Artigo da seção pessoas Enrico Vio

Enrico Vio

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deEnrico Vio: 06-02-1874 Local de nascimento: (Itália / Vêneto / Veneza) | Data de morte 22-11-1960 Local de morte: (Brasil / São Paulo / São Paulo)
Imagem representativa do artigo

Mulher com Birote , s.d. , Enrico Vio
Reprodução fotográfica Autoria desconhecida

Biografia
Enrico Vio (Veneza, Itália 1874 - São Paulo SP 1960). Pintor, professor. Em 1909, estuda no Reggio Istituto di Belle Arti, em Veneza. É aluno de Ettore Tito (1859 - 1941) e Guglielmo Ciardi (1842 - 1917). Participa de exposições em Milão, Turim e da Grande Mostra de Artes de Veneza, em 1909. Em 1910, expõe no Salon d'Automne, em Paris, o quadro Velhice Tranquila, s.d., que traz para o Brasil em 1911. Reside em São Paulo, e leciona desenho no Liceu de Artes e Ofícios e posteriormente na Escola Politécnica. Produz retratos, paisagens paulistanas e pinturas de gênero, utilizando tinta a óleo, pastel e carvão. Realiza, entre outras obras, retratos de artistas como Tarsila do Amaral (1886 - 1973) e Pedro Alexandrino (1856 - 1942). Viaja várias vezes à Itália e pinta telas com temas e paisagens desse país. Em seus quadros, apresenta vistas da cidade de São Paulo, de seus arredores e do litoral paulista. O artista mantém-se à margem das inovações artísticas relacionadas ao movimento modernista durante toda a sua carreira.

Comentário crítico
Enrico Vio produz principalmente retratos, pintura de paisagens e pinturas de gênero. Entre os retratos, destaca-se Velhice Tranquila, s.d. - exposta no Salon d'Automne de Paris, em 1910 -, pelo tratamento sutil conferido ao tema e pelo uso cuidadoso da luz e da gama cromática. Nessa obra evoca a produção de pintores holandeses do século XVII. Em 1922 expõe, entre outras obras, retratos de artistas como Tarsila do Amaral (1886 - 1973) e Pedro Alexandrino (1856 - 1942).

Realiza vistas da cidade de São Paulo, de seus arredores e também do litoral paulista. Em Parque da Estação da Luz, s.d., e em No Jardim, 1923, apresenta um enquadramento fotográfico, aproximando um detalhe da cena aos olhos do observador. Esses quadros destacam-se pelas pinceladas livres e amplas, carregadas de tinta, e apresentam uma síntese formal e uma gama cromática muito controlada.

Como nota o historiador da arte Tadeu Chiarelli, o escritor e crítico Monteiro Lobato (1882 - 1948), em artigo de 1918, destaca o naturalismo sensível da produção do artista, a "verdade" com que trata seus temas e sua habilidade técnica. Enrico Vio manteve-se, durante toda a carreira, à margem das inovações artísticas relacionadas ao movimento modernista, e sua obra permanece ainda pouco conhecida e estudada.

Outras informações de Enrico Vio:

  • Outros nomes
    • Enrico Vio
    • E. Vio
    • Henrique Vio
  • Habilidades
    • pintor
    • professor de artes plásticas

Obras de Enrico Vio: (2) obras disponíveis:

Exposições (29)

Todas as exposições

Fontes de pesquisa (12)

  • SÃO PAULO (ESTADO). SECRETARIA DA CULTURA. Pintores Italianos no Brasil. São Paulo: Governo do Estado de São Paulo. Secretaria de Estado da Cultura/Sociarte, 1982. 136 p.
  • AYALA, Walmir (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1980. v.4: Q a Z. (Dicionários especializados, 5).
  • AYALA, Walmir. Dicionário de pintores brasileiros. Organização André Seffrin. 2. ed. rev. e ampl. Curitiba: Ed. UFPR, 1997. 428 p. xxxxxx
  • CHIARELLI, Tadeu. Um Jeca nos vernissages. Apresentação José Teixeira Coelho Netto. São Paulo: Edusp, 1995. 261 p., il. p&b. color. (Texto e arte, 11).
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988. 555 p. xxxxxx
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988. 555 p.
  • MARINHAS e ribeirinhas. Apresentação de Maurício Segall. Texto de Vera d´Horta Beccari. São Paulo: Museu Lasar Segall, 1982. (Ciclo de Exposições Momentos da Pintura Paulista).
  • PINACOTECA do Estado - São Paulo. Apresentação de Fábio Magalhães. Texto de Aracy Amaral. Rio de Janeiro: FUNARTE; São Paulo: Secretaria Estadual de Cultura, 1982. (Museus brasileiros, 6).
  • PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Texto Mário Barata, Lourival Gomes Machado, Carlos Cavalcanti et al. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969. 559 p. xxxxxx
  • PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Texto Mário Barata, Lourival Gomes Machado, Carlos Cavalcanti et al. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969. 559 p.
  • TARASANTCHI, Ruth Sprung. Pintores Paisagistas: São Paulo 1890 a 1920. São Paulo: Edusp : Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2002. 391 p.
  • TARASANTCHI, Ruth Sprung. Pintores paisagistas em São Paulo (1890-1920).1986. 303 f. Tese (Doutorado) - Escola da Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo - ECA/USP, São Paulo, 1986. p.477 T759.09281 T177p v.2

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ENRICO Vio. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa22982/enrico-vio>. Acesso em: 18 de Set. 2018. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7