Artigo da seção pessoas Lúcia Miguel Pereira

Lúcia Miguel Pereira

Artigo da seção pessoas
Literatura  
Data de nascimento deLúcia Miguel Pereira: 12-12-1901 Local de nascimento: (Brasil / Minas Gerais / Barbacena) | Data de morte 22-12-1959 Local de morte: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)

Biografia

Lúcia Miguel Pereira (Barbacena, Minas Gerais, 1901 - Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1959). Crítica literária, romancista, ensaísta e biógrafa. Filha de Miguel da Silva Pereira, professor de clínica médica engajado em campanhas sanitaristas no começo do século XX, e de Maria Clara Tolentino Pereira, é criada no Rio de Janeiro e estuda no Notre Dame de Sion, tradicional colégio católico da cidade. Funda a Revista Elo, com amigas de escola, e nela publica seus primeiros escritos, entre os anos de 1927 e 1929. É mais tarde chamada de "Madame du Staël do século XX" pela importância de sua produção intelectual no Brasil, tendo ajudado a consolidar a geração de prosadores modernos da década de 1930 por meio de ensaios e artigos de jornal. Escreve crítica propositiva, que estabelece diálogo com as obras assim que são publicadas. Entra em polêmica com o escritor Jorge Amado (1912 - 2001), ao discutir sobre literatura e política, e faz análises das obras de escritores como Graciliano Ramos (1892 - 1953), Jorge de Lima (1895 - 1953) e Murilo Mendes (1901 - 1975).  Numa carreira de intensa colaboração com periódicos, escreve para O Estado de S. Paulo, Correio da Manhã, Gazeta de Notícias, Revista do Brasil, Boletim de Ariel, A Ordem e Lanterna Verde. Aos 32 anos, estréia como romancista, com Maria Luísa, e publica também seu segundo romance, Em Surdina. No entanto, sua carreira de escritora, que se estende até 1954, não tem acolhida tão favorável quanto sua obra ensaística, na qual se dedica ao "ofício de compreender", como define. Participa da revista Movimento, para a qual contribuíam, entre outros, o poeta e escritor Mário de Andrade (1893 - 1945). Escreve duas biografias críticas, Machado de Assis, de 1935, obra fundamental dentro da crítica machadiana, e A Vida de Gonçalves Dias, publicada em 1943, incluindo a recuperação de um inédito diário de viagens do poeta, considerado perdido. Depois de muita pesquisa, no fim dos anos 1940, encontra uma cópia de Dona Guidinha do Poço, livro escrito em 1892 e hoje considerado a obra-prima do escritor Manuel de Oliveira Paiva (1861 - 1892), até então inédito. Em 1948, com a fundação do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ, assume a coordenação dos serviços de biblioteca do museu. Traduz O Tempo Redescoberto, parte da obra Em Busca do Tempo Perdido, do escritor francês Marcel Proust (1871 - 1922), publicada em 1958 pela Editora Globo. Morre no Rio de Janeiro, em desastre aéreo, no dia 22 de dezembro de 1959, com o marido, o advogado e historiador Octávio Tarquínio de Sousa (1889 - 1959).

Outras informações de Lúcia Miguel Pereira:

  • Habilidades
    • escritor
    • Crítico literário
    • ensaísta
    • Romancista

Obras de Lúcia Miguel Pereira: (1) obras disponíveis:

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • LÚCIA Miguel Pereira. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa6362/lucia-miguel-pereira>. Acesso em: 19 de Jan. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7