Artigo da seção pessoas Zélia Duncan

Zélia Duncan

Artigo da seção pessoas
Música  
Data de nascimento deZélia Duncan: 28-10-1964 Local de nascimento: (Brasil / Rio de Janeiro / Niterói)

Biografia
Zélia Cristina Duncan Gonçalves Moreira (Niterói, Rio de Janeiro, 1964). Compositora, cantora e instrumentista. Aos 6 anos de idade, Zélia muda-se com sua família para Brasília, onde estuda canto e violão. Estreia em 1981, vencendo um concurso da Sala Funarte e segue com apresentações em casas noturnas. Faz a abertura de shows de Luiz Melodia e participa do Projeto Pixinguinha. Em 1987 volta a Niterói e trabalha como locutora da Rádio Fluminense FM e backing vocal. Estuda teatro na Casa das Artes das Laranjeiras e, em 1989, monta o show Zélia Cristina no Caos.

No ano seguinte, lança o disco Outra Luz, que tem a participação de Luiz Melodia. Em 1992, é convidada por Almir Chediak a participar do songbook de Dorival Caymmi cantando Sábado em Copacabana (Carlos Guinle e Dorival Caymmi). Participa também dos songbooks de Edu Lobo, Chico Buarque, Djavan, João Donato, Marcos Valle, Tom Jobim e Francis Hime. Contratada pela gravadora WEA, adota o nome artístico Zélia Duncan. Em 1994 lança o álbum Zélia Duncan, com canções como Nos Lençóis desse Reggae, parceria com Christian Oyens, e Catedral, de Tanita Tikaran, versão sua e de Christian Oyens. Lança o disco Intimidade (1996), produzido por Liminha, com canções em parceria com Lucina e Christian Oyens, além de Vou Tirar Você do Dicionário, de Alice Ruiz e Itamar Assumpção. Em seu álbum seguinte, Acesso (1998), traz mais uma canção de Itamar Assumpção, Código de Acesso, e Quase sem Querer, de Negrete, Dado Villa-Lobos e Renato Russo.

Beto Vilares produz seu álbum Sortimento (2001), que tem no repertório a parceria com Rita Lee em Desconforto, gravada com Rappin'Hood, Johnny MC e DJ Marco. O disco tem ainda a participação de Nereu e João Parahyba, do Trio Mocotó, Céu e John Ulhoa, do Pato Fu. Este trabalho é lançado também ao vivo, Sortimento Vivo, em 2002. Em 2004 lança o disco e DVD Eu Me Transformo em Outras, uma homenagem a artistas que a influenciaram, inaugurando seu próprio selo, a Duncan Discos. No ano seguinte, grava Pré-Pós-Tudo-Bossa-Band, com canções como a faixa-título (parceria com Lenine) e Dor Elegante (Paulo Leminski e Itamar Assumpção). Esse disco recebe o Prêmio TIM de 2006, como melhor disco de pop rock, e Zélia Duncan, o de melhor cantora. No mesmo ano, é convidada por Sérgio Dias a integrar Os Mutantes, em uma série de apresentações pelo Brasil e pelo exterior, com o show de Londres registrado em CD e DVD Os Mutantes - Live In Barbican Theatre. Em seguida lança o DVD ao vivo de Pré-Pós-Tudo-Bossa-Band e anuncia sua saída dos Mutantes.

Em 2008, faz o show Amigo É Casa, com a cantora Simone, lançado em CD e DVD. Um ano depois, lança o disco Pelo Sabor do Gesto, com a produção de Beto Vilares e John Ulhoa. A canção que dá título ao disco é uma versão de Zélia para As-tu Déjà Aimé?, de Alex Beaupain. Lança o DVD Pelo Sabor do Gesto em Cena, em 2011, com canções do disco anterior e inéditas. Realiza em 2012 o espetáculo músico-teatral Tô Tatiando, baseado na obra do compositor Luiz Tatit, e prepara o projeto Tudo Esclarecido, com músicas de Itamar Assumpção. Tem várias composições gravadas por outros artistas, entre elas Pagu, parceria com Rita Lee, lançada por Maria Rita. A década de 1990 marca também uma série de participações em projetos especiais e tributos como Submarino Verde e Amarelo - The Beatles (Multishow, 1999) e Especial de Milton Nascimento (HBO, 1997).

 

Comentário Crítico
Zélia Duncan faz parte de uma geração de autores e intérpretes da música popular brasileira (MPB) que surgem nos anos 1990, como Adriana Calcanhoto, Chico César, Cássia Eller, Zeca Baleiro e Marisa Monte. Ela transita, desde o início da carreira, entre a composição e a interpretação. Inicia como intérprete, passa a fazer essencialmente letras, e a partir dos anos 2000 musica composições de outros artistas. O fato de também ser letrista, somado aos seus estudos de teatro, tem influência na forma como interpreta as canções, dando ênfase ao conteúdo da letra.

continuar a leitura do texto Continuar a leitura do texto...

Outras informações de Zélia Duncan:

  • Outros nomes
    • Zélia Cristina Duncan Gonçalves Moreira
    • Zélia Cristina
  • Habilidades
    • Cantora/Intérprete
    • Instrumentista
    • Compositora
    • Arranjador
    • Atriz

Espetáculos (1)

Eventos relacionados (2)

Fontes de pesquisa (6)

  • Zélia Duncan. A voz e as idéias próprias de uma cantora completa. São Paulo, OESP, 13 jun. 1990. Disponível em: http://p.download.uol.com.br/zeliaduncan/clipping/ZC1990.pdf . Acesso em: 20 outubro de 2013.
  • Zélia Duncan. Site oficial do artista. Disponível em: http://www2.uol.com.br/zeliaduncan/clip01_05.html. Acesso em: 20 outubro de 2013.
  • Zélia Duncan: "Estou bombando!". Entrevista para a revista Época. 19/08/2011. Disponível em: http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI258974-16270,00.html. Acesso em: 20 outubro de 2013.
  • ALBIN, Ricardo Cravo. Dicionário Houaiss Ilustrado Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro: Instituto Antônio Houaiss, Instituto Cultural Cravo Albin e Editora Paracatu, 2006.
  • AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio Editora, 2010.
  • PALUMBO, Patricia. Vozes do Brasil. São Paulo, DBA, 2002.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ZÉLIA Duncan. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa436432/zelia-duncan>. Acesso em: 17 de Nov. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7