Artigo da seção pessoas Tony Campello

Tony Campello

Artigo da seção pessoas
Música  

Biografia

Sérgio Benelli Campello (São Paulo SP 1936). Cantor e produtor. Irmão da cantora Celly Campello (1942-2003). Criado na cidade de Taubaté (SP), estuda piano e violão na infância e, em meados da década de 1950, integra conjuntos de baile no interior paulista, como o Ritmos Ok. Posteriormente, entra para o grupo liderado pelo acordeonista Mário Gennari Filho (1929-1989). Em 1958, sob contrato da gravadora Odeon, é batizado com o nome artístico pelo qual ficaria conhecido e grava o rock-balada “Perdoa-me (Forgive me)” (Mário Gennari Filho/Celeste Novaes), num disco de 78 rpm com acompanhamento de Gennari Filho e seu conjunto. Na outra face do álbum, também fazendo sua estreia fonográfica, Celly Campello interpreta “Belo rapaz (Handsome boy)” (Mário Gennari Filho/Celeste Novaes). Os irmãos se tornam ídolos da juventude nacional, com gravadoras e canais de televisão apostando em suas carreiras. Em 1959, eles passam a comandar juntos o programa Celly e Tony em Hi-Fi, na TV Record paulista. Individualmente, lançam dezenas de compactos de sucesso. O cantor ganha por duas vezes o troféu Chico Viola, em 1962 e 1963. No cinema, participa dos filmes “Jeca Tatu” (Milton Amaral, 1959) e “Zé do Periquito” (Mazzaropi e Ismar Porto, 1960). Durante o auge da Jovem Guarda (1962-1965), é convidado frequente do programa televisivo homônimo, comandado por Roberto Carlos (1939), Wanderléia (1946) e Erasmo Carlos (1941).

Análise

Em fins da década de 1950, quando a bossa nova começa a ampliar suas fronteiras para além do Rio de Janeiro, o rock norte-americano já se apresenta como um fenômeno mundial, exportando ídolos como os cantores Bill Haley (1925-1981) e Elvis Presley (1935-1977). No Brasil, os irmãos Campello são os pioneiros do rock nacional na fase pré-Jovem Guarda, juntamente com outras figuras marcantes do momento, como os intérpretes Sérgio Murilo (1941-1992) e Carlos Gonzaga (1926).

Tony faz um rock menos rebelde, que explora o romantismo de maneira jovial. Em seu repertório, predominam as versões escritas por Fred Jorge para canções originais estrangeiras, a exemplo de dois dos maiores êxitos do cantor: Boogie do bebê (Johnny Parker/Joachim Relin) e Canário (Luboff/Keith/Bergman), ambos de 1963. Merece destaque também sua investida no cancioneiro italiano, com os álbuns Não te Esqueças de Mim (1962) e Tony Italiano (1964).

Apesar de nunca ter alcançado sucesso similar ao de sua irmã, Tony tem uma presença longeva na música brasileira, mesmo depois de passada a febre da Jovem Guarda, graças à sua atividade como produtor fonográfico. Trabalhando para as gravadoras RCA e Odeon, ele é o responsável pelo lançamento, entre outros, das duplas Deny & Dino, Léo Canhoto & Robertinho e dos cantores Sérgio Reis (1940), Suzy Darlen (1947-) e Luiz Fabiano (1943-2009). 

Outras informações de Tony Campello:

  • Outros nomes
    • Sérgio Benelli Campello
    • Tony Campelo
  • Habilidades
    • Cantor/Intérprete
    • Produtor
  • Relações de Tony Campello com outros artigos da enciclopédia:

Espetáculos (1)

Fontes de pesquisa (6)

  • DOLABELA, Marcelo. ABZ do rock brasileiro. São Paulo: Estrela do Sul, 1987.
  • Enciclopédia da música brasileira: erudita, folclórica, popular. Organização Marcos Antônio Marcondes. 2. ed., rev. ampl. São Paulo: Art Editora : Itaú Cultural, 1998.
  • FRASER, Etty. Etty Fraser. São Paulo: [s.n.], s.d. Entrevista concedida a Rosy Farias, pesquisadora da Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. Não Catalogado
  • FRÓES, Marcelo. Jovem Guarda - Em ritmo de aventura. São Paulo: Editora 34, 2005.
  • INSTITUTO MEMÓRIA MUSICAL BRASILEIRA. Disponível em <http://www.memoriamusical.com.br>. Acessado em: 22 abr 2013.
  • PUGLIALLI, Ricardo. Almanaque da Jovem Guarda. São Paulo: Ediouro, 2006.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • TONY Campello. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa528833/tony-campello>. Acesso em: 24 de Abr. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7