Artigo da seção pessoas Heinz Kühn

Heinz Kühn

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deHeinz Kühn: 1908 Local de nascimento: (Alemanha / Berlim / Berlim) | Data de morte 1987 Local de morte: (Brasil / São Paulo / São Paulo)
Imagem representativa do artigo

Sem Título , 1952 , Heinz Kühn
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Biografia
Heinz Kühn (Berlim, Alemanha 1908 - São Paulo 1987). Pintor. Seu período de formação artística se dá em Berlim. Transfere-se para o Brasil em 1950, fixando residência em São Paulo. Pintor ligado à abstração, na década de 1960 passa a incorporar relevos em suas obras. Utiliza materiais incomuns, como isopor, compondo efeitos peculiares. Recebe vários prêmios em edições do Salão Paulista de Arte Moderna, conquistando a medalha de prata em 1952, o Prêmio Aquisição em 1955 e medalha de ouro em 1965. Participa das edições II, III e VIII da Bienal Internacional de São Paulo. É laureado também com o prêmio de viagem a Brasília no I Concurso Nacional de Jóias. Possui obras em coleções particulares e no acervo do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP).

Comentário crítico
Heinz Kühn dedica-se inicialmente à abstração informal. Durante a década de 1950, faz trabalhos em carvão sobre papel e óleo sobre tela, nos quais zonas de cor de contornos indefinidos se sobrepõem, compondo a superfície. O mesmo acontece no mural Impressões de Itanhaém (s.d., 1,18 x 2,91m), realizado para a Casa do Peixe de Itanhaém, cidade do litoral paulista. Ao longo da produção, Kuhn vê a própria superfície pictórica como questão a ser trabalhada.

Após sua experiência como pintor abstracionista informal, o artista incursiona pela vertente da op art (ou optical art, arte cinética). Nesse tipo de arte abstrata fenômenos ópticos são explorados a fim de fazer com que a superfície de uma obra pareça vibrar, pulsar ou mover-se. Nesse contexto, Kühn realiza a série Reflexos, durante os anos 1960, usando tinta sobre isopor. À época, o artista declara que "a composição não é mais no quadro, ao contrário, fora, no observador: é portanto necessário achar-se uma construção, que seja suficiente para esta suposição"1. Ou seja, essa vertente da pintura realça o papel de percepção visual do observador na constituição da obra.

A partir da década de 1970, seus trabalhos afastam-se da op art e se aproximam da abstração geométrica, com o acréscimo de relevos na superfície da tela ou do papel. Um exemplo é 8/79, de 1979, óleo sobre tela colado sobre madeira. A respeito de tais obras, o crítico Mario Schenberg comenta: "Heinz Kühn encontrou na pintura-relevo a linguagem adequada para comunicar as suas intuições musicais de ritmo espacial e de cor"2.


Notas

1 Seis pesquisadores da arte visual. Apresentação Walter Zanini. São Paulo: MAC/USP, 1966.
2 SCHENBERG, Mario. Pensando a arte. São Paulo: Nova Stella, 1988.

Outras informações de Heinz Kühn:

  • Outros nomes
    • Heinz Kühn
    • Heinz Kuenh
    • Heinz Kuhn
  • Habilidades
    • Pintor
    • designer de jóias

Obras de Heinz Kühn: (2) obras disponíveis:

Exposições (58)

Todas as exposições

Eventos relacionados (1)

Artigo sobre sp-arte 2011

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de iníciosp-arte 2011: 12-05-2011  |  Data de término | 15-05-2011
Resumo do artigo sp-arte 2011:

Fundação Bienal de São Paulo

Fontes de pesquisa (19)

  • PFEIFFER, Wolfgang. Artistas alemães e o Brasil. São Paulo: Empresa das Artes, 1996. 155 p., il. color. 759.943 P527a
  • PFEIFFER, Wolfgang. Artistas alemães e o Brasil. São Paulo: Empresa das Artes, 1996. 155 p., il. color.
  • ARTE suporte computador. Organização Solange Lisboa e Antonio Ruete. São Paulo: Casa das Rosas, 1997. SPcr 1997/a
  • AYALA, Walmir. Dicionário de pintores brasileiros. Organização André Seffrin. 2. ed. rev. e ampl. Curitiba: Ed. UFPR, 1997. R750.81 A973d 2.ed.
  • CAVALCANTI, Carlos (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1974. v.2: D a L. (Dicionários especializados, 5). R703.0981 C376d v.2 pt. 2
  • CAVALCANTI, Carlos (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1974. v.2: D a L. (Dicionários especializados, 5).
  • KÜHN, Heinz. Heinz Kühn. São Paulo: Cosme Velho Galeria de Artes, 1979. Não Cadastrado
  • KÜHN, Heinz. Heinz Kühn. São Paulo: Paulo Figueiredo Galeria de Arte, 1982. Não Cadastrado
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988. R759.981 L533d
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • PANORAMA DE ARTE ATUAL BRASILEIRA, 1969, São Paulo, SP. Panorama de Arte Atual Brasileira 1969. São Paulo: MAM, 1969. CAT-G Spmam 1969/p
  • PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969. R703.0981 P818d
  • SCHENBERG, Mario. Pensando a arte. São Paulo: Nova Stella, 1988. 709.8104 S324p
  • SCHENBERG, Mario. Pensando a arte. São Paulo: Nova Stella, 1988.
  • SEIS pesquisadores da arte visual. Apresentação Walter Zanini. São Paulo: MAC/USP, 1966. [32] p., il. p&b color.
  • SEIS pesquisadores da arte visual. Campinas: MACC, 1966. Spmacc 1966
  • SEIS pesquisadores da arte visual. São Paulo: MAC/USP, 1966. Spmac 1966/s
  • ZANINI, Walter (Coord.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Instituto Moreira Salles: Fundação Djalma Guimarães, 1983. v.2. 709.81 H673 v.2
  • ZANINI, Walter (Coord.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Instituto Moreira Salles: Fundação Djalma Guimarães, 1983. v.2.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • HEINZ Kühn. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa23255/heinz-kuehn>. Acesso em: 20 de Abr. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7