Artigo da seção pessoas Maximiano Mafra

Maximiano Mafra

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deMaximiano Mafra: 1823 Local de nascimento: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro) | Data de morte 24-05-1908 Local de morte: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)

Biografia
João Maximiano Mafra (Rio de Janeiro RJ 1823 - idem 1908). Pintor, escultor, professor. A partir de 1835, estuda na Academia Imperial de Belas Artes (Aiba), onde é aluno de Manuel de Araújo Porto-Alegre (1806-1879), com quem colabora posteriormente na realização dos primeiros esboços para a tela Coroação de D. Pedro II, 1845. Participa de várias edições da Exposição Geral de Belas Artes, entre 1841 e 1884, recebendo a medalha de ouro em 1846. Dedica-se principalmente à pintura de história e a de retratos. Em 1851, é aprovado no concurso para professor substituto da disciplina de pintura histórica na Aiba, cargo que ocupa por um breve período, em 1874. É nomeado professor efetivo da cadeira de desenho de ornatos na Aiba, atividade que exerce entre 1856 e 1890. O artista tem ainda relevante atuação como secretário da instituição, entre 1854 e 1890. As informações acerca de sua trajetória artística são controversas e sua produção permanece pouco conhecida.

Comentário Crítico
Maximiano Mafra dedica-se inicialmente à pintura histórica, com telas como Tomás Gonzaga no Cárcere, s.d. e a Morte de Sócrates, s.d. e realiza ainda diversos retratos. Entre seus trabalhos destaca-se o projeto para a estátua eqüestre de dom Pedro I (1798-1834), realizada em Paris por Louis Rochet (1813-1878) e instalada no Rio de Janeiro em 1862. Para o historiador da arte Luciano Migliaccio, entretanto, a concepção geral do monumento deve ser atribuída a Manuel de Araújo Porto-Alegre.

continuar a leitura do texto Continuar a leitura do texto...

Outras informações de Maximiano Mafra:

Exposições (11)

Fontes de pesquisa (10)

  • AYALA, Walmir (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1977. v.3: M a P. (Dicionários especializados, 5).
  • AYALA, Walmir. Dicionário de pintores brasileiros. Rio de Janeiro: Spala, 1992. 2v. R759.981 A973d v.2
  • BARDI, Pietro Maria. História da arte brasileira artes: pintura, escultura, arquitetura, outras. 2.ed São Paulo: Melhoramentos, 1975. 228 p., il. p.b. color.
  • BRAGA, Theodoro. Artistas pintores no Brasil. São Paulo: São Paulo Editora, 1942.
  • FREIRE, Laudelino. Um século de pintura: apontamentos para a história da pintura no Brasil de 1816-1916. Rio de Janeiro: Fontana, 1983. 677 p.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • PINACOTECA: Museu do Estado de Pernambuco. Recife: Museu do Estado de Pernambuco, 1991. 75 p., il. p&b.
  • PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.
  • REIS JÚNIOR, José Maria dos. História da pintura no Brasil. Prefácio Oswaldo Teixeira. São Paulo: Leia, 1944.
  • RUBENS, Carlos. Pequena história das artes plásticas no Brasil. São Paulo: Editora Nacional, 1941. (Brasiliana. Série 5ª: biblioteca pedagógica brasileira, 198).

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • MAXIMIANO Mafra. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa24094/maximiano-mafra>. Acesso em: 15 de Jan. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7