Artigo da seção pessoas Pinto Bandeira

Pinto Bandeira

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento dePinto Bandeira: 09-03-1863 Local de nascimento: (Brasil / Rio de Janeiro / Niterói) | Data de morte 28-08-1896 Local de morte: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)
Imagem representativa do artigo

Retrato do Aluno Conceição , ca. 1891 , Pinto Bandeira
Reprodução fotográfica Lamberto Scipioni

Biografia

Antônio Rafael Pinto Bandeira (Niterói, RJ, 1863 - Rio de Janeiro, RJ, 1896). Pintor e professor. Descendente de escravos, ingressa em 1879 na Academia Imperial de Belas Artes (Aiba), no Rio de Janeiro, sendo discípulo do pintor João Zeferino da Costa (1840-1915). Participa regularmente da Exposição Geral de Belas Artes (Egba), sendo contemplado com os prêmios de menção honrosa em modelo vivo, em 1883; grande medalha de ouro, em pintura histórica, em 1884; e, no ano seguinte, o prêmio Imperatriz do Brasil, criado em 1880 pelo comendador Caetano de Araújo.

Em 1886, realiza exposição pública no edifício da Aiba, exibindo estudos de paisagem. Frequenta a academia até 1887, quando se muda para Salvador por indicação de seu amigo, o pintor Firmino Monteiro (1855-1888). Na capital baiana, produz diversas pinturas da paisagem local e  leciona no Liceu de Artes e Ofícios, onde, em 1889, realiza mostra exibindo 15 quadros de paisagens, marinhas, figuras e temas religiosos. Retorna a Niterói em 1890. Tenta, sem sucesso, fundar uma escola de belas artes na cidade.

Possui obras nos acervos do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), Rio de Janeiro; no Museu Antônio Parreiras, Niterói; e no Museu Afro Brasil (MAB), São Paulo. Postumamente, suas obras integram a mostra antológica A Paisagem Brasileira até 1900, organizada por Rodrigo Melo Franco de Andrade (1898-1969), na 2ª Bienal do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP), em 1953.

Análise

Na opinião do crítico e historiador Quirino Campofiorito (1902-1993), embora não tenha sido aluno do pintor alemão radicado no Rio de Janeiro Georg Grimm (1846-1887), um dos mais destacados paisagistas do século XIX no Brasil, Pinto Bandeira pode ser considerado um continuador de seu estilo. Suas paisagens e marinhas exibem uma preocupação descritiva na observação e representação da natureza, resultando em pinturas bastante detalhadas, de luminosidade e cromatismo pouco contrastados, características dos trabalhos de Grimm. Essas qualidades podem ser observadas em obras como Paisagem do Rio de Janeiro ou Marinha (ambas de 1884), pertencentes ao MNBA.

Dedicando-se principalmente à paisagem, exerce também outros gêneros pictóricos como a natureza-morta, o retrato e a pintura de costumes. Nesse último, alcança realizações interessantes como Moça Sentada (1890) e Jovem Adormecida (1891), pertencentes ao Museu Antônio Parreiras. Em ambas as telas o artista se permite uma fatura mais livre e um colorido mais intenso, como no contraste entre o vermelho da blusa e o amarelo da saia, na primeira obra, ou no vestido azul da jovem, na segunda. Nessa, o desenho também ganha em liberdade, especialmente nos ornamentos do papel de parede ao fundo. No entanto, são obras de dimensão intimista, revelando personagens introspectivas, com em Cabeça de Homem (1891). É de interesse notar ainda que, nesses trabalhos, as figuras têm a pele morena, sugerindo a opção do artista por modelos também afrodescendentes, como se nota ainda em Feiticeira (1890), do acervo do MAB.

Outras informações de Pinto Bandeira:

  • Outros nomes
    • Antônio Rafael Pinto Bandeira
    • Antonio Raphael Pinto Bandeira
    • Rafael Pinto Bandeira
  • Habilidades
    • Pintor paisagista
    • professor de artes plásticas
  • Relações de Pinto Bandeira com outros artigos da enciclopédia:

Obras de Pinto Bandeira: (7) obras disponíveis:

Exposições (18)

Eventos relacionados (1)

Artigo sobre sp-arte 2010

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de iníciosp-arte 2010: 29-04-2010  |  Data de término | 02-05-2010
Resumo do artigo sp-arte 2010:

Fundação Bienal de São Paulo

Fontes de pesquisa (17)

  • LEITE, José Roberto Teixeira. Pintores negros do oitocentos. Edição Emanoel Araújo. São Paulo: MWM-IFK, 1988. 246 p. (Coleção MWM-IFK). 759.98105 L533p
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Pintores negros do oitocentos. Edição Emanoel Araújo. São Paulo: MWM-IFK, 1988. 246 p. (Coleção MWM-IFK).
  • ARTE no Brasil. São Paulo: Abril Cultural, 1979. 2v.
  • ARTE no Brasil. São Paulo: Abril Cultural, 1982. 709.81 A163a
  • AYALA, Walmir (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1980. v.4: Q a Z. (Dicionários especializados, 5).
  • BRAGA, Theodoro. Artistas pintores no Brasil. São Paulo: São Paulo Editora, 1942. R703.0981 B813a
  • CAMPOFIORITO, Quirino. História da pintura brasileira no século XIX. Prefácio Carlos Roberto Maciel Levy. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1983. 292 p., il. p&b. color. 759.981034 C198hi
  • CAVALCANTI, Carlos (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1973. v.1: A a C. (Dicionários especializados, 5). R703.0981 C376d v.1
  • FREIRE, Laudelino. Um século de pintura: apontamentos para a história da pintura no Brasil de 1816-1916. Rio de Janeiro: Fontana, 1983. 677 p. 759.981034 F866u
  • FREIRE, Laudelino. Um século de pintura: apontamentos para a história da pintura no Brasil de 1816-1916. Rio de Janeiro: Fontana, 1983. 677 p.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988. 759.981 L533d
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969. 703.0981 P818d
  • REIS JÚNIOR, José Maria dos. História da pintura no Brasil. Prefácio Oswaldo Teixeira. São Paulo: Leia, 1944. 759.981 R375h
  • REIS JÚNIOR, José Maria dos. História da pintura no Brasil. Prefácio Oswaldo Teixeira. São Paulo: Leia, 1944.
  • RUBENS, Carlos. Pequena história das artes plásticas no Brasil. São Paulo: Editora Nacional, 1941. (Brasiliana. Série 5ª: biblioteca pedagógica brasileira, 198). 709.81 R895p
  • RUBENS, Carlos. Pequena história das artes plásticas no Brasil. São Paulo: Editora Nacional, 1941. (Brasiliana. Série 5ª: biblioteca pedagógica brasileira, 198).

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • PINTO Bandeira. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa24600/pinto-bandeira>. Acesso em: 22 de Nov. 2018. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7