Artigo da seção pessoas Ismael Ivo

Ismael Ivo

Artigo da seção pessoas
Dança  
Data de nascimento deIsmael Ivo: 1955 Local de nascimento: (Brasil / São Paulo / São Paulo)
Imagem representativa do artigo

Registro fotográfico Marcus Leoni

Ismael Ivo (São Paulo, São Paulo, 1955). Bailarino, coreógrafo, diretor e curador. Intérprete e criador expressionista, Ismael é reconhecido pela atuação em diversas áreas da dança, ao lado de notáveis grupos e em eventos internacionais. Como coreógrafo, cria espetáculos para cativar e comover o público. Como intérprete, apoia-se em sua técnica mista e presença cênica para o convencimento. Como diretor e curador, foca na sedução e na comunicação com suas plateias. 

Em meio a múltiplas atividades, Ismael Ivo se define como um bailarino que vem da rua, revelando a origem humilde no bairro paulistano da Vila Ema e o momento de descoberta do desejo de se expressar por meio da dança.

Sua primeira referência no estudo da dança é a bailarina e professora Ruth Rachou (1927). A ela somam-se influências diversas, como os coreógrafos Klauss Vianna (1928-1992) e Renée Gumiel (1913-2006). Ambos abrem espaço para a pesquisa de Ivo, que discute a teatralidade da cena e a teatralização do corpo do intérprete.

Em consonância com a dança moderna da época e na fronteira entre as linguagens artísticas, seu trabalho se desenvolve durante a passagem pelo principal espaço de experimentação de bailarinos modernos em São Paulo, o Teatro de Dança Galpão, que funciona entre 1974 e 1981.

Em 1978, o encontro com o coreógrafo estadunidense Alvin Ailey (1931-1989) projeta a carreira internacional de Ismael Ivo. Ele se muda para os Estados Unidos para integrar a companhia júnior do coreógrafo, com quem dança, e também para desenvolver trabalhos individuais. 

Em 1984, uma apresentação solo do bailarino é resenhada no jornal The New York Times. A crítica destaca a força da presença cênica do intérprete, além de pontuar o trabalho expressivo do frenesi, do medo e da exaltação. Neste e também em seus trabalhos posteriores, essas sensações se expressam pelo gestual, frequentemente expansivo, beirando o exagero, e pela máscara, recursos que refletem a intensidade daquilo que retratam.

Grandes emoções permanecem constantes no trabalho de dança e criação de Ismael, resgatadas sobretudo da memória do artista. É o caso, por exemplo, de Delirium of a Childhood, de 1989, em que, a partir de lembranças da infância, o coreógrafo cria uma cena em que aparece como versão infantil de si mesmo, brincando com um boneco próximo a uma bacia prateada. Na cena, ele também comparece como adulto que reflete sobre seu passado e ainda como os demais envolvidos em sua experiência.

Depois de Nova Iorque, muda-se para Viena, na Áustria, onde funda o ImPulsTanz, em 1984, junto do produtor e diretor Karl Regensburger (1954). Na Europa, cresce a proximidade com a dança expressionista e vertentes da dança-teatro, dentre as quais se insere sua produção.

Influenciado por artistas e colaboradores de múltiplas linguagens, encontra no bailarino e diretor teatral Johann Kresnik (1939-2019) um parceiro de pesquisa e trabalho. Em 1993, criam Francis Bacon, uma obra de dança-teatro para três bailarinos. O cenário do espetáculo usa uma grande parede metálica, cujas partes se transformam em mesas e camas cirúrgicas. Nesse ambiente, Ismael investiga o universo retratado nas obras do pintor irlandês, a partir de temas e personagens de seus quadros. O coreógrafo trabalha com uma sequência de pinturas que se identificam com a estética visceral de sua dança. O impacto é provocado pela violência dos movimentos criados pelo dançarino, que busca desenvolver dessa forma sua proposta de provocar grandes emoções.

A carreira de coreógrafo ganha nova projeção depois do encontro com a bailarina e coreógrafa Márcia Haydée (1937). Ismael trabalha em proximidade com a dançarina ao longo de cinco anos (de 1999 a 2004), como partner em obras conjuntas e assinando criações para outros grandes grupos pelo mundo.

Na Europa, consagra-se como diretor e curador, notadamente na Bienal de Veneza, e na direção da companhia de dança do Teatro Nacional Alemão. Como curador, seu trabalho se caracteriza pela antropofagia cultural: assimilação de referências e apresentação de distintas formas de fazer e pensar a dança, com foco declarado na comunicação com o público.

Em 2017, volta ao Brasil e assume a direção do Balé da Cidade de São Paulo (BCSP). A consideração pela plateia se reflete em seu trabalho de gestão, sempre preocupado em atrair um público maior e mais diversificado, com atenção às questões de classe social e de inclusão racial e de minorias. Essa preocupação se manifesta na construção estética das obras do diretor e coreógrafo, que apresentam grande elaboração visual e temas musicais conhecidos do grande público. Em 2018, o BCSP apresenta os espetáculos Um Jeito de Corpo (2018), com músicas de Caetano Veloso (1942), e Sagração da Primavera, com a trilha do compositor russo Stravinsky (1882-1971). Esta apresentação também conta com chuva de pétalas de rosas ao longo do espetáculo e móveis que alteram constantemente o espaço da cena. Esses artifícios de cena são uma marca de sua gestão da companhia, que procura seduzir o espectador e despertar o interesse do público pela obra.

Internacionalmente reconhecido, Ismael Ivo tem uma carreira de projeção. Com assinatura expressiva e expressionista em seu trabalho de criador, preocupa-se em construir suas obras com base em memórias e experiências pessoais. Como diretor e curador, é notável a preocupação com o interesse do público pelas obras, com especial atenção à comunicação com o espectador, observável nas muitas instituições por que passa.

Outras informações de Ismael Ivo:

  • Habilidades
    • Cenógrafo
    • figurinista
    • Ator
    • Bailarino
    • Autor
  • Relações de Ismael Ivo com outros artigos da enciclopédia:

Midias (1)

Ismael Ivo - Série Cada Voz (2020)
O bailarino Ismael Ivo conta sobre a emoção que sente ao dançar e apresenta o palco como local de expressão de ideias, sentimentos e de importante posicionamento político para ele, desde jovem, quando ainda iniciava no teatro.

A primeira memória de movimentação corporal é o giro: inebriante até a perda do equilíbrio que resulta em êxtase. Anos mais tarde, essa sensação ganha outras formas de compreensão no estudo da dança.

Também ressalta a capacidade de improvisação dos corpos brasileiros e a coragem de arriscar movimentos em comparação com outros bailarinos.

A Enciclopédia Itaú Cultural produz a série Cada Voz, em que personalidades da arte e cultura brasileiras são entrevistadas pelo fotógrafo Marcus Leoni. A série incorpora aspectos de suas trajetórias profissionais e pessoais, trazendo ao público um olhar próximo e sensível dos artistas.

Créditos
Presidente: Milú Villela
Diretor-superintendente: Eduardo Saron
Superintendente administrativo: Sérgio Miyazaki
Núcleo de Enciclopédia
Gerente: Tânia Rodrigues
Coordenação: Glaucy Tudda
Produção de conteúdo: Camila Nader
Núcleo de Audiovisual e Literatura
Gerente: Claudiney Ferreira
Coordenação: Kety Nassar
Produção audiovisual: Letícia Santos
Edição de conteúdo acessível: Richner Allan
Direção, edição e fotografia: Marcus Leoni
Assistência e montagem: Renata Willig
Assistência de fotografia: Martha Salomão

Espetáculos (9)

Fontes de pesquisa (11)

  • ANDERSON, Jack. Dance: Brazilian, Korean Choreographers. The New York Times, 8 nov 1984.
  • BOGÉA, Inês. Caminhos Cruzados: Teatro de Dança Galpão, 1974-1981. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2014.  
  • IVO, Ismael. Entrevista concedida a Inês Bogéa, diretora da São Paulo Companhia de Dança. Consultada no Acervo de Memória da São Paulo Companhia de Dança, Governo do Estado de São Paulo.
  • IVO, Ismael. Site oficial do artista. Disponível em: http://www.ismael-ivo.com. Acesso em: 12 set. 2019
  • NAVAS, Cássia. Francis Bacon. Companhia Ismael Ivo. Plataforma Internacional Estado Da Dança, Governo Do Estado De São Paulo, 2012. Disponível em: http://cassianavas.com.br/wp-content/uploads/pdf/plataforma_francis_bacon.pdf. Acesso em: 12 set. 2019
  • ODENTHAL, Johannes. Um Sonho Existencial: O Trabalho Artístico de Ismael Ivo. Figuras da Dança 2012. São Paulo Companhia de Dança, Governo do Estado de São Paulo, 2012.
  • Programa do espetáculo - Delírio de Infância - 2007 Não catalogado
  • ROCHELLE, Henrique. A primavera como palco. Da Quarta Parede. São Paulo, 2018. Disponível em: https://www.daquartaparede.com/post/sagracao-bcsp. Acesso em: 12 set. 2019
  • ROCHELLE, Henrique. Uma forma e uma fórmula de sedução. Da Quarta Parede. São Paulo, 2018. Disponível em: https://www.daquartaparede.com/post/bcsp-caetano Acesso em: 12 set. 2019
  • SÃO PAULO Companhia de Dança. Ismael Ivo. Série Figuras da Dança. Governo do Estado de São Paulo, 2012.
  • TV CULTURA. Ismael Ivo. Programa Roda Viva, São Paulo, 19 nov. 2018. Disponível em: https://youtu.be/4YClxEADZJE. Acesso em: 12 set. 2019

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ISMAEL Ivo. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa410145/ismael-ivo>. Acesso em: 02 de Abr. 2020. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7