Artigo da seção pessoas Gumercindo Rocha Dorea

Gumercindo Rocha Dorea

Artigo da seção pessoas
Literatura  
Data de nascimento deGumercindo Rocha Dorea: 04-08-1924 Local de nascimento: (Brasil / Bahia / Ilhéus)

Biografia
Gumercindo Rocha Dorea (Ilhéus BA 1924). Editor, escritor e jornalista. Filho do cacaulista Alcino da Costa Dorea e de dona Emérita da Rocha Dorea, compositora de sonetos e colaboradora esporádica em periódicos de Sergipe, seu Estado de origem. Em 1934, muda-se com a família para Salvador, ingressa no Ginásio da Bahia onde tem aulas com o filólogo Herbert Parentes Fortes, um dos líderes da Ação Integralista Brasileira - AIB no Estado baiano; depois, freqüenta o curso complementar de direito. Muda-se com a família para o Rio de Janeiro em 1944, e, dois anos depois, torna-se responsável pela página literária publicada no jornal A Marcha, veículo de propaganda do Partido da Representação Popular - PRP, que reúne ex-integrantes da AIB. Conclui o curso de direito na Faculdade Católica de Direito do Rio de Janeiro em 1948. No ano de 1952, passa a freqüentar o Centro Cultural de Juventude, onde conhece o escritor e político Plínio Salgado (1895 - 1975), idealizador do movimento integralista, que se torna seu grande amigo. Inicia a carreira de editor em 1948, fundando a Edições GRD, que na década de 1960 lança grande parte dos títulos que compõem a Coleção Ficção Científica GRD, com obras de autores brasileiros consagrados em outros gêneros literários, como Dinah Silveira de Queiroz (1911 - 1982) e Antonio Olinto (1919), e, por jovens ficcionistas como Jerônymo Monteiro (1908 - 1970), Rubens Teixeira Scavone (1925 - 2007) e André Carneiro (1922), que passam a ser designados como membros da Geração GRD. À frente da editora, Dorea organiza a Antologia Brasileira de Ficção Científica, em 1961, composta por , com textos escritos por Rachel de Queiroz (1910 - 2003) e Fausto Cunha (1923 - 2004), entre outros. Em 1963, edita Os Prisioneiros, primeiro romance publicado pelo escritor Rubem Fonseca (1925), contando com o apoio financeiro do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais - Ipes, comandado pelo general Golbery do Couto e Silva (1911 - 1987), e diversos títulos favoráveis ao regime instaurado com o golpe militar de 1964. Nesse ano, assume a Superintendência de Turismo da Cidade de Salvador, que dirige até 1967. Muda-se para a cidade de São Paulo em 1972, e trabalha na Convívio - Sociedade Brasileira de Cultura cerca de cinco anos. Nesse período coordena a edição da revista Convivium e a coleção Biblioteca do Pensamento Brasileiro, ambas publicadas pela Editora Convívio. Em 2002, lança o livro Ora Direis...Ouvir "Orelhas" que Falam de Livros, Homens e Idéias, composto de diversos textos de sua autoria nas orelhas dos títulos por ele editados desde 1960.

Outras informações de Gumercindo Rocha Dorea:

  • Outros nomes
    • Gumercindo Rocha Dorea
  • Habilidades
    • editor de livros
    • escritor
    • jornalista

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • GUMERCINDO Rocha Dorea. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa502009/gumercindo-rocha-dorea>. Acesso em: 16 de Dez. 2018. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7