Artigo da seção pessoas Alexandre Levy

Alexandre Levy

Artigo da seção pessoas
Música  
Data de nascimento deAlexandre Levy: 10-11-1864 Local de nascimento: (Brasil / São Paulo / São Paulo) | Data de morte 17-01-1892 Local de morte: (Brasil / São Paulo / São Paulo)

Biografia

Alexandre Levy (São Paulo SP 1864 - Idem 1892). Compositor, pianista, regente e crítico musical. Filho do clarinetista francês Henrique Luís Levy e da suíça Anne Marie Teodoreth¹. Vindos de Campinas, o casal se estabelece em São Paulo em 1860 e funda a Casa Levy, uma loja de pianos e partituras. Durante todo o final do século XIX o estabelecimento permanece como importante ponto de encontro de músicos paulistanos e nele são divulgadas composições como A Sertaneja, rapsódia para piano do estudante de direito Brasílio Itiberê da Cunha e a modinha Quem Sabe, de Carlos Gomes, amigo de longa data do pai, Henrique Levy. O casal tem quatro filhos, dois deles profundamente influenciados pela formação musical dos pais: Luiz (1861-1935) e Alexandre Levy. O irmão mais velho é o primeiro professor de piano de Alexandre. Criado neste ambiente musical e de grandes personalidades, ele apresenta-se ao público aos 8 anos. Ainda garoto, continua sua formação como instrumentista com aulas com os pianistas franceses radicados em São Paulo, Louis Maurice e Gabriel Giraudon e, mais tarde, em 1883, estuda harmonia e contraponto com o compositor o alemão radicado em São Paulo Georg von Madeweiss. Em 1885, retoma os estudos de harmonia e composição com o professor austríado, naturalizado brasileiro, Gustavo Wertheimer.

Suas primeiras composições são publicadas, ainda na adolescência, no início da década de 1880. Em algumas delas se identifica a influência da amizade de Carlos Gomes com a família, como nas variações em forma de Fantasia sobre temas do O Guarani (1880, para dois pianos) e Fosca (1881). Como é comum à época, essas partituras são editadas na Europa. Em 1882 viaja a Buenos Aires onde se apresenta com o irmão Luiz no Club Unión Argentina, executando a quatro mãos a Segunda Rapsódia Húngara, de Franz Liszt (1811 - 1886) Em 1883 participa da fundação do Club Haydn na tentativa de estimular a cultura musical paulistana. Em 1885, rege, no 20º Concerto no Teatro São José, uma orquestra de 26 instrumentistas, a Sinfonia nº 1, de Joseph Haydn, e uma Abertura de Otto Nicolai (1810 - 1849).

Durante o ano de 1887 passa nove meses estudando entre Milão, onde conhecem os professores Cerare Dominicet (1821 - 1888) e Alberto Giannini (1842 - 1903), e Paris, onde tem aulas de harmonia e contraponto com Émile Durand (1830 - 1903), mestre de Claude Debussy (1850 - 1918), e Vizenzo Ferroni (1958 - 1934). Ao retornar, retoma as atividades artísticas e faz crítica musical no jornal Correio Paulistano, assinando artigos com o pseudônimo Figarote. A partir deste momento torna-se compositor prolífico, compondo entre outras, obras sinfônicas como Werther (1888), Sinfonia em Mi Menor (1889) e a Suíte Brésilienne (1890); música de câmara, como o quarteto de cordas Reverie (1889); música vocal, Marcha com Coros (1888) e Aimons (1889); e solos para piano, como Variations sur un Thème Populaire Brésilien (Vem cá Bitu - 1887), Tango Brasileiro (1890) e Schumanniana (1891).

Nota:
¹ Em algumas fontes como o a ENCICLOPÉDIA da música brasileira: erudita, folclórica, popular. Edição Marcos Antonio Marcondes. São Paulo: Art Editora: Itaú Cultural, 1998., aparece o nome Laurette Chassot, porém no site oficial da Casa Levy (http://www.casalevydepianos.com.br/historia) consta Anne Marie Teodoreth. Já no artigo Judeus da Alsácia e imigrantes alsacianos na vida cultural do Brasil e da Argentina, publicado na Revista Brasil-Europa, nº 120/8, de 2009 (http://www.revista.brasil-europa.eu/120/LuisHenriqueLevy.html), consta Anne Marie Teodorette Laurette Chassot. Optamos por utilizar o nome como é grafado no site da Casa Levy

 

Comentário Crítico

Alexandre Levy é considerado pela historiografia da música, ao lado de Alberto Nepomuceno (1864-1920), um dos compositores precursores, no final do século XIX, da formação do caráter nacional da música erudita no Brasil. Sua trajetória é compreendida em direção da descoberta dessa nacionalidade. Inicialmente é um jovem e promissor compositor com características evidentemente Românticas - e de certo modo sua morte repentina que interrompeu prematuramente a carreira em ascensão reforça essa imagem - influenciado por Robert Schumann - que homenageou com sua Schumanniana (1891) - e Richard Wagner (1813 - 1883). Sua passagem pela Europa no final da década de 1880 significa seu amadurecimento artístico. A experiência européia teria também influenciado o jovem compositor nos projetos de modernização da cultura musical paulistana e brasileira, apoiando a formação de um circuito musical na cidade de São Paulo composto por instrumentistas, público e crítica. Para alguns intérpretes, a partir deste momento ele deixa as influências Românticas em segundo plano e assume um caráter mais modernizador e de acordo com a geração intelectual do final do século XIX. Deste modo, ele inspira-se em temas populares em suas composições e é identificado com o processo formativo da música nacionalista. No entanto, não são temas exclusivamente folclóricos e indigenistas, como era voga à época: ele busca elementos no mundo urbano e na cultura afro-brasileira.

continuar a leitura do texto Continuar a leitura do texto...

Outras informações de Alexandre Levy:

  • Habilidades
    • Compositor
    • Regente/maestro
    • Pianista

Fontes de pesquisa (4)

  • ANDRADE, Mário de, "Evolução social da música no Brasil", In Aspectos da música no Brasil, 2ª ed., SP, Martins/INL, 1975.
  • Página web oficial da Casa Levy. Disponível em:
    http://www.casalevydepianos.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=51:historia-alexandre-levy&catid=38:historia&Itemid=62 . Acesso em: 06 de outubro de 2011.
  • SEGALA, Camila Dura. Alexandre Levy: uma revisão, Dissertação de Mestrado, Instituo de Artes, Unesp. 2003.
     
    TUMA, Said. O Nacional e o Popular na Música de Alexandre Levy: Bases de um Projeto de Modernidade. Dissertação de Mestrado, Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo. 2008.
  • MARIZ, Vasco. História da música no Brasil. 2.ed., Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1983.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ALEXANDRE Levy. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa593911/alexandre-levy>. Acesso em: 19 de Nov. 2018. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7