Artigo da seção pessoas Lya Bastian Meyer

Lya Bastian Meyer

Artigo da seção pessoas
Dança  
Data de nascimento deLya Bastian Meyer: 23-01-1911 Local de nascimento: (Brasil / Rio Grande do Sul / Porto Alegre) | Data de morte 25-11-2005 Local de morte: (Brasil / Rio Grande do Sul / Porto Alegre)

Biografia

Eliane Clotilde Bastian Meyer Schimitz (Porto Alegre, Rio Grande do Sul, 1911 - Idem, 2005). Bailarina, professora e coreógrafa. Inicia a formação artística no Instituto de Cultura Física1, dirigido pelas professoras Mina Black e Nenê Dreher. A estreia como bailarina realiza-se em Hora da Arte (1928), produção do instituto, no Theatro São Pedro. Em 1929, apresenta-se em Festa Artística, também pelo instituto. Em 1931, vai a Berlim estudar balé com a professora russa Eugenia Platonowna Eduardowa (1882-1960). Ao retornar, no mesmo ano, destaca-se na nova produção do instituto, Soirée Artística de Bailados. No programa, há peças de balé e de danças características, como a gopac (dança do sul da Rússia), interpretada por ela. Abre a noite dançando O Cisne, com música do compositor francês Camille Saint-Saëns (1835-1921).

Ainda em 1931, abre a Escola de Bailados Clássicos, primeira formação em balé do Rio Grande do Sul. Nesse ano, apresenta no Theatro São Pedro a primeira produção independente: Serata de Arte Coreográfico-Sinfônica. Em 1938, retorna à Alemanha para aperfeiçoar-se na técnica clássica e moderna, na Meister-Stätten für Tanz, onde estuda com críticos de arte e diretores de ópera. No mesmo período, faz apresentações solo em Berlim, com as seguintes obras de sua autoria: Torero, Dança Ritual del Fuego e Batuque, esta última com música de Radamés Gnatalli (1906-1988). Na década de 1940, cria e dirige a Escola Oficial de Dança do Theatro São Pedro até seu fechamento, em 1958. Meyer forma várias gerações de profissionais, como Salma Chemale e Lenita Ruschel Pereira, responsáveis por duas das mais importantes escolas de balé do Rio Grande do Sul, ainda em atividade. Forma também Eneida Dreher; Emilio Martins; Morgada Cunha; Nilva Pinto (1934); e Maria Julia da Rocha, entre outros.

Análise

Precursora do ensino e das produções de balé no Rio Grande do Sul, Lya Meyer afirma-se como criadora de obras originais e repositora de obras consagradas. É responsável pela primeira montagem de um balé de repertório no Rio Grande do Sul, Coppélia, do coreógrafo e músico francês Arthur Saint-Léon (1821-1870). O espetáculo é levado ao palco em 1933, com música do compositor francês Léo Delibes (1836-1891). Dentre suas 16 produções coreográficas estão El Amor Brujo, escrita em 1915 pelo compositor espanhol Manuel de Falla (1876-1946). O balé é encenado em 1937 e conta com a participação do primeiro bailarino profissional alemão Ludwig Egenlauf, convidado a se apresentar nas produções gaúchas. Nessa montagem, Lya Meyer vive o papel da cigana Candelas.

Em 1943, preocupada em popularizar a dança clássica, traz pela primeira vez aos palcos uma remontagem de Les Sylphides (1907), do bailarino e coreógrafo russo Michel Fokine (1880-1942). Em 1948, coreografa e protagoniza o balé Joana D´Arc, com música do compositor francês George Bizet (1838-1875). Nele, apresenta traços da dança expressionista alemã na interpretação da heroína. Sua grande influência é a bailarina e coreógrafa alemã Mary Wigman (1886-1973), a quem assiste em apresentações quando estuda em Berlim. Sua última montagem, em 1958, é Petrouschka (1911), de Michel Fokine.

Nota

1 Centro de formação em ginástica do Rio Grande do Sul, que trabalha com aulas de dança com o método do  músico e pedagogo austro-suíço Émile Jaques Dalcroze (1865-1950). O instituto é responsável pelas primeiras produções locais de dança, no Theatro São Pedro.

Outras informações de Lya Bastian Meyer:

  • Habilidades
    • bailarina
    • professora de dança
    • coreógrafa

Fontes de pesquisa (3)

  • CÔRTE REAL, Antônio. O bailado culto por amadores em Porto Alegre. In: CÔRTE REAL, Antônio. Subsídios para a história da música no Rio Grande do Sul. 2 ed. Porto Alegre: Movimento, 1984. p. 183-212
  • CUNHA, Morgada; FRANCK, Cecy. Dança: nossos artífices. Porto Alegre: Movimento, 2004.
  • DAMASCENO, Athos; CESAR, Guilhermino; CARO, Herbert; MORITZ, Paulo António. O Teatro São Pedro na vida cultural do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Departamento de Assuntos Culturais da SEC, 1975.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • LYA Bastian Meyer. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa473756/lya-bastian-meyer>. Acesso em: 22 de Nov. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7