Pessoas

Augusto Rodrigues

Outros Nomes: Augusto Rodrigues
  • Análise
  • Biografia
    Augusto Rodrigues (Recife PE 1913 - Resende RJ 1993). Educador, pintor, desenhista, gravador, ilustrador, caricaturista, fotógrafo, poeta. Trabalha no ateliê de Percy Lau (1903-1972) e, em 1933, realiza sua primeira exposição individual, no Recife. Nesse ano, inicia sua atividade como ilustrador e caricaturista no Diário de Pernambuco. Ao lado de Guignard (1896-1962), Candido Portinari (1903-1962), e outros, expõe, em 1934, na Associação dos Artistas Brasileiros, no Rio de Janeiro. Em 1935, transfere-se para essa cidade e logo se torna colaborador de jornais e de revistas como O Estado de S. Paulo e O Cruzeiro. Participa da fundação e do planejamento dos jornais Folha Carioca, Diretrizes e Última Hora. Em 1942, realiza exposição individual, com cerca de 100 desenhos, no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA). Com a colaboração de Lúcia Alencastro (1921-1996), Oswaldo Goeldi (1895-1961), Vera Tormenta (1930), Fernando Pamplona e Humberto Branco, funda a Escolinha de Arte do Brasil, em 1948. Em 1953, participa da 2ª Bienal Internacional de São Paulo e, com Geza Heller (1902-1992) e Marcelo Grassmann (1925), expõe na Petite Galerie e, no 2º Salão Nacional de Arte Moderna, em que obtém o prêmio de viagem ao exterior, na categoria desenho. Em 1971, integra a mostra Panorama do Desenho Brasileiro, organizada pelo Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP), e edita seu primeiro livro de poesia, 27 Poemas. O segundo, A Fé entre os Desencantos, é publicado em 1980. Em 1989, lança Largo do Boticário - Em Preto e Branco, com 80 fotografias tiradas no decorrer dos anos.

    Comentário Crítico
    Nas diversas atividades artísticas de Augusto Rodrigues, pode-se apontar como característica comum a permanente preocupação com a função da arte. Defende ser esta a forma pela qual a cultura se manifesta mais significativamente, daí a importância de difundi-la.

    A criação da Escolinha de Arte do Brasil - primeira do gênero no país - é um exemplo do empenho de Rodrigues em renovar os métodos da educação artística para crianças e adultos. Com base nas idéias do historiador e crítico de arte Herbert Read (1893 - 1968), procura incluir, no processo de ensino, pesquisas poéticas que estimulem a criança a desenvolver sua própria singularidade. Essa iniciativa torna-se importante referência para o desenvolvimento da arte-educação no Brasil.

    Rodrigues traz para seus trabalhos a liberdade dos traços que buscam integrar pintura e desenho, evitando o virtuosismo da linha ou das questões cromáticas. Entre seus temas, a mulher é personagem constante. É significativa também a presença de elementos ligados à cultura popular pernambucana, como o frevo e a dança de roda. Suas pinceladas são determinadas pelo próprio movimento, e não apenas pela forma e pela composição, de modo a criar as diversas direções e intensidades rítmicas.

    A influência do cinema está em algumas pinturas, como mostra o tratamento dado a Carlitos, personagem de Charles Chaplin (1889 - 1977). Rodrigues amplia as possibilidades de sentido de suas obras ao apropriar-se de elementos cotidianos como anúncios, textos de jornais, fotografias de objetos, material impresso em offset, incorporados em seus trabalhos.

Exposições

Fontes de Pesquisa

70 ANOS de Augusto Rodrigues: arte para ser e existir. Apresentação de Geraldo Edson de Andrade. Introdução de Alcídio Mafra de Souza. Rio de Janeiro: MNBA, 1983.

A PRESENÇA de Augusto Rodrigues em Barra Mansa: 1989: gravuras, desenhos, pinturas. Barra Mansa: SESC, 1989.

AYALA, Walmir. Dicionário de pintores brasileiros. Organização André Seffrin. 2. ed. rev. e ampl. Curitiba: Ed. UFPR, 1997. 428 p. R750.81 A973d 2.ed.

EXPRESSIONISMO no Brasil: heranças e afinidades. Apresentação de Roberto Muylaert e Sheila Leirner. São Paulo: Fundação Bienal, 1985. (XVIII Bienal Internacional de São Paulo, 1985).

Folha de S. Paulo, 10/04/1993 Não catalogada

HISTÓRIA de uma coleção: arte brasileira entre os anos 1960 e 1980 no acervo do Banco JPMorganChase. Curadoria Luiz Camillo Osorio; texto Luiz Camillo Osorio; versão em inglês Carolyn Brisset. Copacabana: Andrea Jakobsson Estúdio, 2003. 236 p., il. p&b color.

KLINTOWITZ, Jacob. Augusto Rodrigues 50 anos de arte: a arte como uma anotação do cotidiano. São Paulo, Raízes, 1980.

LAGO, Pedro Corrêa do. Caricaturistas brasileiros: 1836-1999. Rio de Janeiro: Sextante Artes, 1999. p.136-139 741.5981 L1777c

LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988. 555 p. R759.981 L533d

LOUZADA, Maria Alice do Amaral; LOUZADA, Júlio. Artes plásticas Brasil 1999. São Paulo: Júlio Louzada, 1999. R702.9 L895a v. 11

PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Texto Mário Barata, Lourival Gomes Machado, Carlos Cavalcanti et al. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969. 559 p. R703.0981 P818d

PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. Rio de Janeiro: Edições Jornal do Brasil, 1987. 585 p.

VEL EL ZOLADZ, Rosza Wigdorowicz. Augusto Rodrigues: o artista e a arte, poeticamente. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1990, 134 p, il., 23cm.