Artigo da seção pessoas Guimarães Rosa

Guimarães Rosa

Artigo da seção pessoas
Literatura  
Data de nascimento deGuimarães Rosa: 27-06-1908 Local de nascimento: (Brasil / Minas Gerais / Cordisburgo) | Data de morte 19-11-1967 Local de morte: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)
Imagem representativa do artigo

Grande Sertão: Veredas , 1956 , Guimarães Rosa
Reprodução Fotográfica Horst Merkel

Biografia
João Guimarães Rosa (Cordisburgo, Minas Gerais, 1908 - Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1967). Contista, romancista, poeta, médico e diplomata. Forma-se em medicina pela Universidade de Minas Gerais, em 1930. Durante dois anos, exerce a profissão na cidade de Itaguara, no interior mineiro, o que lhe permite conhecer o cotidiano dos sertanejos, que retrata mais tarde em seus contos, novelas e no romance Grande Sertão: Veredas. Atua, então, como oficial-médico no 9º Batalhão de Infantaria em Barbacena, na Revolução Constitucionalista. Em 1934, ingressa na carreira diplomática, favorecido pelo conhecimento de idiomas, que começa a aprender aos 7 anos de idade. Em 1937, recebe prêmio da Academia Brasileira de Letras (ABL) por seu único volume de poesia, Magma, que o autor mantém inédito (a primeira edição, póstuma, sai em 1997). Nesse mesmo ano, participa de outro concurso com a coletânea de contos Sagarana, que, apesar do voto favorável de Graciliano Ramos, obtém a segunda colocação. O volume é revisado pelo autor e publicado em 1946 e recebe diversas premiações, sendo considerado hoje uma das obras mais importantes da ficção brasileira do século XX. Uma das histórias mais conhecidas de Rosa, A Hora e a Vez de Augusto Matraga, pertencente a esse volume, é adaptada para o cinema em 1965, pelo diretor Roberto Santos. Em 1961, Rosa ganha o Prêmio Machado de Assis pelo conjunto de sua obra literária. É eleito para a ABL, em 1963, por unanimidade, mas, supersticioso, temendo a morte no momento de sua "consagração", adia a cerimônia de posse por quatro anos, e veste o fardão em 16 de novembro de 1967. Morre três dias depois, no Rio de Janeiro, aos 59 anos.

Comentário Crítico
Os contos e as novelas de Guimarães Rosa destacam-se pelas inovações de linguagem, e em especial pelo uso da fala popular, de expressões regionais, mescladas a neologismos, arcaísmos, palavras indígenas, estrangeiras, e ainda por construções inusitadas de frases que por vezes se chocam com a própria sintaxe da língua portuguesa. A esse respeito, escreve Haroldo de Campos (1929 - 2003): "[...] sua revolução da palavra, consegue fazer dela um problema novo, autônomo, alimentado em latências e possibilidades peculiares a nossa língua, das quais tira todo um riquíssimo manancial de efeitos". Alberto da Costa e Silva (1931) afirma que Rosa "escreveu um romance, novelas e contos como se fizesse poesia. Sabendo que as palavras, além de significado, 'têm canto e plumagem', e que as frases não devem ser gaiolas, mas, sim, espaço e, no espaço, voo".

continuar a leitura do texto Continuar a leitura do texto...

Outras informações de Guimarães Rosa:

  • Outros nomes
    • João Guimarães Rosa
  • Habilidades
    • poeta
    • médico
    • romancista
    • diplomata
    • contista

Obras de Guimarães Rosa: (5) obras disponíveis:

Espetáculos (22)

Todos os espetáculos

Exposições (2)

Fontes de pesquisa (4)

  • FONTA, Sérgio. [Currículo]. Enviado pelo artista em 2011 Não Catalogado
  • Planilha enviada pelo pesquisador Edélcio Mostaço Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - A Hora e a Vez de Augusto Matraga - 2004 Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - O Homem Provisório - 2007 Não catalogado

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • GUIMARÃES Rosa. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa7554/guimaraes-rosa>. Acesso em: 16 de Dez. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7