Artigo da seção pessoas João Bandeira

João Bandeira

Artigo da seção pessoas
Literatura / música  
Data de nascimento deJoão Bandeira: 1960 Local de nascimento: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)

João Carlos Maciel de Carvalho (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1960). Poeta, designer e músico. Nascido no Rio de Janeiro, muda-se para São Paulo em 1971 onde ingressa no curso de Letras da Universidade de São Paulo (USP). Organiza e traduz Poemas de Amor do Egito Antigo em 1987. No ano seguinte, coedita o Atlas:Almanak 88. Seu primeiro livro autoral, Au Ménage, é lançado em 1990. Tem poemas e trabalhos visuais publicados em diversas revistas e antologias nacionais e internacionais. Em 1998, a Revista Revés do Avesso publica o ensaio Conversa com um Jovem Poeta – Análise da Obra de João Bandeira, de Andrea Giuseppe Lombardi, professora doutora da Faculdade de Filosofia, Letras eLetras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo  (FFLCH/USP).

Em 2000, organiza 40 Escritos, livro de ensaios do poeta Arnaldo Antunes (1960), seu parceiro em composições musicais. No ano seguinte, apresenta com Arnaldo Antunes, a artista visual Lenora de Barros (1953), o músico Cid Campos (1958), o videoartista Walter Silveira (1955) e o videomaker Grima Grimaldi (1955) o espetáculo performático Poemix Brasil no 6º festival Romapoesia na Itália. Em parceria com Lenora de Barros, faz a curadoria da exposição Grupo Noigandres no Centro Cultural Maria Antonia em 2002. É coorganizador, ao lado da artista plástica Elida Tessler (1961), do livro Memórias do Brasil do fotógrafo esloveno Evgen Bavcar (1946). 

Em 2003, apresenta seus trabalhos visuais na exposição Palavra Extrapolada. Em 2004, apresenta espetáculos multimídia no Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) de São Paulo e no Centro Cultural Telemar do Rio de Janeiro. Tem alguns de seus poemas publicados, em 2006, na Antologia Comentada da Poesia Brasileira do Século 21, organizada pelo professor e crítico Manuel da Costa Pinto (1966). Nesse ano, com o crítico Lorenzo Mammì (1957) e o designer André Stolarski (1970-2013), faz a curadoria da mostra Arte Concreta 56: Raiz da Forma, no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP). Desde 2007, atua como programador visual no Centro Universitário Maria Antônia (Ceuma/USP).

 

Análise

A obra de João Bandeira é influenciada pelas propostas da poesia concreta, que explora a materialidade das palavras em suas características gráficas e sonoras. Partindo das experiências dos concretistas, João Bandeira apresenta um trabalho apurado de linguagem visual em poemas como “Au menage”, dedicado à obra de poeta Oswald de Andrade (1890 - 1954). Nele, uma página transparente sobreposta à reprodução de uma imagem antiga da embalagem de biscoitos Miramar, remete à famosa frase do poeta modernista – “a massa ainda comerá do biscoito fino que fabrico” –, e ao título de uma de suas obras mais importantes, As Memórias Sentimentais de João Miramar.

Além do uso inventivo das páginas dos livros, João Bandeira trabalha com vídeo-poesia, ampliando as possibilidades de elaboração poética por meio de sons e imagens em movimento. Seu trabalho multimídia reverbera no espetáculo performático Poemix (2001), no qual desaparecem as divisões rígidas entre artes visuais, teatro, música e poesia em favor de uma obra ampla e coletiva. 

O interesse pela vídeo-poesia é explicado no ensaio “Literatura do verso ao vídeo” (2005) no qual João Bandeira analisa as condições técnicas que favorecem a produção dos livros no século XVI e aponta as possibilidades de invenção artística das novas mídias como o computador.

Outras informações de João Bandeira:

  • Outros nomes
    • João Carlos Maciel de Carvalho
  • Habilidades
    • Poeta
    • músico

Obras de João Bandeira: (1) obras disponíveis:

Espetáculos (1)

Exposições (7)

Eventos relacionados (1)

Fontes de pesquisa (5)

  • BARBOSA, Frederico (Org.); DANIEL, Cláudio (Org.). Na virada do século: poesia de invenção no Brasil. São Paulo: Editora Landy, 2002.
  • PINTO, Manuel da Costa. Antologia comentada da poesia brasileira do século 21. São Paulo: Publifolha, 2006.
  • JUNQUEIRA, Maria Aparecida; OLIVEIRA, Maria Rosa Duarte de (Orgs.). São Paulo em preto e branco pelo olhar de seus escritores. São Paulo: SESC: PUC/SP, 2005
  • LINS, Vera. Entre o verbal e o visual. O eixo e a roda: revista de literatura brasileira, Belo Horizonte, v. 20, n. 2, 2011.
  • MARZ, Sandra; OLIVEIRA, Maria Rosa Duarte de (Orgs.). Território das artes. São Paulo: Educ: MEC, 2005.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • JOÃO Bandeira. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa215767/joao-bandeira>. Acesso em: 11 de Dez. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7