Artigo da seção pessoas Soraya Ravenle

Soraya Ravenle

Artigo da seção pessoas
Teatro / música  
Data de nascimento deSoraya Ravenle: 28-11-1962 Local de nascimento: (Brasil / Rio de Janeiro / Niterói)

Biografia

Soraya Jarlicht (Niterói, Rio de Janeiro, 1962). Atriz, cantora e bailarina. Atriz que se destaca em musicais - interpretando, por exemplo, Carmem Miranda em South American Way, de Miguel Falabella (1956) e Maria Carmem Barbosa, 2001.

Seu primeiro trabalho em teatro musical é A Estrela Dalva, de Renato Borghi (1937), 1986, no coro do espetáculo, protagonizado por Marília Pêra. Seguem-se Boca de Ouro, de Nelson Rodrigues (1912 - 1980), 1988, e A Mulher sem Pecado, também de Nelson Rodrigues, 1992, ambos com direção de Cláudio Torres Gonzaga. Em 1994, atua em Pirandello Nunca Mais, de Ricardo Hofstetter, dirigido por Stela Freitas, e, no mesmo ano, volta ao musical na remontagem de Theatro Musical Brazileiro - Parte II (1914/1945), roteiro de Luis Antônio Martinez Corrêa (1950 - 1987) e Marshall Netherland, direção original de Luis Antônio Martinez Corrêa, supervisão de Paulo Betti. Em 1995, atua em O Samba Valente de Assis, de Zé Trindade Neto. Seu primeiro trabalho de destaque é Metralha, musical de Stella Miranda (1950) protagonizado por Diogo Vilela (1957), 1996. Faz três espetáculos infantis consecutivos: Tuhu, o Menino Villa Lobos, 1997, e Viva o Zé Pereira, 1998, ambos de Karen Acioly, e Número Faz Favor, de Eliana Caruso e Cacá Mourthé, 1998. Em 1999, interpreta Dolores Duran em Dolores, de Douglas Dwight e Fátima Valença, recebendo o Prêmio Shell de melhor atriz. O crítico Macksen Luiz (1945) observa que "Soraya Ravenle, com seu límpido tom vocal, dramatiza na medida da sua correção musical as composições da cantora a quem interpreta".1 Em 2001, sobe à cena em South American Way, de Miguel Falabella e Maria Carmem Barbosa, interpretando Carmem Miranda ao lado de Stella Miranda. O crítico do Jornal do Brasil escreve: "Soraya Ravenle compõe a figura mais 'branda' da Carmem juvenil com carga interpretativa que tanto sabe explorar o humor como os já visíveis dramas interiores da futura brazilian bombshell. (...) Stella Miranda e Soraya Ravenle contribuem para que South American Way seja não somente um musical com indiscutíveis apelos ao entretenimento, mas a comprovação da crescente qualificação dramatúrgica e técnica do gênero".2

Notas

1. LUIZ, Macksen. Roteiro musical é superior ao resultado teatral. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 9 jan. 1999.

2. LUIZ, Macksen. Vitalidade e frescor cênico. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 30 jun. 2001.

Outras informações de Soraya Ravenle:

  • Outros nomes
    • Soraya Jarlicht
    • Soraya Ravelene
  • Habilidades
    • Ator
    • Cantora/Intérprete

Espetáculos (23)

Todos os espetáculos

Fontes de pesquisa (4)

  • LUIZ, Macksen. Roteiro musical é superior ao resultado teatral. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 9 jan. 1999.
  • LUIZ, Macksen. Vitalidade e frescor cênico. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 30 jun. 2001.
  • Programa do Espetáculo - Ópera do Malandro - 2003 não catalogado
  • RAVENLE, Soraya. Rio de Janeiro: Funarte / Cedoc. Dossiê Personalidades Artes Cênicas.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • SORAYA Ravenle. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa350861/soraya-ravenle>. Acesso em: 18 de Jun. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7