Artigo da seção pessoas Henri Langerock

Henri Langerock

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deHenri Langerock: 1830 Local de nascimento: (Bélgica / Gent) | Data de morte 1915 Local de morte: (França / Ile de France / Paris)
Imagem representativa do artigo

Arredores da Tijuca , 1881 , Henri Langerock

Biografia

Henri Charles Langerock (Gand, Bélgica, 1830 - Paris, França, 19151). Pintor, litógrafo, fotógrafo. Em 1850 começa a cursar a academia de artes de Gand. Em 1865, deposita patente de um sistema fotográfico junto ao império francês. Três anos depois tem o pedido aceito. Expõe no Salão de Paris entre 1879 e 1884. Em 1881, já no Brasil, produz a tela Arredores da Tijuca. Em 1885, executa o quadro A Família Imperial e o Corcovado a partir de uma fotografia de Marc Ferrez (1843-1923). No mesmo ano torna-se sócio de Victor Meirelles (1832-1903) numa empresa de panoramas.

Despede-se do Brasil em 1886, doando à Academia Imperial de Belas Artes (Aiba) a tela Valle de Saint-Vaumerout em Auvergne. Na ocasião torna-se membro correspondente da instituição.2 Entre 1886 e 1888, na Bélgica, executa com Meirelles o Panorama do Rio de Janeiro. Ainda em 1888, produz o quadro La Montagne de L'Or Noire - Ouro Preto, Brésil. Cinco anos após a sua morte, seu atêlie vai à venda pública com diversos dos seus quadros.

Análise

A paisagem é elemento central na produção de Langerock. Embora também tenha realizado muitos retratos e cenas de gênero, muitas vezes apresentam-se também nesses trabalhos trechos de passagens como densas florestas, ao fundo ou ao redor da composição. Alguns dos retratos que faz são tomados a partir de fotografias, reforçando, assim, o seu interesse nesse tipo de imagem, já evidenciado em sua carreira pela solicitação de patente para um processo por ele desenvolvido em 1865: o Sistema Langerock.

A maioria dos seus quadros tem pequenas dimensões e guardam similaridades formais com a estética do pitoresco. Desviando-se desse contexto, destaca-se a produção do Panorama do Rio de Janeiro tomado do Morro de Santo Antônio em 1886, realizado em parceria com Victor Meirelles. É uma tela de enormes dimensões construída a partir da tradição belga desse tipo de imagem. Cabe a Langerock representar a parte oriental do Rio - da rua da Lapa ao Mosteiro de São Bento. Conforme o título sugere, o Panorama foi feito a partir de tomadas fotográficas realizadas no Brasil, possivelmente pelo belga.

Exposto primeiro em Bruxelas, em 1888, é apresentado em seguida na Exposição Universal de Paris, em 1889, e chega ao Brasil em 1891, angariando críticas positivas. Trata-se da obra mais reconhecida de Langerock.

Notas

1 Embora a maior parte da bibliografia nacional aponte para o dado de que Langerock faleça em Paris, há uma referência francesa de que o o local seja Marselha, também na França. Ver BÉNÉZIT, Emmanuel-Charles. Dictionnaire critique et documentaire des peintres, sculpteurs dessinateurs et qraveurs: de tous les temps et de tous les pays par un groupe d´écrivains spécialistes français et étrangers. Nova edição revista e corrigida. Paris, Grund, 1976.

2 Há uma divergência quanto a esse dado. Alguns autores apontam o ano de 1880 como a data em que Langerock torna-se membro correspondente da Academia, outros, 1886. Adota-se aqui o ano de 1886 por ser o período em que o artista deixa o Brasil, retornando à Europa.

Outras informações de Henri Langerock:

  • Outros nomes
    • Henri Charles Langerock
    • Henrique Langerok
  • Habilidades
    • litógrafo
    • fotógrafo
    • Pintor
  • Relações de Henri Langerock com outros artigos da enciclopédia:

Obras de Henri Langerock: (1) obras disponíveis:

Fontes de pesquisa (15)

  • DUQUE, Gonzaga. A Arte brasileira: pintura e esculptura. Rio de Janeiro: H. Lombaerts & C., 1888. 254 p.
  • BÉNÉZIT, Emmanuel-Charles. Dictionnaire critique et documentaire des peintres, sculpteurs dessinateurs et qraveurs: de tous les temps et de tous les pays par un groupe d´écrivains spécialistes français et étrangers. Nova edição revista e corrigida. Paris: Grund, 1976. 10 v.
  • BRAGA, Theodoro. Artistas pintores no Brasil. São Paulo: São Paulo Editora, 1942.
  • BUENO, Alexei. O Brasil do século XIX na Coleção Fadel. Rio de Janeiro: Instituto Cultural Sergio Fadel, 2004.
  • CAMARGO, Armando de Arruda (org.); LOBO, Hélio de Sá (org.); AZEVEDO, João da Cruz Vicente de (org.). A Paisagem brasileira: 1650-1976. Apresentação Duilio Crispim Farina; fotografia Miguel Martins. Sao Paulo: Sociarte, Paço das Artes, 1980. il. color.
  • CAVALCANTI, Carlos (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1974. v.2: D a L. (Dicionários especializados, 5).
  • DE WILDE. Le Dictionnaire des Peintres Belges, du XIVe siècle à nos jours. Bruxelles: 1995 vol.I
  • DUQUE, Gonzaga. Impressões de um amador: textos esparsos de crítica (1882-1900). Organização Júlio Castañon Guimarães, Vera Lins. Belo Horizonte: Editora UFMG / Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2001.
  • FERREZ, Gilberto. A fotografia no Brasil: 1840- 1900. Prefácio Pedro Karp Vasquez. 2. ed. Rio de Janeiro: Funarte, 1985. 248 p. (História da fotografia no Brasil, 1).
  • FREIRE, Laudelino. Um século de pintura: apontamentos para a história da pintura no Brasil de 1816-1916. Rio de Janeiro: Fontana, 1983. 677 p.
  • GULLAR, Ferreira et al. 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • LEVY, Carlos Roberto Maciel Levy. Exposições Gerais da Academia Imperial e da Escola Nacional de Belas Artes. Rio de Janeiro: Edições Pinakotheke, 1990.
  • PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.
  • SALGUEIRO, HELIANA ANGOTTI. Paisagem e arte: a invenção da natureza, a evolução do olhar. São Paulo: H. Angotti Salgueiro, 2000.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • HENRI Langerock. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa23313/henri-langerock>. Acesso em: 26 de Jun. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7