Artigo da seção pessoas Henriqueta Lisboa

Henriqueta Lisboa

Artigo da seção pessoas
Literatura  
Data de nascimento deHenriqueta Lisboa: 15-07-1901 Local de nascimento: (Brasil / Minas Gerais / Lambari) | Data de morte 09-10-1985 Local de morte: (Brasil / Minas Gerais / Belo Horizonte)

Biografia
Henriqueta Lisboa (Lambari, MG, 1904 - Belo Horizonte, MG, 1985). Poeta, ensaísta, crítica literária e tradutora. Realiza os estudos iniciais na sua cidade natal, onde vive até 1924, ano em que se muda junto com a família para o Rio de Janeiro, onde João Lisboa, seu pai, exerce o cargo de deputado federal. No ano seguinte inicia sua carreira literária com a publicação de Fogo Fátuo (1925), coletânea de poemas. Em 1935, fixa residência na cidade de Belo Horizonte. Seu livro de poemas Velário é publicado um ano depois, em 1936. Na década de 1940 mantém correspondência com o romancista e poeta Mário de Andrade (1893-1945), edita mais cinco livros de poesia e inicia sua carreira como professora do ensino superior na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Santa Maria da Universidade Católica de Minas Gerais (posterior PUC/MG), onde leciona literatura brasileira e literatura hispano-americana.

Ao longo da década de 1950 segue publicando coletâneas de poemas regularmente e, na década seguinte, em 1963, torna-se a primeira mulher a ser eleita membro da Academia Mineira de Letras. Publica também ensaios e traduções da obra do poeta italiano Dante Alighieri (1265-1321). Seu último livro de poemas, Pousada do Ser, é publicado em 1982. Em 1985, após sua morte, inicia-se a publicação da sua obra reunida, sob o título de Poesia Geral.

Comentário crítico
Muitos críticos, entre eles o português João Gaspar Simões (1903-1987), identificam o tema da morte como central na poesia de Henriqueta Lisboa, tendo-a apelidado, inclusive, de “poeta da morte”. A autora, por sua vez, incomoda-se com essa classificação e justifica a presença constante de reflexões sobre esse tema pelo fato de ele estar envolvido com grande parte dos problemas existenciais e metafísicos do homem. Segundo o ensaísta Paschoal Rangel (1922-2012), “[...] por causa dessa constante preocupação metafísica, a morte – talvez a mais filosófica das situações humanas – é uma das marcas mais inapagáveis da poesia de Henriqueta”.

continuar a leitura do texto Continuar a leitura do texto...

Outras informações de Henriqueta Lisboa:

  • Habilidades
    • Poeta
    • professor universitário
    • ensaísta
    • Crítico literário
    • Tradutor

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • HENRIQUETA Lisboa. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa3592/henriqueta-lisboa>. Acesso em: 19 de Jul. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7
abrir pesquisa
;