Artigo da seção pessoas Amílcar Bettega

Amílcar Bettega

Artigo da seção pessoas
Literatura  
Data de nascimento deAmílcar Bettega: 1964 Local de nascimento: (Brasil / Rio Grande do Sul / São Gabriel)

Amílcar Bettega Barbosa (São Gabriel, Rio Grande do Sul, 1964). Escritor, tradutor e professor. Sua obra literária é predominantemente composta de contos e narrativas curtas, com incursão pelo romance. O autor integra o contexto da literatura brasileira contemporânea e tem uma escrita marcada por forte apelo imagético, metalinguagem e intertextualidade. Suas ficções retratam universos desconcertantes, permeados por personagens em conflito com sua realização pessoal e afetiva, além de exibirem com frequência elementos do realismo fantástico.1

Bettega inicia sua carreira na literatura depois de concluir a graduação em engenharia civil pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em 1987. Em 1994 lança seu primeiro livro de contos, O vôo da trapezista (1994), que recebe o Prêmio Açorianos de literatura em 1995. Segundo o jornalista Miguel Sanches Neto (1965), em comentário crítico presente na segunda edição do livro, este se divide em duas partes: a primeira, em que seres atormentados vivem solitários, e a segunda, em que crianças sofrem com a brutalidade dos personagens adultos, repletos de frustração e insensibilidade.

O jogo de duplicidades presente em diversos contos dá coesão ao livro e se torna objeto de estudos acadêmicos, como As manifestações do duplo em contos de Amílcar Bettega Barbosa (2015). A narrativa "Entre Billy e Antônio", por exemplo, se desenvolve em torno do conflito marcado por ressentimentos e violência entre os dois primos que dão nome ao conto. O narrador e protagonista Billy tem um comportamento sádico e uma psicopatologia gradualmente agravada: a de caçar e comer ratos crus. O texto é permeado pela intertextualidade com histórias biográficas de William Harrigan Bonney (1859-1881), assassino do velho oeste estadunidense conhecido como Billy the Kid.

Em 2000, Bettega conclui mestrado em letras pela UFRGS. Em 2002, lança seu segundo livro de contos, Deixe o quarto como está (2002), em que se aprofunda no gênero fantástico. O livro vence o Prêmio Açorianos em 2003 e recebe menção honrosa no Prémio Casa de Las Américas, em Cuba. Destacam-se na obra o rigor formal, o sentimento de inadequação dos personagens, o grotesco e a atmosfera intimista, por vezes claustrofóbica.

Um exemplo dessas características está no conto "O rosto", narrado em primeira pessoa. O narrador-protagonista, cujo nome não se sabe, vive em uma casa que, sem motivos conhecidos ou questionados, transforma-se sozinha. O lugar e a função de cômodos, paredes e objetos se alteram constantemente, como se a casa quisesse confundir o narrador e fazê-lo perder-se. Essa circunstância insólita não provoca estranhamento no protagonista, que parece habituado aos mecanismos da casa. Nesse contexto, um rosto voador, sem corpo, aparece na casa, desencadeando uma perseguição mútua entre ele e o narrador.

No livro de contos Os lados do círculo (2004), vencedor do Prêmio Portugal Telecom em 2005, Bettega prossegue com o gênero fantástico. O livro rende estudos críticos sobre a representação do espaço, a metalinguagem e o deslocamento, como a pesquisa que dá origem ao artigo Os lados do círculo – espaços ficcionais (2007), da professora de literatura Masé Lemos.

Como tradutor, Bettega destaca-se pelo trabalho 125 contos de Guy de Maupassant (2009) – com 820 páginas, é o maior volume de contos de Maupassant (1850-1893) já publicado no Brasil. Em 2012, conclui doutorado em regime de cotutela: em études du monde lusophone, pela Université Sorbonne Nouvelle, e em escrita criativa, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2012). Durante a investigação de doutorado, participa do projeto Amores Expressos, cujo objetivo é levar autores a algumas capitais do mundo para escreverem histórias ambientadas nelas; estas seriam posteriormente publicadas na coleção que dá nome ao projeto. Bettega passa um mês em Istambul, e sua vivência resulta no romance Barreira (2013). Trata-se de uma narrativa não linear, em que a forma e a linguagem são espaços de experimentação estética, para além do enredo.

Em 2014, o autor passa a residir na China, onde leciona no Departamento de Português e Espanhol da Beijing International Studies University (BISU), atuando em estudos lusófonos e literatura brasileira. Em 2019, volta aos textos breves com Prosa pequena. Numa entrevista a Carlos André Moreira (1974), diz que não se trata de contos ou crônicas, mas de prosas. O livro é uma seleção de 69 narrativas curtas publicadas anteriormente em uma coluna semanal da revista online Terra Magazine. Ele reúne impressões de paisagens, memórias de infância e de viagens. Um dos pontos comuns aos textos é o forte apelo visual.

A obra ficcional de Bettega é publicada em Portugal, Espanha e Bulgária, e alguns de seus contos integram revistas e antologias de países como França, Itália, Estados Unidos, Suécia, Luxemburgo e Romênia.

 

Nota:

1. Forma literária em que acontecimentos sobrenaturais fazem parte do universo ficcional e são tratados com naturalidade pelos personagens.

Outras informações de Amílcar Bettega:

  • Outros nomes
    • Amílcar Bettega Barbosa
  • Habilidades
    • Escritor
    • Tradutor
    • Professor

Fontes de pesquisa (18)

  • BARBOSA, Amílcar Bettega. Da leitura à escrita: a construção de um texto, a formação de um escritor. 2012. Tese (Doutorado em Letras) – Faculdade de Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.
  • BARBOSA, Amílcar Bettega. O vôo da trapezista. Porto Alegre: WS Editor, 1994.
  • BARBOSA, Amílcar Bettega. Os lados do círculo. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.
  • BARBOSA, Amílcar Bettega. Prosa pequena. Porto Alegre: Zouk, 2019.
  • BARBOSA, Amílcar Bettega. A sombra. In: CÔRTES, Sérgio (Org.). Alquimia da palavra: antologia de contos. Porto Alegre: Oficina de Criação Literária Alquimia da Palavra, 1992.
  • BARBOSA, Amílcar Bettega. Currículo do sistema currículo Lattes. [Brasília], 7 fev. 2019. Disponível em: http://lattes.cnpq.br/0407819586756084. Acesso em: 23 maio 2020.
  • BARBOSA, Amílcar Bettega.  Deixe o quarto como está: estudos para a composição do cansaço. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.
  • CORRÊA, Rafaela Cardoso. O insólito nas narrativas de Mário de Carvalho e Amílcar Bettega Barbosa: uma leitura de “Dies irae”, “O crocodilo I” e “O crocodilo II”. In: Anais do XXII Congresso Internacional da ABRALIP. Bahia. 2011. p. 2267-2275.
  • FONTOURA, Daniela Barbosa da; RODRIGUES, Inara de Oliveira. A rotação dos símbolos em Os lados do círculo, de Amílcar Bettega Barbosa. Disciplinarum Scientia: Artes, Letras e Comunicação, Santa Maria, v. 9, n. 1, p. 93-114, 2008.
  • JI, Renan. O fantástico no quarto de Amílcar Bettega Barbosa. In: O Insólito e seu Duplo: Anais do VI Painel Reflexões sobre o Insólito na narrativa ficcional, I Encontro Regional Insólito como Questão na Narrativa Ficcional. Dialorgarts. Rio de Janeiro, p. 221-232. 2010.
  • LEMOS, Masé. Os lado do círculo - espaços ficcionais. In: LEMOS, Masé (org.). Alguma prosa: ensaios sobre literatura brasileira contemporânea. p. 179 -192. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2007.
  • MARINHO, Josilene Neusa. Do sentimento do fantástico contemporâneo: a presença de Murilo Rubião e Amílcar Bettega Barbosa. In: O Insólito e seu Duplo: Anais do VI Painel Reflexões sobre o Insólito na narrativa ficcional, I Encontro Regional Insólito como Questão na Narrativa Ficcional. Dialorgarts. Rio de Janeiro, p. 126-132. 2010.
  • MASINA, Lea. Uma leitura (possível) do romance Barreira. In: BARBERENA, Ricardo (org). Das luzes às soleiras: perspectivas críticas na literatura brasileira contemporânea. P. Alegre: Luminara, 2014
  • MAUPASSANT, Guy de. 125 contos de Guy de Maupassant. Tradução de Amílcar Bettega. São Paulo: Companhia das Letras, 2009. (Tradução/Livro).
  • MELLO, Ana Maria Lisboa de. A estranha realidade nos contos de Amílcar Bettega Barbosa. In.: GOMES, Gínia Maria (Org.). Narrativas contemporâneas: recortes críticos sobre literatura brasileira. Porto Alegre: Libretos, 2012. p. 297-311.
  • MOREIRA, Carlos André. Premiado autor gaúcho Amílcar Bettega lança livro “Prosa Pequena”. Portal de notícias GaúchaZH, 29 out. 2019. Disponível em: https://gauchazh.clicrbs.com.br/cultura-e-lazer/livros/noticia/2019/10/premiado-autor-gaucho-Amílcar-bettega-lanca-livro-prosa-pequena-ck2cc8qbj0aru01r2nwk9fzrd.html. Acesso em: 24 maio 2020.
  • OLIVEIRA, Karine Brião. As manifestações do duplo em contos de Amílcar Bettega Barbosa. Dissertação (Mestrado em História da Literatura) – Instituto de Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, 2015. Disponível em:  https://ppgletras.furg.br/images/Dissertacoes_pdfs/Karine-Brio.pdf. Acesso em: 24 maio 2020.
  • SANCHES NETO, Miguel. Entre dois tempos: viagem à literatura contemporânea no Rio Grande do Sul. São Leopoldo: Ed. UNISSINOS, 1999.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • AMÍLCAR Bettega. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2021. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa640797/amilcar-bettega>. Acesso em: 11 de Abr. 2021. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7