Artigo da seção pessoas Lúcio Cardoso

Lúcio Cardoso

Artigo da seção pessoas
Teatro / literatura / artes visuais / cinema  
Data de nascimento deLúcio Cardoso: 14-08-1912 Local de nascimento: (Brasil / Minas Gerais / Curvelo) | Data de morte 09-1968 Local de morte: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)
Imagem representativa do artigo

Crônica da Casa Assassinada , 1959 , Lúcio Cardoso
Reprodução Fotográfica Horst Merkel

Biografia
Joaquim Lúcio Cardoso Filho (Curvelo, MG, 1912 - Rio de Janeiro, RJ, 1968). Romancista, poeta, dramaturgo, tradutor e artista plástico. Muda-se com dois anos para Belo Horizonte e, depois, para o Rio de Janeiro, cidade para a qual se transfere definitivamente em 1929. Ainda na adolescência, escreve peças teatrais que circulam entre os amigos. Um desses textos, O Reduto dos Deuses, é elogiado pelo escritor Aníbal Machado (1894-1964), que o incentiva a seguir a carreira literária. Cardoso faz parte da fundação de duas revistas, A Bruxa e Sua Revista, enquanto acumula poemas, peças e contos na gaveta.

Publica, em 1934, com o auxílio do poeta Augusto Frederico Schmidt (1906-1975), seu primeiro romance, Maleita, sobre a fundação de uma cidade no interior de Minas Gerais. Em 1935 é a vez de Salgueiro, retratando a vida nos morros cariocas. Mas é somente com A Luz no Subsolo (1936) que encontra seu caminho, voltado para uma ficção introspectiva. Em 1939, faz sua única incursão pela literatura infantil com Histórias da Lagoa Grande e dois anos depois publica Poesias, compilação de trabalhos escritos na década anterior. Nos anos 1940, trabalha incessantemente escrevendo peças de teatro, fazendo traduções e colaborando com crônicas policiais nos jornais.

Interessado em cinema, inicia em 1949 as filmagens do longa-metragem A Mulher de Longe e, em 1961, escreve o roteiro de Porto das Caixas, do cineasta Paulo César Saraceni (1933-2012). No ano seguinte, sofre um acidente vascular cerebral (AVC) que paralisa o lado direito de seu corpo, passando, então, a dedicar-se à pintura. Expõe suas telas em diversas exposições no país e no exterior.

Comentário crítico
Lúcio Cardoso faz sua estreia na década de 1930 dentro do contexto da ficção regionalista. Seus dois primeiros livros, Maleita e Salgueiro, compartilham com os romances de Graciliano Ramos (1892-1953), Érico Veríssimo (1905-1975), Jorge Amado (1912-2001) e José Lins do Rego (1901-1957) uma nova atitude em relação à vida nacional, modificando os rumos do primeiro modernismo brasileiro, datado da década de 1920. O ponto principal dessa mudança, segundo o crítico literário Alfredo Bosi (1936), está em certa “atitude interessada diante da vida contemporânea”.

continuar a leitura do texto Continuar a leitura do texto...

Outras informações de Lúcio Cardoso:

  • Outros nomes
    • Joaquim Lúcio Cardoso Filho
  • Habilidades
    • jornalista
    • poeta
    • escritor
    • autor
    • dramaturgo

Obras de Lúcio Cardoso: (1) obras disponíveis:

Espetáculos (2)

Exposições (1)

Fontes de pesquisa (1)

  • PENNAFORT,Roberta. Cena construída por contrastes.Estadão On Line,2 de junhode 2011.Disponível em: < http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110603/not_imp727394,0.php >. Acesso em: 3 de junho de 2011. Não catalogado

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • LÚCIO Cardoso. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa24000/lucio-cardoso>. Acesso em: 22 de Mai. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7