Artigo da seção pessoas Décio Villares

Décio Villares

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deDécio Villares: 01-12-1854 Local de nascimento: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro) | Data de morte 21-06-1931 Local de morte: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)
Imagem representativa do artigo

Pedro II em Trajes Majestáticos , s.d. , Décio Villares

Biografia
Décio Rodrigues Villares (Rio de Janeiro RJ 1851 - idem 1931). Pintor, escultor e caricaturista. Formado pela Academia Imperial de Belas Artes (Aiba), no Rio de Janeiro, estuda na Europa, intercalando idas e vindas entre 1872 e 1881. Aluno de pintores consagrados como Victor Meirelles (1832-1903), Alexandre Cabanel (1823-1889) e Pedro Américo (1843-1905), é classificado em primeiro lugar em concurso para professor da Académie des Beaux-Arts [Academia de Belas Artes] de Paris, mas rejeita o cargo por não querer se naturalizar francês. Na França, adere a teses positivistas. Retorna definitivamente ao Brasil em 1881 e passa liderar, em 1888, o grupo dos positivistas que se contrapõe aos modernistas e às reformas que eles exigem que sejam implementadas na Aiba. Passa a desenhar caricaturas para jornais satíricos e, em 1889, participa da concepção da bandeira brasileira. Expõe em 1874, no salão de Paris, o quadro Paolo e Francesca da Rimini. Participa da 25ª e da 26ª Exposições Gerais de Belas Artes na Aiba. Parte de suas obras é incendiada porque sua esposa, num acesso de loucura logo após a morte de Villares, ateia fogo a seu ateliê.

Comentário Crítico
Décio Villares forma-se na tradição instituída pela Academia Imperial de Belas Artes (Aiba), Rio de Janeiro, trabalhando tanto na pintura quanto na escultura. Por influência de Pedro Américo (1843-1905) pinta temas bíblicos, e chega a receber uma medalha de ouro pela obra São Jerônimo, na Exposição Geral de Belas Artes, no Rio de Janeiro, em 1879. Suas posições ressoam na pintura: nesse momento, a última década do império, Villares é um pintor de formação conservadora, religiosa, e católico fervoroso. Em sua estada na Europa, se aproxima da doutrina positivista, deixando para trás o catolicismo e afirmando-se na perspectiva positivo-materialista inaugurada pelo filósofo Auguste Comte. É nessa época que pinta as obras Queda do Cristianismo e Virgem da Humanidade para o templo positivista de Paris. Por suas ideias, recusa naturalizar-se francês, e perde o cargo de professor da Académie des Beaux-Arts [Academia de Belas Artes] de Paris, conquistado com mérito em concurso.

continuar a leitura do texto Continuar a leitura do texto...

Outras informações de Décio Villares:

  • Outros nomes
    • Décio Rodrigues Villares
    • D. Villares
    • Decio Rodrigues Villares
    • Decio Vilares
  • Habilidades
    • Pintor
    • escultor
    • Caricaturista
  • Relações de Décio Villares com outros artigos da enciclopédia:

Obras de Décio Villares: (10) obras disponíveis:

Exposições (26)

Todas as exposições

Eventos relacionados (1)

Artigo sobre sp-arte 2010

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de iníciosp-arte 2010: 29-04-2010  |  Data de término | 02-05-2010
Resumo do artigo sp-arte 2010:

Fundação Bienal de São Paulo

Fontes de pesquisa (13)

  • ARTE no Brasil. São Paulo: Abril Cultural, 1979. 2v.
  • ARTE no Brasil. São Paulo: Abril Cultural, 1979. 2v.
  • AYALA, Walmir (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1980. v.4: Q a Z. (Dicionários especializados, 5).
  • BRAGA, Theodoro. Artistas pintores no Brasil. São Paulo: São Paulo Editora, 1942.
  • DEZENOVEVINTE: uma virada no século. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 1986.
  • DOBERSTEIN, Arnoldo Walter. O positivismo nos monumentos e túmulos. In: ______. Porto Alegre 1900-1920: estatuária e ideologia. Porto Alegre: Secretaria Municipal da Cultura, 1992. p. 43-51. (Cadernos da memória, 2).
  • DUQUE, Gonzaga. Contemporâneos: pintores e esculptores. Rio de Janeiro: Tipografia Benedicto de Souza, 1929.
  • FREIRE, Laudelino. Um século de pintura: apontamentos para a história da pintura no Brasil de 1816-1916. Rio de Janeiro: Fontana, 1983. 677 p.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • PEDERNEIRAS, Raul. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 15 jun. 1946.
  • PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.
  • REIS JÚNIOR, José Maria dos. História da pintura no Brasil. Prefácio Oswaldo Teixeira. São Paulo: Leia, 1944.
  • RUBENS, Carlos. Pequena história das artes plásticas no Brasil. São Paulo: Editora Nacional, 1941. (Brasiliana. Série 5ª: biblioteca pedagógica brasileira, 198). p.97-100.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • DÉCIO Villares. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa21769/decio-villares>. Acesso em: 22 de Nov. 2018. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7