Artigo da seção pessoas Armando Costa

Armando Costa

Artigo da seção pessoas
Teatro  
Data de nascimento deArmando Costa: 05-05-1933 Local de nascimento: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro) | Data de morte 09-04-1984 Local de morte: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)

Biografia

Armando Costa (Rio de Janeiro RJ 1933 - idem 1984). Autor, diretor e animador. Marca a linha do Grupo Opinião não apenas como co-autor de alguns de seus espetáculos mais importantes, mas também por sua atuação no teatro de resistência, que exerce por meio da coerência ideológica e da crítica em defesa dos interesses populares.

No início dos anos 60, é um dos fundadores do Centro Popular de Cultura da UNE - CPC, e tem participação ativa no seu setor de dramaturgia, sendo co-autor de textos como Auto dos 99 por Cento, de 1962, e A Besta Torta do Pajeú, de 1963, ambas de vários autores. Depois do golpe militar, participa da fundação do Teatro Opinião, do qual é sócio e onde exerce variadas funções, a principal delas como co-autor, geralmente com Oduvaldo Vianna Filho, Paulo Pontes e Ferreira Gullar, dos textos que o grupo encena: o show Opinião, 1964, espetáculo inaugural do grupo; o roteiro de Se Correr o Bicho Pega, Se Ficar o Bicho Come, 1966, que tem texto final de Oduvaldo Vianna Filho (Vianinha) e Ferreira Gullar; A Saída, Onde Fica a Saída?, 1968; Brasil & Cia., 1969; e o show Brasil Pede Passagem, que ele dirige ao lado de João das Neves. Dirige também Meia Volta Vou Ver, de Oduvaldo Vianna Filho, 1967, e o show Teleco-Tecoop. 2. É co-autor com Vianinha da peça Alegro Desbum, encenada por José Renato em 1973.

A partir da sua saída do Opinião, Armando Costa passa a concentrar-se no trabalho de roteirista de televisão, colocando sua assinatura em algumas realizações que marcam época, tais como a série da década de 70 A Grande Família, em parceria com Vianinha, que a Globo readapta nos anos 2000. É também ativo roteirista cinematográfico, efetivando parcerias constantes com Leopoldo Serran e trabalhando constantemente com diretores como Pedro Carlos Rovai, Hugo Carvana e Antônio Calmon. É nessas duas atividades que deixa marcos mais importantes do que no teatro, onde permanece atuante em participações eventuais - como a autoria dos shows de Jô Soares, Viva o Gordo e Abaixo o Regime, 1980, Brasil, da Censura à Abertura, 1981, e Um Gordoidão no País da Inflação, 1985.

Armando Costa é também cartunista, poeta, letrista e músico.

Outras informações de Armando Costa:

  • Outros nomes
    • Armando Costa
  • Habilidades
    • Autor
    • diretor de teatro

Espetáculos (21)

Todos os espetáculos

Fontes de pesquisa (4)

  • COSTA, Armando. Rio de Janeiro: Funarte / Cedoc. Dossiê Personalidades Artes Cênicas.
  • MICHALSKI, Yan. Armando Costa. In: ___________. PEQUENA Enciclopédia do Teatro Brasileiro Contemporâneo. Material inédito, elaborado em projeto para o CNPq. Rio de Janeiro, 1989.
  • Programa do Espetáculo - Feira do Adultério - 1976 Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - TBC Apresenta Arena-Opinião - 1965 Não catalogado

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ARMANDO Costa. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa359322/armando-costa>. Acesso em: 21 de Set. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7