Artigo da seção pessoas José Albano

José Albano

Artigo da seção pessoas
Literatura  
Data de nascimento deJosé Albano: 12-04-1882 Local de nascimento: (Brasil / Ceará / Fortaleza) | Data de morte 11-07-1923 Local de morte: (França / Limousin / Montauban)

Biografia

José de Abreu Albano (Fortaleza CE 1882 - Montauban, França 1923). Poeta. Frequenta o Seminário Episcopal do Ceará, entre 1892 e 1893, em Fortaleza. Viaja para a Europa em 1893, e estuda nos colégios jesuítas Stonyhurst College, em Blackburn, Inglaterra, e Stella Matutina, em Feldkirch, Áustria. Entre 1897 e 1898, frequenta o Colégio dos Irmãos da Doutrina Cristã, em Dreux, França. De volta ao Brasil, trabalha inicialmente no comércio de seu pai, em seguida ingressa no Liceu do Ceará, em Fortaleza. Muda-se para o Rio de Janeiro em 1902, onde estuda direito, mas abandona o curso dois anos depois. Em 1904, atua como professor de latim no Liceu do Ceará, e no ano seguinte recebe convite do então ministro barão do Rio Branco para trabalhar no Ministério das Relações Exteriores, o que o leva de volta ao Rio de Janeiro. É transferido para o Consulado Geral de Londres, em 1908, permanecendo na capital inglesa até 1912, quando são publicados, em Barcelona, Espanha, seus três primeiros livros: Rimas - Redondilhas; Rimas - Alegoria; e Rimas - Canção a Camões e Ode à Língua Portuguesa. Passa um ano viajando por Europa, Ásia e África, e retorna ao Brasil em 1914, quando eclode a Primeira Guerra Mundial. No fim do conflito, parte, em 1918, para Paris, permanecendo sem emprego ou residência fixa. Morre na capital francesa em 1923, aos 41 anos.

Análise

Dialogando ora com a obra de Camões, ora com textos bíblicos, a poesia de José Albano, de dicção arcaizante, retoma pelos temas que investiga e pelas formas fixas que emprega a estética quinhentista. A presença do poeta português é evidente desde os títulos atribuídos pelo brasileiro aos seus próprios livros. Na reunião Rimas - Redondilhas (1912), por exemplo, Albano não apenas se refere, com Rimas, à obra em que reúne a lírica camoniana como também exercita as mesmas formas fixas empregadas por Camões: trovas, voltas, canções, odes e sonetos, versando principalmente sobre a dor inerente à existência humana, tal como seu mestre.

Em seu culto da antítese e do paradoxo - que leva muitas vezes à paráfrase de Camões, como ocorre no soneto Amar É Desejar o Sofrimento, retomada clara de "Amor é fogo que arde sem se ver" -, Albano emprega vocabulário simples, poucas vezes invertendo a sintaxe, e tem predileção pela alegoria em detrimento da metáfora.

O procedimento alegórico é o ponto de partida para outro título, publicado em 1912. Rimas - Alegoria, poema sobre o descobrimento do Brasil, invoca forças relacionadas às culturas grega, latina e lusitana para demonstrar como a poesia pode adquirir grandeza na cultura então nascente. Embora não se trate de poema épico, já que não se dedica a narrar o feito de Pedro Álvares Cabral, o modelo é camoniano: as 77 estrofes adotam a oitava rima (abababcc), com decassílabos de ritmo e divisão silábica regulares, tal como em Os Lusíadas.

Já a inspiração teológica de Albano motiva sonetos místicos, que versam sobre o sofrimento de Cristo, uma paráfrase do Cântico dos Cânticos, de Salomão, e da Comédia Angélica, de 1918, poema dramático sobre a criação do mundo inspirado no texto bíblico Gênesis.

Outras informações de José Albano:

  • Outros nomes
    • José de Abreu Albano
    • José d´Abreu Albano
  • Habilidades
    • Poeta

Fontes de pesquisa (2)

  • ALBANO, José. Poesia. Org. Braga Montenegro. Rio de Janeiro: Agir, 1958.
  • ALBANO, José. Rimas. Org. rev. e pref. Manuel Bandeira. Pref. Bernardo de Mendonça. 3.ed. Rio de Janeiro: Graphia, 1993.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • JOSÉ Albano. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa2800/jose-albano>. Acesso em: 16 de Dez. 2018. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7