Artigo da seção pessoas Damião Barbosa de Araújo

Damião Barbosa de Araújo

Artigo da seção pessoas
Música  
Data de nascimento deDamião Barbosa de Araújo: 27-09-1778 Local de nascimento: (Brasil / Bahia / Itaparica) | Data de morte 20-04-1856 Local de morte: (Brasil / Bahia / Salvador)

Biografia
Damião Barbosa de Araújo (Itaparica, Bahia, 1778 – Salvador, Bahia, 1856). Compositor, violinista, regente e professor. Filho do sapateiro e melômano Francisco, começa os estudos musicais como autodidata, em sua cidade natal. Em Salvador, atua junto aos primeiros violinos da Casa de Ópera e na Irmandade de Santa Cecília. Paralelamente, desenvolve carreira militar. Em 1797, ingressa na infantaria, onde serve por nove anos. Em seguida, serve na Real Marinha por mais dois anos. Em 1808, junto com o Corpo da Brigada Real da Marinha, viaja para o Rio de Janeiro, na mesma embarcação que traz a família real portuguesa ao Brasil. Na capital, trabalha na Brigada do Príncipe, onde se torna chefe e compositor. Atua na Irmandade de Santa Cecília, a partir de 1819 e, depois da Independência, ingressa, como violinista, na Capela Imperial. Trabalha, ainda, como mestre de uma banda de menores. No Rio de Janeiro, aproxima-se do padre José Mauricio Nunes Garcia (1767-1830) e do organista e compositor Marcos Portugal (1762-1830). Retorna a Salvador em 1928. Entra para a Academia de Música, atua como professor particular de piano e, em 1854, torna-se mestre de capela de Salvador. De seus cinco filhos, Tertuliano segue a carreira musical, como organista e membro da Irmandade de Santa Cecília da Bahia.

Análise da trajetória
Primeiro mestre de capela não-eclesiástico da Catedral de Salvador, Araújo é definido pelo pesquisador Pablo Sotuyo Blanco como o músico mais importante convidado pelo príncipe D. João [futuro D. João VI (1767-1826)] para ser membro da sua Real Capela[1], e o musicólogo Vincenzo Cernicchiaro (1858-1928) louva seu “extraordinário talento”[2].

A localização, restauro, catalogação e atribuição de suas obras é tarefa que ainda hoje desafia os pesquisadores. A parte mais difundida de sua produção é a sacra, com um Memento Baiano para coro e orquestra, além de diversas missas e motetos.

Araújo compõe marchas e outras peças de caráter militar, além de árias, duetos [incluindo uma versão de um trecho da ópera La Cenerentola, do italiano Gioachino Rossini (1792-1868)] e coros para obras teatrais apresentadadas na Bahia. Compos também a modinha “Tristes Saudades” e a valsa “Sempre Viva”. Para orquestra, escreve Capricho Musical [com temas da ópera Ernani, do italiano Giuseppe Verdi (1813-1901)] e ao menos sete aberturas. Pioneiro da música de câmara no Brasil, dedica o Quarteto ao ministro Antônio de Araújo de Azevedo (1754-1817), que exerce essa função de 1814 a 1817, data provável dessa composição.

Dentre suas árias, romanças e peças de salão, destacam-se os Conselhos Dirigidos a Francisco Barbosa de Araújo, para voz solista com acompanhamento, dedicados ao filho do compositor, estudante de mecânica em Paris. Também Quadrilha Primeiro de Maio, para piano solo. A partitura de A Intriga Amorosa encontra-se perdida. Trata-se de uma composição para canto com versos em italiano, classificada por alguns autores como ópera bufa.

Notas
[1] SOTUYO BLANCO, Pablo. Opera, painting and society in 19th-Century Bahia: the Barbosa de Araujo case study. Ictus: periódico do PPGMUS/Ufba, Salvador, v. 13, n. 1, 2012.
[2] CERNICCHIARO, Vincenzo. Storia della Musica nel Brasile. Milan: Frattelli Riccioni, 1926.

Outras informações de Damião Barbosa de Araújo:

  • Habilidades
    • Compositor
    • Violinista
    • Regente/maestro
    • professor

Fontes de pesquisa (5)

  • AZEVEDO, Luiz Heitor Corrêa de. 150 Anos de Música no Brasil (1800-1950). Rio de Janeiro: José Olympio, 1956.
  • CERNICCHIARO, Vincenzo. Storia della Musica nel Brasile. Milano: Frattelli Riccioni, 1926
  • Enciclopédia da música brasileira: erudita, folclórica, popular. Organização Marcos Antônio Marcondes. 2. ed., rev. ampl. São Paulo: Art Editora : Itaú Cultural, 1998.
  • SOTUYO BLANCO, Pablo. Damião Barbosa de Araújo (1778-1856): novas achegas biográficas e musicais. Salvador: Fundação Gregório de Mattos: Edufba, 2007.
  • SOTUYO BLANCO, Pablo. Opera, painting and society in 19th-Century Bahia: the Barbosa de Araujo case study. Ictus - Periódico do PPGMUS/Ufba, Salvador, v. 13, n. 1, 2012.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • DAMIÃO Barbosa de Araújo. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa541285/damiao-barbosa-de-araujo>. Acesso em: 15 de Dez. 2018. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7