Artigo da seção pessoas Davi Arrigucci Júnior

Davi Arrigucci Júnior

Artigo da seção pessoas
Literatura  
Data de nascimento deDavi Arrigucci Júnior: 1943 Local de nascimento: (Brasil / São Paulo / São João da Boa Vista)

Biografia
Davi Arrigucci Júnior ( São João da Boa Vista SP - 1943). Crítico literário, tradutor, contista e romancista. Vive toda a infância e adolescência no interior de São Paulo, entrando em contato com a literatura por meio da biblioteca de sua família. Em 1961 ingressa no curso de Letras na Faculdade de Filosofia. Dois anos depois, antes de terminar a graduação, Davi já leciona na Universidade de São Paulo, na área de literatura espanhola. Permanece na USP até 1996, no departamento de Teoria Literária. Durante sua formação, dedica-se às letras latino-americanas, realizando doutorado sobre o argentino Júlio Cortázar (1914-1984), com quem estabelece intenso contanto durante temporada de um ano em Paris (1975). O curto período na capital francesa é de extrema importância para a formação crítica de Arrigucci, que frequenta o seminário de Roland Barthes (1915-1980) na École Pratique de Hautes Études, além de cursos de sociologia da literatura. Em Paris também se dedica à leitura da obra completa do poeta Manuel Bandeira (1886-1968), retomando o contato com a literatura brasileira. Sobre o autor, publica em 1990 um importante estudo, Humildade, paixão e morte: a poesia de Manuel Bandeira. Em 2003 lança-se na ficção com a novela "Ugolino e a perdiz".

Comentário Crítico
A obra crítica de Arrigucci caracteriza-se por traçar relações entre literatura e sociedade, entre estética e história. O crítico, que possui formação filológica e considerável influência da hermenêutica, atenta para o nexo existente entre as especificidades da forma e da linguagem literárias com a história, mas também ressalta a relativa autonomia da estética em relação ao processo social. 

Em O Escorpião Encalacrado (1995), estudo sobre Júlio Cortázar, Arrigucci se debruça sobre os contos "El perseguidor" e "Las babas Del diablo", e do romance Rayuela, buscando identificar impasses na obra do prosador argentino. Discorre sobre o ímpeto de Cortázar para destruir a literatura como condição para escrever literatura, demonstrando como tal questão da destruição cristaliza-se na própria estrutura das narrativas. Neste estudo evidencia-se o método crítico de Arrigucci, que consiste em partir da análise de elementos particulares das obras para apreender movimentos gerais da poética dos autores. Por meio de um foco intenso na linguagem e em imagens literárias, o crítico delineia questões amplas que perpassam a literatura.

Tal movimento crítico é patente também em seu estudo sobre Manuel Bandeira, Humildade, Paixão e Morte (1990). O crítico seleciona apenas nove poemas da extensa obra de Bandeira, e os analisa detidamente. Identifica, então, na poética do escritor pernambucano, a capacidade de encontrar o sublime em palavras e fatos corriqueiros, de exprimir reflexões complexas por meio da linguagem cotidiana. A obra de Bandeira cristalizaria, assim, uma dialética do simples e do complexo - dialética que, de certa forma, perpassa também a crítica de Arrigucci.

Outras informações

  • Outros nomes
    • Davi Arrigucci Jr.

Eventos relacionados (1)

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • DAVI Arrigucci Júnior. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa2745/davi-arrigucci-junior>. Acesso em: 27 de Mar. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7