Artigo da seção pessoas Lauro César Muniz

Lauro César Muniz

Artigo da seção pessoas
Teatro  
Data de nascimento deLauro César Muniz: 16-01-1938 Local de nascimento: (Brasil / São Paulo / Ribeirão Preto)

Biografia
Lauro César Martins Amaral Muniz (Ribeirão Preto SP 1938). Autor. Identificado, inicialmente, com aspectos rurais e ingênuos que caracterizam a comédia de costumes, Lauro aprofunda sua temática no rumo da urbanização e abordagem dos grandes temas sociopolíticos que dominam as expressões artísticas nos anos 1970 e 1980.

Forma-se em dramaturgia, pela Escola de Arte Dramática (EAD), em 1962. Faz sua estreia como autor no ano seguinte, com O Santo Milagroso, efetivada pelo Teatro Cacilda Becker (TCB), com direção de Walmor Chagas, já arrebatando o Prêmio Associação Paulista de Críticos Teatrais (APCT), como revelação de autor. A Infidelidade ao Alcance de Todos, com direção de Walter Avancini, tendo no elenco Procópio Ferreira, Rodolfo Mayer, Glória Menezes, Rosamaria Murtinho, Francisco Cuoco e Altair Lima, em 1967; e Este Ovo É Um Galo, com direção de Silnei Siqueira, e produção do Teatro Ruth Escobar, em 1968, projetam-no e firmam-no no panorama dramatúrgico dos anos 1960.

O Líder, pequeno texto integrante da Primeira Feira Paulista de Opinião, 1968, encontra na encenação de Augusto Boal ampla repercussão; mas O Mito, outro texto curto também destinado ao evento, permanece inédito. Em 1969, o mesmo diretor leva à cena A Comédia Atômica, fechando um ciclo que enfoca os confrontos entre uma realidade interiorana e as repercussões nos grandes centros urbanos.

Sinal de Vida, Prêmio Molière, escrita em 1972, permanece proibida até 1979, quando encontra em Antonio Fagundes um intérprete maduro para viver os conflitos de um autor frente à angústia de escrever para a televisão, com direção de Oswaldo Mendes. Em 1981, em parceria com Jorge Andrade e Consuelo de Castro, escreve A Corrente, que é encenada por Luís de Lima no Rio de Janeiro.

Sua dramaturgia volta aos palcos apenas em 1985, com Direita, Volver!, comédia em que surpreende as incongruências da classe média no período da ditadura militar, com direção de Emílio Di Biasi. Em 1991, com Luar em Branco e Preto, dirigido por Sérgio Mamberti, faz uma espécie de ajuste de contas com todo o seu passado.

Para a TV Globo, Lauro escreve diversas novelas de grande sucesso, como Escalada, 1975; O Casarão, 1976; Espelho Mágico, 1977, primeira tentativa de usar a metalinguagem dentro de uma novela; Roda de Fogo, em 1985, e o Salvador da Pátria, em 1989. Com O Crime do Zé Bigorna, teleteatro de 1973 e filmado em 1977, e a minissérie Chiquinha Gonzaga, em 1999, o autor alcança grande repercussão.

Na publicação O Parto da Tuba, de 1993, reuniu algumas de suas principais criações. Na apreciação do jornalista Oswaldo Mendes, o texto Sinal de Vida expõe aspectos autobiográficos: "Ao se expor, através de sua personagem Marcelo, ele nos expõe a todos. E se não preferirmos, como é de nosso feitio, a safadeza da catarse, da purgação pela penitência alheia, teremos que nos encarar e decidir de vez de que lado da história escolhemos ficar. (...) Não haverá exagero se, um dia a dramaturgia de Lauro César Muniz for catalogada em antes e depois de Sinal de Vida. Explico. Se até aqui se pode falar do seu teatro como uma crônica de costumes, ou de uma crítica sempre muito bem-humorada do comportamento humano, a partir de agora o seu teatro se define, nitidamente, por um mergulho na ação política dentro da realidade imediata. Se por mais não fosse, porque parece evidente que Sinal de Vida é o momento da maturidade da dramaturgia de Lauro César".1

Notas

1. MENDES, Oswaldo. Prefácio. In: MUNIZ, Lauro César. Sinal de Vida. São Paulo: Global, 1979.

Outras informações

  • Outros nomes
    • Lauro César Martins Amaral Muniz
  • Habilidades
    • professor universitário
    • autor

Espetáculos (29)

Todos os espetáculos

Fontes de pesquisa (8)

  • Comédia no Paiol! Direita, Volver! De Lauro César Muniz. Palco e Platéia, São Paulo, ano 0, julho de 1985. Não catalogado
  • GUERINI, Elaine. Nicette Bruno & Paulo Goulart: tudo em família. São Paulo: Cultura - Fundação Padre Anchieta: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2004. 256 p. (Aplauso Perfil). 792.092 G932n
  • MENDES, Oswaldo. Prefácio. In: MUNIZ, Lauro César. Sinal de Vida. São Paulo: Global, 1979. 107 p.
  • MUNIZ, Lauro César. O Parto da tuba. São Paulo: Maltese, 1993. 76 p.
  • Programa do Espetáculo - Direita Volver - 1985. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - Feira do Adultério - 1976 Não catalogado
  • VASCONCELLOS, Ana Lúcia. A trajetória de um dramaturgo. O Estado de S. Paulo, São Paulo, p. 9-11, 25 nov. 1979.
  • ______. Sinal de Vida. São Paulo: Global, 1979. 107 p.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • LAURO César Muniz. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa359383/lauro-cesar-muniz>. Acesso em: 27 de Mar. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7