Artigo da seção pessoas Caio Reisewitz

Caio Reisewitz

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deCaio Reisewitz: 25-04-1967 Local de nascimento: (Brasil / São Paulo / São Paulo)
Imagem representativa do artigo

Pitangueiras I , 2006 , Caio Reisewitz
Reprodução fotográfica arquivo do artista

Biografia

Caio Christian Reisewitz (São Paulo, São Paulo, 1967). Fotógrafo. Forma-se em comunicação visual pela Fundação Armando Álvares Penteado (Faap) em 1989. No início dos anos 1990, viaja para a Alemanha, e freqüenta a Escola Superior de Artes de Darmstadt. Entre 1992 e 1997, estuda na Johannes Gutenberg-Universität Mainz, em Mainz, Alemanha, especializando-se em fotografia. Retorna a São Paulo em 1997. Recebe os prêmios de aquisição do 4º e do 6º Salão do Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM/BA), em 1997 e 1999, e o Prêmio Sérgio Motta, em 2001. Publica o livro Periferia, pela Galeria Brito Cimino, em 2002. Em 2004, expõe na 26ª Bienal Internacional de São Paulo e, em 2005, participa do pavilhão brasileiro da 51ª Bienal de Veneza com fotografias que retratam a arquitetura brasileira barroca e contemporânea.

Análise

O fotógrafo Caio Reisewitz explora em sua produção as relações entre registro documental e arte, e também entre espaço político e estético. Apresenta inicialmente registros arquitetônicos e paisagens urbanas, que revelam grande estranheza, e também imagens cotidianas, que sugerem narrativas.

Na produção realizada entre 2003 e 2005 registra principalmente interiores de edifícios e paisagens como a Serra do Mar ou a represa de Guarapiranga, em São Paulo. Utiliza câmeras de grande formato para que as cópias, de quase três metros de largura, possam ter grande definição. Fotografa constantemente em dias nublados, obtendo uma luminosidade esmaecida e maior nitidez dos detalhes. Utiliza a perspectiva central e a luz neutra, evitando a presença de sombras e recusando a dramaticidade. Algumas paisagens são transfiguradas pela instabilidade da luz, como Guarapiranga III (2003).

Sua obra dialoga constantemente com a própria história da arte ao evocar a produção de pintores viajantes e fotógrafos paisagistas que atuaram no país durante o século XIX, retratando a monumentalidade das matas. Revela predileção por lugares nos quais não há a presença humana, embora essa possa ser percebida no registro da paisagem.

Algumas imagens de autoria de Reisewitz solicitam o questionamento em torno da degradação do meio ambiente, como Bertioga I ou Sapopemba I (ambas de 2003), que apresentam respectivamente uma queimada na Mata Atlântica e o acúmulo de detritos em um lixão em São Paulo. Como nota o fotógrafo Eder Chiodetto (1965), Caio Reisewitz busca neutralizar a tendência ao espetacular na fotografia. O uso da luminosidade despojada resulta em registros que evocam o silêncio e a reflexão.

Outras informações de Caio Reisewitz:

  • Outros nomes
    • Caio Christian Reisewitz
  • Habilidades
    • fotógrafo

Obras de Caio Reisewitz: (23) obras disponíveis:

Todas as obras de Caio Reisewitz:

Midias (1)

Caio Reisewitz - Enciclopédia Itaú Cultural
As fotografias feitas pelo paulistano Caio Reisewitz estão muito mais ligadas ao processo de pintura de paisagem do que a um tipo de inscrição instantânea e ágil como, por exemplo, o fotojornalismo. Por isso, o artista afirma ser importante descrever o procedimento no qual sua criação ocorre, que inclui etapas como a montagem das câmeras de grande formato e a composição de cenários elaborados no visor do aparelho. O resultado são imagens em grande escala, feitio que, para ele, é favorável à contemplação. Seu trabalho, explica Reisewitz, caracteriza-se pela neutralidade entre o observador e a fotografia. Isso quer dizer que nele não há luzes dramáticas ou um pôr do sol deslumbrante – a exemplo da luminosidade esmaecida da série de paisagens da Serra do Mar, em São Paulo. Com isso, ele realiza o propósito de deixar um campo aberto para que a pessoa interprete o objeto registrado e dê a ele sua própria significação.

Produção: Documenta Vídeo Brasil
Captação, edição e legendagem: Sacisamba
Intérprete: Erika Mota (terceirizada)
Locução: Júlio de Paula (terceirizado)

Exposições (251)

Artigo sobre 6º Salão da Bahia

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de início6º Salão da Bahia: 10-12-1999  |  Data de término | 13-02-2000
Resumo do artigo 6º Salão da Bahia:

Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM/BA)

Artigo sobre Território Expandido II

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de inícioTerritório Expandido II: 20-06-2000  |  Data de término | 16-07-2000
Resumo do artigo Território Expandido II:

Serviço Social do Comércio (Pompéia, São Paulo, SP)

Todas as exposições

Eventos relacionados (9)

Artigo sobre sp-arte 2010

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de iníciosp-arte 2010: 29-04-2010  |  Data de término | 02-05-2010
Resumo do artigo sp-arte 2010:

Fundação Bienal de São Paulo

Artigo sobre sp-arte 2011

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de iníciosp-arte 2011: 12-05-2011  |  Data de término | 15-05-2011
Resumo do artigo sp-arte 2011:

Fundação Bienal de São Paulo

Artigo sobre Paris Photo

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de inícioParis Photo: 10-11-2016  |  Data de término | 13-11-2016
Resumo do artigo Paris Photo:

Galeries Nationales du Grand Palais

Fontes de pesquisa (20)

  • 2º Prêmio Cultural Sergio Motta. Apresentação Marcos Mendonça, Wilma Motta; texto Vitória Daniela Bousso. São Paulo: Instituto Sergio Motta, [2001]. 63 p., il. p&b color.
  • ARCO das Rosas: o marchand como curador. Tradução Camila Henman Belchior. São Paulo: Casa das Rosas, 2001. 120p. il p&b, color.
  • RUMOS ITAÚ CULTURAL ARTES VISUAIS. Arte política: Isto São Outros 500. Texto Angélica de Moraes; apresentação Ricardo Ribenboim. São Paulo: Itaú Cultural, 2000. [40] p.

  • AFOTODISSOLVIDA. São Paulo: SESC Pompéia, 2004.
  • BRITO Cimino 4. Texto Rafael Vogt Maia Rosa. São Paulo: Galeria Brito Cimino, 2002.
  • CHIARELLI, Tadeu (org). Alegoria. São Paulo: MAM, [2002].
  • CHIODETTO, Eder. Reisewitz revigora a ilusão das imagens. Folha de São Paulo, São Paulo, 23 maio 2005.  Ilustrada. 
  • ENTRE a fotografia e o desenho. Belo Horizonte: CEMIG Espaço Cultural, 2003.
  • FOTOGRAFIAS no acervo do Museu de Arte Moderna de São Paulo. São Paulo: MAM, 2002.
  • MAPEAMENTO nacional da produção emergente: 1999/2000. Apresentação Ricardo Ribenboim. São Paulo: Itaú Cultural : Imprensa Oficial do Estado : Editora da Unesp, 2000. 180 p. il. color. (Rumos arte visuais). 
  • NOVÍSSIMOS 98. Curadoria Eli Sudbrack, Everton Ballardin, Rubens Mano. São Paulo: Paço das Artes, 1998.
  • POSE detida. Curadoria José Fujocka Neto; texto Ronaldo Entler. São Paulo: Oficina Cultural Oswald de Andrade, 2001. [24] p., il. color.
  • REDE de tensão: Bienal 50 anos. São Paulo: Fundação Bienal, 2001.
  • REISEWITZ, Caio. Alles Deutschland - Caio Reisewitz: trabalhos fotográficos. São Paulo: Centro Cultural São Paulo, s.d. 
  • REISEWITZ, Caio. Caio Reisewitz: Goiânia. Goiânia: Museu de Arte Contemporânea de Goiás, 2003.
  • REISEWITZ, Caio. Periferia. São Paulo: Galeria Brito Cimino, 2002.
  • REISEWITZ, Caio. Você Não Está Sozinho. Texto Stella Teixeira de Barros. São Paulo, Galeria Brito Cimino, 2005. 46 p. il. color.
  • RETRATOS do imaginário de São Paulo. Projeto Rosana Delellis; pesquisa e texto Ricardo Mendes. São Paulo: FormArte, 2001. 124 p. il. color., p&b.
  • SALÃO DA BAHIA (4. : 1997 : Salvador, BA). IV Salão da Bahia. Salvador: Museu de Arte Moderna da Bahia, 1997.
  • TERRITÓRIO expandido II. São Paulo: Sesc, 2000.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • CAIO Reisewitz. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa26889/caio-reisewitz>. Acesso em: 27 de Jun. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7