Artigo da seção pessoas Basílio da Gama

Basílio da Gama

Artigo da seção pessoas
Literatura  
Data de nascimento deBasílio da Gama: 08-04-1741 Local de nascimento: (Brasil / Minas Gerais / Tiradentes) | Data de morte 31-07-1795 Local de morte: (Portugal / Distrito de Lisboa / Lisboa)
Imagem representativa do artigo

O Uraguay , 1769 , Basílio da Gama
Reprodução Fotográfica Horst Merkel

Biografia

José Basílio da Gama (Tiradentes, Minas Gerais, 1741 - Lisboa, Portugal, 1795). Poeta. Órfão de pai na adolescência, segue para o Rio de Janeiro, onde estuda no Colégio dos Jesuítas, congregação religiosa com a qual manterá relação ao longo de sua vida. Em 1759 inicia-se uma campanha oficial por parte de alguns estados europeus e suas respectivas colônias contra os jesuítas, e o colégio no qual Basílio estuda é fechado. Fiel à congregação, o jovem segue para Roma, onde, entre 1760 e 1766, é admitido na célebre Arcádia Romana, sob o pseudônimo de Termindo Sipilio. Em 1768 é detido em Portugal, acusado de simpatia pelos jesuítas. Após quase ser exilado para Angola, Basílio recua em seu engajamento pró-jesuíta e escreve, em 1769, o "Epitalâmio às núpcias da Senhora Dona Maria Amália", filha do Marquês de Pombal (1699- 1782), protetor do poeta e um dos principais responsáveis pela política contra os jesuítas em território português e em suas colônias. Ao Marquês de Pombal é dedicada sua obra poética central, O Uraguai, de 1769.

Análise

Em O Uraguai (1769), obra central da poética de Basílio da Gama, é abordada a factual expedição de portugueses e espanhóis contra as missões jesuíticas no sul do Brasil. A intenção central do autor é louvar a política do Marquês de Pombal e criticar os jesuítas. Embora possua traços épicos, predomina em O Uraguai o gênero lírico-narrativo: segundo o crítico Alfredo Bosi (1936), a contemporaneidade dos eventos contados no poema retira a aura de mito que ronda a epopéia tradicional. Além dos espanhóis, portugueses e jesuítas, os indígenas também são personagens do poema, uma vez que estavam envolvidos diretamente no conflito entre colonizadores e jesuítas. O tema do índio e a descrição minuciosa da natureza brasileira dividem espaço, no poema, com a questão da expedição; assim, posteriormente, Basílio e seu Uraguai seriam apontados por muitos escritores românticos como fonte de inspiração.

No entanto, é preciso ressaltar que o interesse demonstrado por Basílio pela cultura indígena neste poema é superficial, configurando a imagem do índio com tintas de exotismo. Ainda assim, segundo o crítico Antonio Candido (1918), por vezes o poeta deixa de cantar os feitos heróicos dos portugueses e espanhóis para tratar do choque entre a cultura indígena e a européia, entre a vida natural e a ordenação racional da Europa.

Entre as especificidades da composição do poema estão as notas de rodapé elaboradas pelo próprio autor: nelas concentram-se o conteúdo mais explicitamente político, como as louvações a Pombal e o combate aos jesuítas; assim, o poema propriamente dito ficaria livre "dum máximo de não poesia"¹. Tal deslocamento de parte do conteúdo político para as notas de rodapé indicam, mais uma vez, a tendência mais lírica que épica d'O Uraguai.

Nota

1 A expressão é de Antonio Candido em ormação da Literatura Brasileira

Outras informações de Basílio da Gama:

  • Outros nomes
    • José Basílio da Gama
    • Termindo Sipílio
  • Habilidades
    • Poeta

Obras de Basílio da Gama: (2) obras disponíveis:

Espetáculos (1)

Fontes de pesquisa (3)

  • ANUÁRIO de teatro 1994. São Paulo: Centro Cultural São Paulo, 1996. R792.0981 A636t 1994
  • BOSI, Alfredo. Basílio da Gama. In: História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, s.d.
  • CANDIDO, Antonio. O disfarce épico de Basílio da Gama. In: Formação da literatura brasileira. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2007.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • BASÍLIO da Gama. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa2785/basilio-da-gama>. Acesso em: 11 de Dez. 2018. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7