Artigo da seção pessoas Carlos Careqa

Carlos Careqa

Artigo da seção pessoas
Teatro / música  
Data de nascimento deCarlos Careqa: 03-08-1961 Local de nascimento: (Brasil / Santa Catarina / Lauro Muller)

Biografia

Carlos de Souza, Carlos Careqa (Lauro Müller SC 1961). Cantor, compositor e ator. Muda-se para Curitiba, aos 5 anos, onde vive a infância e a adolescência. Ingressa no seminário salesiano Instituto São José em Ponta Grossa, Paraná, no qual permanece dos 15 aos 18 anos, período em que estuda música e teatro. Em 1984, abandona a faculdade de direito e vai para Nova York, e inicia sua carreira artística tocando em bares. Na volta ao Brasil, trabalha com trilhas sonoras, peças de teatro e shows. Participa de comerciais de TV e curtas de cineastas curitibanos. No começo dos anos 1990 recebe uma bolsa do Instituto Goethe para estudar alemão em Berlim. Retorna ao Brasil e vai morar em São Paulo.

Em 1993, Careqa faz o show de abertura de Arrigo Barnabé, que o estimula a lançar seu primeiro disco, Os Homens São Todos Iguais, e do qual Barnabé participa com outros nomes da vanguarda paulista como Tetê Espíndola e Itamar Assumpção. O produtor escocês David Byrne escolhe a canção Acho para integrar a coletânea Brazil Tropical 2, no ano de 1999. Um ano antes, Careqa lança seu segundo disco, Música para Final de Século. Sua discografia continua com Não Sou Filho de Ninguém (2004), que traz participação díspar de Adoniran Barbosa, Chico César, Edson Cordeiro, Zeca Baleiro, André Abujamra, Vânia Abreu, iniciando sua parceria musical com Mário Manga, ex-integrante do Premê; Pelo Público (2006); A Espera de Tom (2008), com versões suas em português de músicas do cantor norte-americano Tom Waits; Tudo que Respira Quer Comer (2009); e Alma Boa de Lugar Nenhum (2011), com participação de Chico Buarque e Letícia Sabatella. Como ator compõe o elenco de filmes, como o Bicho de Sete Cabeças (2001), de Laís Bodanzky, de curtas, comerciais, seriados e minisséries da TV Globo e TV Cultura.

 

Comentário Crítico

Carlos Careqa é um artista que tem no humor uma importante ferramenta para a realização de seu trabalho na música e nas artes cênicas. Suas letras abordam temas como o amor e o cotidiano, a exemplo do samba Pai Postiço, interpretado com Jards Macalé no disco Não Sou Filho de Ninguém (2004). Se muitas vezes a sátira e o humor estão presentes em suas letras, em outras ele também apresenta grande lirismo. Esses fatores o associam à vanguarda paulista, importante movimento da cena paulistana do início dos anos 1980, e o colocam como um de seus principais herdeiros, além da convivência e parceria com Itamar Assumpção e Arrigo Barnabé, dois dos principais nomes desse movimento.

Careqa apresenta uma versatilidade de gêneros em suas canções, que vão do chorinho ao rock, e uma pesquisa musical refletida em sua obra, composta basicamente no violão e no piano. De forma mais intuitiva, o compositor desenvolve melodias que trabalham em diferentes extensões proporcionando arranjos harmônicos complexos evidenciados por sua interpretação com nuances variadas, que remete às suas diversas influências, que vão de João Gilberto a Tom Waits.

Álbuns e shows temáticos também configuram um ponto da obra de Carlos Careqa, como é o caso de À Espera de Tom (2008), com versão de canções do compositor norte-americano Tom Waits, e Alma Boa de Lugar Nenhum (2011), em que propõe uma atmosfera sonora de cabaré, que tem o piano como instrumento único. Essa preocupação com a temática evidencia sua inter-relação com o teatro, que está presente desde o início de sua formação artística.

Outras informações de Carlos Careqa:

  • Outros nomes
    • Carlos de Souza

Espetáculos (1)

Eventos relacionados (4)

Fontes de pesquisa (4)

  • Ayala , Walmir e Seffrin,  André.  Notícias do Paraná: sobre arte paranaense. Imprensa Oficial do Paraná, Curitiba, 2002.
  • Casoy, Sergio.  Ópera em São Paulo, 1952-2005. EDUSP.  São Paulo, 2006.
  • Mello, Zuza Homem de.  A era dos festivais: uma parábola EDITORA 34. São Paulo, 2008.
  • Sandmann, Marcelo.  Algumas canções em Curitiba Revista Letras Ed. 45 Universidade Federal do Paraná. Editora UFPR.  Curitiba, 1995.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • CARLOS Careqa. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa229385/carlos-careqa>. Acesso em: 22 de Mai. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7