Artigo da seção pessoas Adalgisa Nery

Adalgisa Nery

Artigo da seção pessoas
Literatura  
Data de nascimento deAdalgisa Nery: 29-10-1905 Local de nascimento: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro) | Data de morte 07-06-1980 Local de morte: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)
Imagem representativa do artigo

Retrato de Adalgisa , 1937 , Candido Portinari
Registro fotográfico Sérgio Guerini

Biografia
Adalgisa Maria Feliciana Noel Cancela Ferreira (Rio de Janeiro, RJ, 1905 - idem 1980). Poeta, romancista, contista e jornalista. Desde a infância Adalgisa demonstra forte sensibilidade poética associada a episódios marcantes de sua vida, como a perda da mãe, aos oito anos. Em 1922, casa-se com o pintor Ismael Nery (1900-1934) e toma contato com a vida intelectual brasileira. Entre 1927 e 1929, Adalgisa e Nery vivem na Europa e conhecem artistas de vanguarda internacionais. Torna-se viúva em 1934 e começa a trabalhar no Conselho de Comércio Exterior do Itamaraty. Incentivada por amigos como o poeta Murilo Mendes (1901-1975), publica sua primeira obra, Poemas, em 1937.

Em 1940 casa-se com o jornalista Lourival Fontes (1899-1967), diretor do Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP) da ditadura de Getúlio Vargas (1882-1954). Entre 1940 e 1945, acompanha o marido em missão diplomática pelo Canadá e Estados Unidos. Em seguida, muda-se para o México, onde Fontes se torna embaixador. Convive com artistas mexicanos como os pintores Diego Rivera (1886-1957) e José Orozco (1883-1949), pelos quais é retratada. Em 1952 torna-se a primeira mulher a receber a Ordem da Águia Asteca, por suas conferências sobre a poeta mexicana Juana Inés de la Cruz (1651?-1695).

No ano seguinte, o editor francês Pierre Seghers (1906-1987) traduz e publica uma coletânea de poemas de Adalgisa em Paris. Ainda em 1953, a escritora separa-se do marido e começa a tecer comentários políticos na coluna Retrato sem Retoque do jornal Última Hora. Jornalista combativa, é eleita deputada em 1960, pela legenda do Partido Socialista Brasileiro (PSB), mas, devido ao golpe militar, sua coluna no jornal é censurada e seus direitos políticos cassados. Sem recursos próprios, Adalgisa muda-se para a casa do filho mais novo, o artista plástico Emmanuel Nery (1931-2003). Em 1976, interna-se por espontânea vontade em uma clínica geriátrica no Rio de Janeiro, onde falece, em 1980.

Comentário crítico
Apesar de acompanhar de perto o movimento modernista nas décadas de 1920 e 1930, sendo musa de artistas plásticos e escritores, o primeiro livro de Adalgisa Nery só é publicado em 1937, com o título Poemas. Este e o livro seguinte, a Mulher Ausente, de 1940, levam a autora a ter sua obra comparada, pelo poeta Manuel Bandeira (1886-1968), à obra da poeta grega Safo de Lesbos (século VII a.C.), pelo erotismo libertário, e do poeta português Antero de Quental (1842-1891), pelo tom trágico.

continuar a leitura do texto Continuar a leitura do texto...

Outras informações de Adalgisa Nery:

  • Outros nomes
    • Adalgisa Maria Feliciana Noel Cancela Ferreira
  • Habilidades
    • Poeta
    • Romancista
    • Contista
    • jornalista

Representação (5)

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ADALGISA Nery. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa3195/adalgisa-nery>. Acesso em: 19 de Nov. 2018. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7