Artigo da seção pessoas Sígrido Levental

Sígrido Levental

Artigo da seção pessoas
Música  
Data de nascimento deSígrido Levental: 1941 Local de nascimento: (Brasil / São Paulo / Santos) | Data de morte 29-01-2017 Local de morte: (Brasil / São Paulo / São Paulo)

Biografia

Sígrido Levental (Santos, São Paulo, 1941 – São Paulo, São Paulo, 2017). Professor, gestor público, pianista. Inicia os estudos de piano na infância, com Luísa Gelli Jacoponi e Oraída do Amaral Camargo, e aperfeiçoa-se com José de Souza Lima. Seu primeiro recital público acontece em Santos, no Clube XV, aos 13 anos. Em 1955, diploma-se e recebe a medalha de mérito artístico de uma banca julgadora presidida pela pianista Ana Stella Schic (1925-2009). Em 1957, oferece recital dedicado ao compositor alemão Ludwig van Beethoven (1770-1827) e ao polonês Frédéric Chopin (1810-1849) na Rádio Pública de Santos. É solista de concertos da Orquestra de Cordas Archangelo Corelli, de Oswaldo Orsini (ca.1956).

Em 1958, estreia como solista no Theatro Municipal de São Paulo, sob regência de Camargo Guarnieri (1907-1993). No ano seguinte, interpreta o Concerto em Ré Menor, do compositor alemão Johann Sebastian Bach (1685-1750), como solista da Orquestra Universitária de Concertos da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Em 1959, assume a direção do Conservatório Musical Brooklin Paulista (CMBP) e dedica-se à formação de instrumentistas e compositores. Em 1967, participa da criação do Movimento Pró-Música Brasileira, ao lado do musicólogo Arnaldo Contier (1941) e do regente Sérgio de Vasconcellos Corrêa (1934). Em 1973, cria o Grupo de Percussão do CMBP, em parceria com o percussionista Cláudio Stephan. Em 1978, inaugura a Editora Novas Metas, dedicada à publicação de partituras e material de apoio, com ênfase na produção de autores brasileiros e latino-americanos.

Em 1982, Sígrido integra a comissão responsável pela formulação, na área musical, do programa do candidato a governador paulista Franco Montoro. Dois anos depois, idealiza a criação do Projeto Filarmômico e assume a coordenação pedagógica do Festival Internacional de Inverno de Campos de Jordão, na qual trabalha até 2003.

Em 2004, integra a direção da Universidade Livre de Música e reformula o projeto didático da instituição, com o compositor Aylton Escobar (1943) e a professora e pianista Aída Machado. De 2004 a 2007, participa do Projeto Guri, um programa de educação musical para adolescentes de 6 a 18 anos. Ao longo de 2006, coordena as atividades educacionais da Fundação Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) e participa da criação da Academia da Osesp.

Em 2014, é tema do projeto Obrigado, Sígrido, criado por ex-alunos e familiares. No mesmo ano, é homenageado em um concerto da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo. Em 2015, sua trajetória é celebrada em duas ocasiões: na Sala São Paulo, durante concerto da Orquestra de Bolsistas do Festival de Inverno de Campos do Jordão, e no Auditório Ibirapuera, em concerto da Escola Municipal de Música de São Paulo.

Análise

Embora inicie uma promissora carreira como músico, a importância de Sígrido Levental para a música clássica paulista e brasileira é o trabalho de formação de instrumentistas e compositores. Sua atividade pedagógica inicia-se nos anos 1950, período em que ainda não existem em São Paulo cursos universitários de música ou instituições de ensino ligadas ao poder público. Na direção do Conservatório Musical Brooklin Paulista, ajuda a estabelecer as bases para a educação musical na cidade, ampliando a oferta de cursos de instrumentos e de artistas capazes de integrar orquestras e formações de câmara.

No CMBP, a escolha de instrumento é feita em conjunto com o aluno e não se concentra apenas nos cursos de maior procura, como os de piano e violino. O ensino não se limita à técnica. A educação musical deve estar acompanhada da reflexão sobre o fomento da música de câmara (considerada a base de uma vida musical sólida), do estudo da história da música e do diálogo com outras artes, com realização de concertos e saraus em que a música une-se à poesia ou ao teatro.

Atenção especial é dedicada à criação contemporânea. Sob a direção de Levental, o conservatório torna-se ponto de encontro de compositores como Hans-Joachim Koellreuter (1915-2005), Osvaldo Lacerda (1927-2011), Régis Duprat (1930), Mário Ficarelli (1935) ou Aylton Escobar (1943). Levental estimula o contato entre criador e intérprete, compreendendo este como fundamental na ampliação do repertório daquele.

A criação da Editora Novas Metas faz circular partituras que servem de base para apresentações dentro e fora do CMBP. Em um momento de antagonismos estéticos na música de concerto brasileira, Levental faz questão de abrir o catálogo da editora para publicar autores de diferentes correntes.

A partir dos anos 1980, o músico atua na esfera pública. Ele utiliza a experiência adquirida no CMBP para a criação de uma política pública de formação de músicos, base para o desenvolvimento de uma vida musical nova e enriquecedora. Envolve-se nos principais projetos da área, atuando em diferentes frentes e contemplando variadas facetas da formação musical.

O pioneirismo do trabalho de Sígrido Levental pode ser definido pelas palavras de Aylton Escobar:

O conservatório, por exemplo, foi um ponto de encontro entre instrumentistas e compositores de diferentes gerações, preocupados em pensar uma nova música e sua relação com a sociedade. Isso é importante. Sígrido é um visionário, sua atividade foi sempre pautada pela vontade de transformar. Ele plantou, em tudo o que fez, perguntas e ideias que transformaram a nossa vida musical1.

Seu trabalho como coordenador pedagógico do Festival de Inverno de Campos do Jordão, em parceria com outros diretores artísticos, como o maestro Eleazar de Carvalho (1912-1996) e o maestro e compositor Aylton Escobar, procura abrir maior espaço para a música de câmara, além de fomentar a atividade orquestral e estimular a criação de oficinas realizadas por compositores de diferentes orientações estéticas. Os mesmos valores são adaptados à metodologia da Universidade Livre de Música, com preocupação adicional de trabalhar a musicalização infantil, princípio utilizado no Projeto Guri. Na Fundação Osesp, trabalha na formatação da série de concertos didáticos, oferecidos a alunos da rede pública de ensino, e no ensino de alta performance, dentro do contexto da Academia da Osesp.

 

Nota

1 ESCOBAR, Aylton. Aylton Escobar. São Paulo, 10 dez. 2014. Entrevista concedida ao jornalista João Luiz Sampaio. 

Outras informações de Sígrido Levental:

Fontes de pesquisa (7)

  • AYER, Maurício. Música nas montanhas: 40 anos do Festival de Inverno de Campos do Jordão. São Paulo: Santa Marcelina Cultura, 2009.
  • CICACCIO, Ana Maria; IELO, Maurício. Festival de Inverno busca definir rumos. O Estado de S.Paulo, São Paulo, 1 jul. 1984. Cultura, p. 30.
  • COLARUSSO, Osvaldo. A morte de um verdadeiro idealista: Sígrido Levental (1941-2017). Falando de Música. In: Gazeta do Povo. Curitiba, 2017. Disponível em: http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/falando-de-musica/a-morte-de-um-verdadeiro-idealista-sigrido-levental-1941-2017/ Acesso em: 06 de fev. de 2017.
  • LEVENTAL, Sígrido. Sígrido Levental. São Paulo, fev. 2015. Entrevista concedida ao jornalista João Luiz Sampaio. 
  • MARTINS, José Eduardo. Sígrido Levental: a dignidade como respiração. São Paulo, 13 dez. 2014. Disponível em: < http://blog.joseeduardomartins.com/index.php/2014/12/13/sigrido-levental/ >. Acesso em: 12 nov. 2015.
  • ORQUESTRA Universitária de Concertos. O Estado de S.Paulo, São Paulo, 22 out. 1959. Cultura, p. 10.
  • TULLIO, Eduardo Fraga. O Grupo do Brooklin: semente da percussão contemporânea no Brasil. Tese (Doutorado) – Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro, Aveiro, 2014.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • SÍGRIDO Levental. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa638065/sigrido-levental>. Acesso em: 22 de Out. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7