Artigo da seção pessoas August Muller

August Muller

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deAugust Muller: 1815 Local de nascimento: (Alemanha / Niedersachsen / Baden) | Data de morte 1883 Local de morte: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)
Imagem representativa do artigo

Vista do bairro do Catete e da Praia do Flamengo tomada da Glória , ca. 1835 , August Muller
Reprodução fotográfica Raul Lima

Biografia
August Muller (Baden, Alemanha 1815 - Rio de Janeiro RJ ca.1883). Pintor e professor. Irmão do pintor Guilherme Muller, vem para o Rio de Janeiro por volta de 1820, em companhia de seu pai. Ingressa na Academia Imperial de Belas Artes (Aiba), em 1829, e estuda com Debret (1768 - 1848). Em 1835, é nomeado professor substituto de pintura de paisagem da instituição. Em sua produção de 1835 a 1840, destacam-se as vistas do Rio de Janeiro, realizadas para o cônsul norte-americano William Wright. É nomeado professor titular da cadeira de pintura de paisagem, em virtude da aposentadoria de Félix Taunay (1795 - 1881), cargo que exerce entre 1851 e 1860. Recebe a medalha de ouro pelas obras apresentadas nos Exposições Gerais de Belas Artes da Aiba em 1834, 1840 e 1864.  Dedicando-se à pintura de paisagem e histórica e, sobretudo, à retratística, é considerado pela crítica como um dos melhores nesse gênero em sua época. Entre os retratos mais conhecidos estão o da baronesa de Vassouras, o do Mestre de uma Sumaca, ca.1850 - encomendado pelo governo imperial - e o do arquiteto Grandjean de Montigny (1776 - 1850), incluído na Exposição de História do Brasil, realizada em 1881, no Rio de Janeiro. Esse retrato e o do gravador Zepherin Ferrez (1797 - 1851) são os únicos conhecidos desses membros da Missão Artística Francesa.

Análise
August Muller é considerado pela crítica como um dos melhores retratistas de sua época. Para o historiador da arte Luciano Migliaccio, estão entre as pinturas mais representativas desse gênero, realizadas pelo artista, o retrato do arquiteto Grandjean de Montigny (1776 - 1850) e o da baronesa de Vassouras, obras que demonstram acuidade de observação e forte capacidade comunicativa. No retrato do marinheiro Manuel Correia dos Santos, nota-se a dignidade conferida ao retratado, um homem do povo, por meio de uma pintura que o interpreta primitivamente, realçando suas qualidades físicas e psicológicas.

Muller executa ainda o retrato do gravador Zepherin Ferrez e de sua esposa. Em suas paisagens, como A Baía do Rio de Janeiro Vista da Ilha de Villegaignon (ca.1840), não apresenta aspectos tão inovadores como os da retratística, revelando porém a influência de obras da grande tradição francesa de pintura de paisagem.

Outras informações de August Muller:

Obras de August Muller: (13) obras disponíveis:

Título da obra:

Artigo da seção obras
Temas da obra: Artes visuais  
Data de criação : ca. 1840
Autores da obra:
Imagem representativa da obra
Legenda da imagem representativa:

Reprodução fotográfica Horst Merkel

Exposições (25)

Artigo sobre Missão Artística Francesa e Pintores Viajantes: França - Brasil no século XIX (1990 : Rio de Janeiro, RJ)

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de inícioMissão Artística Francesa e Pintores Viajantes: França - Brasil no século XIX (1990 : Rio de Janeiro, RJ): 11-1990  |  Data de término | 12-1990
Resumo do artigo Missão Artística Francesa e Pintores Viajantes: França - Brasil no século XIX (1990 : Rio de Janeiro, RJ):

Fundação Casa França-Brasil (Rio de Janeiro, RJ)

Todas as exposições

Fontes de pesquisa (12)

  • BOGHICI, Jean (org.). Missão Artística Francesa e pintores viajantes: França-Brasil no século XIX. Apresentação Michel Oyharcabal. Rio de Janeiro: Instituto Cultural Brasil-França, 1990. 142 p., il. p&b., color.
  • CAMPOFIORITO, Quirino. História da pintura brasileira no século XIX. Prefácio Carlos Roberto Maciel Levy. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1983. 292 p., il. p&b. color.
  • ARTE no Brasil. Prefácio Pietro Maria Bardi; introdução Pedro Manuel. São Paulo: Abril Cultural, 1979. v. 1, 556 p., il. color.
  • AYALA, Walmir (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1977. v.3: M a P. (Dicionários especializados, 5). R703.0981 C376d v.3 pt. 2
  • FREIRE, Laudelino. Um século de pintura: apontamentos para a história da pintura no Brasil de 1816-1916. Rio de Janeiro: Fontana, 1983. 677 p.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988. 555 p.
  • MOSTRA DO REDESCOBRIMENTO, 2000, SÃO PAULO, SP. Arte do século XIX. Curadoria geral Nelson Aguilar; curadoria Luciano Migliaccio, Pedro Martins Caldas Xexéo; tradução Roberta Barni, Christopher Ainsbury, John Norman. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo : Associação Brasil 500 anos Artes Visuais, 2000. 223 p.
  • PEIXOTO, Maria Elizabete Santos. Pintores alemães no Brasil durante o século XIX. Prefácio Elmer Corrêa Barbosa. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1989. 244 p., il. p&b., color.
  • PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Texto Mário Barata, Lourival Gomes Machado, Carlos Cavalcanti et al. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969. 559 p.
  • REIS JÚNIOR, José Maria dos. História da pintura no Brasil. Prefácio Oswaldo Teixeira. São Paulo: Leia, 1944. 409 p.
  • RUBENS, Carlos. Pequena história das artes plásticas no Brasil. São Paulo: Editora Nacional, 1941. 388 p. (Brasilian. Série 5ª: biblioteda pedagógica brasileira, 198).
  • ZANINI, Walter (org.). História geral da arte no Brasil. Pesquisa Cacilda Teixeira da Costa, Marília Saboya de Albuquerque. São Paulo: Fundação Djalma Guimarães: Instituto Walther Moreira Salles, 1983. 1106 p. 2v.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • AUGUST Muller. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa22565/august-muller>. Acesso em: 28 de Jul. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7