Artigo da seção pessoas Ugo Giorgetti

Ugo Giorgetti

Artigo da seção pessoas
Cinema  
Data de nascimento deUgo Giorgetti: 1942 Local de nascimento: (Brasil / São Paulo / São Paulo)

Biografia
Ugo César Giorgetti (São Paulo, São Paulo, 1942). Roteirista, diretor, publicitário. Cursa filosofia na Universidade de São Paulo, entre 1963 e 1965, sem concluir a graduação. O interesse por cinema começa nos anos 1960, quando entra em contato com o Neo-Realismo italiano e a Nouvelle Vague francesa. Em 1966, começa a trabalhar na empresa publicitária Alcântara Machado, chegando a ser diretor. Até os anos 1980, passa por diversas empresas publicitárias, como Denison, Proeme, Companhia de Cinema, Espiral, Frame, entre outras. Nesse período, torna-se um dos principais diretores de comerciais do país. Paralelamente, realiza seus primeiros filmes para cinema: Campos Elíseos (1973), curta documental sobre o bairro homônimo de São Paulo, e o média documental Rua São Bento, 405 – Edifício Martinelli (1976).

Em 1977, inicia as filmagens de um documentário sobre o pugilista Éder Jofre (1936) e sua família. Feito em 16 mm, com equipamentos emprestados nas horas vagas, Quebrando a Cara só é concluído em 1986, não sendo lançado comercialmente. Durante o percurso, escreve e dirige a peça teatral Humor Bandido (1982) e filma seu primeiro longa ficcional, Jogo Duro (1985), de forma cooperativa com outros profissionais da publicidade, com baixo orçamento. O filme é bem recebido pela crítica e pelos festivais. Faz, em seguida, Festa (1989), com melhores condições de produção e apoio da Embrafilme. O filme é o grande vencedor do 17º Festival de Gramado. Em 1994, lança Sábado.

Em 1996, funda a produtora SP Filmes, para realizar Boleiros – Era uma Vez o Futebol (1998), feito com o apoio da Lei de Incentivo Federal à Cultura. O filme ganha continuação em 2006, com Boleiros 2 – Vencedores e Vencidos. Realiza, em 2002, O Príncipe, um balanço sobre a sua geração. Seguem-se a ele Solo (2009), um monólogo do ator Antônio Abujamra (1932-2015), e Cara ou Coroa (2012), filme sobre a ditadura militar. Sem trabalhar com publicidade desde os anos 1990, o cineasta dedica-se também aos telefilmes, feitos para a TV Cultura, dos quais destacam-se Uma Outra Cidade (2000), Pizza (2005), Em Busca da Pátria Perdida (2008), Paredes Nuas e Solo (2009) e Cidade Imaginária (2014). Faz também a direção cênica da ópera Norma (2010), de Vincenzo Bellini (1801-1835). Em 201, finaliza o longa-metragem Uma Noite em Sampa.

Comentário crítico
Ugo Giorgetti realiza seus longas-metragens na renovação do cinema paulista, nos anos 1980, com foco na cidade de São Paulo. Sua formação prática se dá na publicidade, como um requisitado diretor de comerciais.  

continuar a leitura do texto Continuar a leitura do texto...

Outras informações de Ugo Giorgetti:

  • Outros nomes
    • Ugo César Giorgetti

Obras de Ugo Giorgetti: (4) obras disponíveis:

Eventos relacionados (1)

Fontes de pesquisa (11)

  • BRASIL, Ubiratan. Bairrismo é driblado pela simpatia dos personagens. O Estado de S. Paulo, 24 abr. 1998.
  • ALPENDRE, Sérgio. Cara ou Coroa. Revista Interlúdio, São Paulo, 11 set. 2012. Disponível em: < http://www.revistainterludio.com.br/?p=4012 >. Acesso em: 1 set. 2015.
  • ARANTES, Silvana. A geração da náusea. Folha de S.Paulo, São Paulo, 9 ago. 2002. Ilustrada, p. E11.
  • ARANTES, Silvana. Giorgetti mostra intelectualidade sombria. Folha de S.Paulo, São Paulo, 13 jun. 2001. Ilustrada, p. E4.
  • ARAÚJO, Inácio. Arte da história e do invisível preenche o filme. Folha de S.Paulo, São Paulo, 15 ago. 2002. Ilustrada, p. E1.
  • ARAÚJO, Inácio. ‘Sábado’ observa contradições do Brasil. Folha de S.Paulo, São Paulo, 7 abr. 1995. Ilustrada, p. 7.
  • ARAÚJO, Inácio. “Boleiros” aborda a fugacidade do tempo. Folha de S.Paulo, São Paulo, 24 abr. 1998. Ilustrada, p. 11.
  • CARNEIRO, Gabriel. Ugo Giorgetti e o porão da sociedade. Pós-créditos, São Paulo, 19 dez. 2014. Disponível em: < http://revistaposcreditos.com/cinema-2/ugo-giorgetti-e-o-porao-da-sociedade/ >. Acesso em: 01 set. 2015.
  • GIORGETTI, experiência obtida nos comerciais. Filme Cultura. Rio de Janeiro,  n. 48, p. 158-160, nov. de 1988.
  • GIORGETTI, Ugo. Diretor foge ao debate e vira “camelô de filme”. Folha de S.Paulo, São Paulo, 2 jul. 1989. Ilustrada, p. E-6.
  • ORMOND, Andrea. Festa. Estranho Encontro, Rio de Janeiro, 4 nov. 2005. Disponível em: < http://estranhoencontro.blogspot.com.br/2005/11/festa.html >. Acesso em: 1 set. 2015.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • UGO Giorgetti. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa26275/ugo-giorgetti>. Acesso em: 24 de Mai. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7