa a vincular-se ao construtivismo geométrico, revelando a apreciação da obra do pintor uruguaio Joaquín Torres-García (1874-1949). Predomina em suas obras um ritmo visual vibrante, dado pela freqüência de curvas e contracurvas ou pelo jogo de ortogonais, em composições cuidadosas. Os quadros revelam uma pulsação interna forte, dada também pelo uso da gama cromática, densa e profunda, mais do que impactante. Na opinião do historiador da arte Walter Zanini (1925), na obra do artista está presente sempre uma espiritualização em tudo aquilo que compõe o seu universo.

Outras informações de Arnaldo Ferrari:

Obras de Arnaldo Ferrari: (19) obras disponíveis:

Exposições (53)

Todas as exposições

Eventos relacionados (2)

Artigo sobre sp-arte 2010

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de iníciosp-arte 2010: 29-04-2010  |  Data de término | 02-05-2010
Resumo do artigo sp-arte 2010:

Fundação Bienal de São Paulo

Artigo sobre sp-arte 2011

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de iníciosp-arte 2011: 12-05-2011  |  Data de término | 15-05-2011
Resumo do artigo sp-arte 2011:

Fundação Bienal de São Paulo

Fontes de pesquisa (14)

  • 5 Mestres brasileiros. trad. Judith Hodgson. BIEZUS, Ladi. Roberto Pontual. Rio de Janeiro, Kosmos, 1977.
  • AMARAL, Aracy A. (Org.). Arte construtiva no Brasil: Coleção Adolpho Leirner. Tradução Izabel Murat Burbridge. São Paulo: DBA, 1998. 364 p. 
  • ARNALDO Ferrari. Apresentação de Walter Zanini. Texto de Daisy Peccinini de Silva. São Paulo: Portal Galeria de Arte, s.d.
  • ARNALDO Ferrari: retrospectiva. São Paulo: Paço das Artes, 1975.
  • AYALA, Walmir (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1980. v.4: Q a Z. (Dicionários especializados, 5).
  • CAVALCANTI, Carlos (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1974. v.2: D a L. (Dicionários especializados, 5). IC R703.0981 C376d v.2 pt. 1
  • FERRARI, Arnaldo. Arnaldo Ferrari. Apresentação de Walter Zanini. Texto de Daisy Peccinini de Silva. São Paulo: Portal Galeria de Arte, s.d.
  • FERRARI, Arnaldo. Arnaldo Ferrari: retrospectiva. São Paulo: Paço das Artes, 1975.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.
  • PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. Rio de Janeiro: Edições Jornal do Brasil, 1987.
  • SCHENBERG, Mario. Pensando a arte. São Paulo: Nova Stella, 1988.
  • SPANUDIS, Theon. Construtivistas brasileiros. São Paulo: o Autor, s.d.
  • ZANINI, Walter (Coord.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Instituto Moreira Salles: Fundação Djalma Guimarães, 1983. v.2.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ARNALDO Ferrari. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa8720/arnaldo-ferrari>. Acesso em: 20 de Abr. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7